A parte pelo todo


Ponto mais positivo da entrevista de ontem a Pinto da Costa? Vamos ter um museu!

O resto foi mais do mesmo, como era expectável, até pelo castigo que PdC ainda está a cumprir e que o impede de proferir declarações sobre o campeonato em si...e que creio ter sido furado. Enquanto ia ouvindo o nosso presidente a fazer exactamente aquilo que na minha opinião não deveria ser feito, fiquei com a impressão clara que a entrevista, não tendo corrido mal até porque Judite de Sousa não foi propriamente agressiva na maior parte das pergunta, mas não serviu para levantar a moral à nação Portista como outras entrevistas no passado tinham servido (lembro-me de uma a Margarida Marante e Miguel Sousa Tavares que até me deu novas forças para encarar o mundo).

Ao mesmo tempo que zurzia no CD da Liga, PdC optou pela defesa do grupo (bem) e do treinador (igualmente bem), mas como de costume atirou as culpas para adversários externos, coerentemente seguindo a política que tem vindo a ser alinhavada desde que os túneis se transformaram em tudo o que há de mais importante no futebol, esquecendo-se o que de facto se joga dentro das quatro linhas, e que é mau. Tudo o resto é folclore.

PS: só hoje de manhã é que tive oportunidade de ver a entrevista a Ricardo Costa e nada na sua postura me surpreendeu. Muito menos a inenarrável arrogância.

Leia Mais...

Sugestão para a entrevista de PdC

Leia Mais...

A triste realidade da nossa Liga

Numa pequena nota off-FCP, ma pessoa olha para estes números que surgem no MaisFutebol e não sabe se há-de rir ou de chorar. Se não fossem as transmissões televisivas, muitos destes clubes já tinham fechado portas, e sinceramente não sei se valerá a pena aguentarem "ligados à máquina" desta forma...

Se um bilhete para um jogo da Naval custa em média 20€, multiplicando isso pela média de cerca de 1200 pessoas que o clube tem durante esta temporada, dá cerca de 24 mil euros. Até agora, então, tendo disputado 12 jogos em casa, o clube arrecadou a gigantesca quantia de 288 mil euros. Para um clube da Liga Sagres, teoricamente o topo das competições profissionais portuguesas.

É muito pouco para se manterem à tona, quanto mais para contratações sonantes e/ou manter escalões de formação em quantidade e qualidade...

Leia Mais...

Oops...



A isto chama-se, no vernáculo da psicologia, um deslize freudiano.
Eu chamo desleixo.

PS: para os mais distraídos, campeonato em inglês diz-se "championship". Com P.

Leia Mais...

Planeta Azul Nº8 - HJK Helsinki


Planeta Azul Nº8 - HJK Helsinki



País: Finlândia
Site oficial: http://www.hjk.fi/

Leia Mais...

Baías e Baronis - Belenenses vs FCP



(foto retirada do MaisFutebol)

Naquela que foi uma das melhores semanas da época, esta vitória acaba por ser mais fácil que esperada e o jogo terminou com menos golos do que devia. Jogamos bastante bem, com inteligência e boa ocupação de espaços na zona ofensiva, sem o tradicional golo adversário para nos lixar a consciência e com algumas boas exibições individuais, nomeadamente a de Hulk, que se alheou da clara pressão que iria estar sobre ele e que me deixou apreensivo antes do jogo no Restelo. Estava enganado. Givanildo exibiu-se a grande nível e arrastou o FC Porto para uma vitória sem espinhas, extremamente importante para ainda tentarmos lutar para ir à Champions, agora que estamos a apenas 5 pontos do Braga. Notes:





BAÍAS





(+) Hulk. Melhor produtividade era difícil. Um golo, dos melhores deste campeonato, mais duas assistências (seriam três mas o árbitro invalidou uma jogada legal) para golo e uma constante sensação de pânico na defesa contrária dizem tudo. Hulk regressou em grande, com uma brilhante exibição pautada pela força, garra, vontade de mostrar serviço (também para Dunga) e acima de tudo a passar a bola, algo que raramente se via no brasileiro durante os primeiros meses da temporada. Só espero que continue assim, pelo menos nos 7/8 jogos que nos restam até terminar a temporada.

(+) Rolando. É raro dar um Baía a este moço, mas hoje mereceu-o. Não só pelo golo que marcou mas também pelo bom jogo que fez, cobrindo bem a área onde aparecia Lima e Yontcha, que raramente tocou na bola durante a partida.

(+) Falcao. Continua a parecer um pouco cansado mas a questão é que voltou a marcar e pareceu entender-se bastante bem com Hulk durante todo o jogo. O homem luta imenso durante o jogo e apesar de hoje ter estado menos apoiado pelos flancos, recebeu bastante apoio de Guarín e Ruben na zona central, o que ajudou a não ficar tão longe do meio-campo. É uma pena que o rapaz já tenha 4 golos anulados no campeonato, já estaria a liderar a tabela de melhores marcadores...

(+) Helton. Depois de vários jogos afastado da equipa voltou em grande com excelentes defesas e a mostrar uma segurança que deixou a malta da defesa sem preocupações. Continua a ser um mal-amado mas sinceramente mantenho-me na minha convicção que é o melhor guarda-redes do plantel e que Beto, apesar de ter qualidade, não consegue destronar Helton quando o brasileiro está de cabeça tranquila e não se põe a inventar muito. Não percebi o comentário negativo que vem no Público, mas enfim, por isso é que tento não ler as crónicas de outros sites antes de escrever a minha...

(+) Guarín. Não fez um grande jogo, parece-me evidente. Mas não inventou muito, o que já é bom; tentou rematar várias vezes, o que não é mau; principalmente equilibrou o meio-campo, dando a força necessária que faltou a Meireles e a Ruben, desgastados na segunda parte. Não saiu e ainda bem, já que estava a ser o melhor médio da equipa. Porra que esta custou escrever.

(+) Tradição. A entrega da coroa de flores a Pepe.





BARONIS





(-) Belenenses. É fraca demais para ficar na Liga Sagres e acaba por ser uma equipa com quem não percebo como empatamos no Dragão e chegamos aos 30 penalties neste mesmo Estádio do Restelo. Fraca a defender, desorganizada no meio-campo e lenta no ataque, apesar dos fogachos de Lima, talvez o único rapaz que se safe naquela equipa, a par de José Pedro, que aos 31 anos ainda pode jogar noutra equipa com bem melhores argumentos. António Conceição não parece ser capaz de dar a volta ao barco e é daquelas equipas que, com todo o respeito para com os adeptos azuis, espero que desça de uma vez e deixe de fazer sofrer quem gosta de futebol. A coroa de flores para o Pepe vai ter de esperar uns anitos até que o clube volte a mostrar que tem valor suficiente para ficar entre os grandes.


Um jogo em que não dou Baronis a jogadores do FC Porto (ou ao seu treinador) é sempre positivo e como já não acontecia há tanto tempo, é sinal que a colheita foi boa. Voltamos a jogar no Dragão no próximo Sábado e temos em perspectiva um Braga vs Guimarães que nos pode trazer ainda mais sorrisos caso o Vitória se lembre de lá ir ganhar. Ah...as saudades de lutar pelo título...

Leia Mais...

Rui Costa sobre Bruno Alves

O Bruno perdeu a cabeça a determinada altura. É um jogador muito impulsivo e determinado e que a determinada altura perdeu um pouco a cabeça e cometeu erros que não deve cometer”
“O jogo já passou. Respeito tudo, porque andei dentro de campo e muitas vezes compreendo reacções que de fora do campo não se compreendem. Embora não tenha estado bem, o importante é que nada se passou de mais grave."

in Público


Pois é, Rui. Nós também compreendemos. Mas não aceitamos.
Bruno, vê lá se no Domingo não te passas da carola. Eu sei que o jogo é em Lisboa e isso traz más memórias recentes, mas atina com a bola e não com os outros rapazes, por favor. Os adeptos agradecem.

Leia Mais...

Falcao na World Soccer

Fica um recorte da World Soccer de Fevereiro que conta com uma menção a Radamel Falcao como um dos goleadores em ascensão no futebol mundial.


Apesar de não concordar com o último parágrafo, onde se pode ler que os adeptos do FC Porto já vêem Lisandro como uma memória longínqua, o que não é verdade, o resto do pequeno artigo está no ponto.

Leia Mais...

Baías e Baronis - Rio Ave vs FCP








(foto retirada do MaisFutebol)

Num dia em que o futebol jogado dentro das quatro linhas quase ia passando despercebido, tal foi o reboliço com os ex-castigos de Hulk e Sapunaru, o FC Porto deu um passo importante para disputar a final da Taça de Portugal, no Jamor. Com todas as ausências que se conhecem, entramos com força e com uma dinâmica curiosa no meio-campo, fruto de inúmeras jogadas de entendimento de Ruben e Meireles, que mais pareciam irmãos que jogavam juntos desde sempre. Onde estava esse entendimento nas últimas semanas?...Enfim, o jogo foi disputado a um nível muito acima do habitual desta época, com boas jogadas ofensivas, poucas falhas na defesa e um sentimento no final da partida que há muito não tinha: ganhámos bem.





BAÍAS





(+) Ruben. Um golo e duas assistências. Só estas estatísticas comprovam a influência que o madeirense teve hoje na equipa do FC Porto. O golo foi mais que merecido, especialmente por ser o primeiro de azul-e-branco vestido, mas o que mais impressiona no jogo de Ruben é a constante vontade de jogar futebol, de criar jogo ofensivo, de pautar as movimentações dos colegas, arquitectando jogadas de ataque que passam todas pelos seus pés. Excelente a combinar com Meireles hoje, muito melhor que em outros jogos, e pareceu gostar de jogar na táctica que Jesualdo hoje "inventou".

(+) Meireles. Onde andava este Meireles? Heim? Raúl? Come out, come out, wherever you are! É este o Meireles que nos habituamos a ver, é este espírito, esta entrega, esta garra a jogar que tanta falta nos tem feito este ano. Marcou um golo importante que nos recolocou na vantagem e acima de tudo foi um elemento chave no meio-campo de 4 (por vezes 5) elementos de hoje. Tal como Ruben, pareceu adaptar-se bem ao esquema com um centro de terreno mais povoado.

(+) Fernando. A diferença vê-se nos pequenos detalhes. Onde Tomás Costa desliza, Fernando não mexe. Quando Guarín falha, Fernando acerta. É titularíssimo, só precisava de estar em melhor forma física para aguentar 90 minutos a sério.

(+) Beto. Esteve muito seguro na baliza, sem culpas no tento do Rio Ave. Defendeu vários remates de longe, incluindo um corte traiçoeiro de Álvaro que ia dando em auto-golo, que palmou para canto, lesionando-se no processo. Gostei da confiança.

(+) Jesualdo. Convenhamos que a tarefa era complicada. Sem Hulk, Varela, Rodríguez e Mariano, com Farías no banco para fazer número e mais alguns rapazes bem cansados, Jesualdo era forçado a inventar uma táctica para acomodar os onze que iam entrar em campo. Fê-lo bem, com uma espécie de 4-1-4-1 que foi enchendo o meio-campo e impedindo ataques pelo centro (a não ser pelo ar), basculando os jogadores para as alas quando era preciso. Muito bem a experimentar quando colocou Miguel Lopes no lado direito do ataque para testar alternativas. O plantel é infelizmente curto em qualidade e ele sabe disso, daí entenderem-se os testes em diferentes posições.





BARONIS





(-) Fucile. Notou-se que está com pouca confiança e não é o Fucile que já foi esta época. Precisava de férias mas como ainda tem alguns meses de competição (e depois o Mundial), lá vai ter de engolir os sapos da sua própria consciência e voltar à luta. Continua a ter entradas arriscadas que lhe valem cartões a mais.

(-) Falcao. Não é uma nota negativa pelo esforço, mas sim pela falta de produtividade quase total, para lá da assistência no primeiro golo. Vê-se que está cansado (pudera!) e começa a notar-se ainda mais no campo, quando já não tem forças para lutar como fazia há um mês atrás.

(-) Belluschi. O argentino não engata. Com o toque de bola que tem acaba sempre por tentar fazer mais do que é preciso e raramente consegue criar perigo, perdendo muitas bolas de uma maneira infantil, quase ridícula para um jogador com alguma experiência. Não entrou mal no jogo mas cedo percebi que ia ser o costume, com muitas falhas e pouco sumo.



Um bom resultado, acima de tudo, porque vencer fora é sempre agradável, mas acima de tudo uma boa exibição. Teve os seus altos e baixos mas em nenhuma altura pensei que não conseguíssemos ganhar o jogo. Está tudo pronto para fazermos um jogo tranquilo no Dragão e passarmos à Final!

Leia Mais...

Considerações sobre Hulk e Sapunaru


Depois de ler alguns comentários em blogs portistas (e não só), urge-me fazer notar o seguinte:


  • Não podemos embandeirar em arco a decisão do CJ, usando-a como desculpa para a má época que estamos a realizar. A SAD e o treinador, depois de embarcarem na demanda pelo perdido, não se devem escudar nesta convolução por forma a esconder aquilo que é a todos os níveis uma má performance geral. Não se pense em impugnações nem em desvalorizar o trabalho de outras equipas dizendo "ah se nós tivessemos o Hulk e o Sapunaru a jogar éramos muito mais fortes". Porque, sinceramente, não sei se seria verdade;
  • O facto de uma suspensão de 4 e 6 meses ter sido cortada para 3 e 4 jogos respectivamente é, no mínimo, estranha. Sei que é possível interpretar a lei de formas diferentes, mas tanto?! Uma das duas instituições não merece crédito, seja o CD ou o CJ.
  • Pela primeira vez em muito tempo, concordo com a SAD do FC Porto quando diz, no comunicado que colocou no site oficial, "Obviamente, demitam-se!". O ridículo a que chegaram e a total disparidade nas posições é surreal e a já fraca imagem que tinham perante os seus constituintes acabou de ser completamente rompida pelo caos que se seguirá.
  • Tendo em conta que Hulk e Sapunaru falharam 17 jogos em diversas competições, terá o FC Porto direito a alguma indemnização monetária? Assumo que o clube não falhou nas suas obrigações contratuais com os jogadores, continuando a pagar ordenados sem poder recorrer a seguros pois não estavam lesionados, por isso creio ser possível exigir que seja paga uma verba compensatória.
  • Para concluir, Hulk e Sapunaru foram culpados na mesma, tiveram foi uma redução nas penas porque, induzo, não foi considerado que um steward possa ser um "agente desportivo". Merecem a suspensão, merecem ser punidos pelos actos violentos que cometeram. Mas não merecem ser achincalhados publicamente como o foram desde Dezembro de 2009.
Siga para Vila do Conde. Hoje há bola.

Leia Mais...

Digam lá outra vez?!

O JOGO:
Conselho de Justiça da FPF altera castigos de Hulk e Sapunaru


RECORD:
Pena de Hulk reduzida para... 3 jogos


MAISFUTEBOL:
CJ muda castigos: três jogos para Hulk e quatro para Sapunaru




ABOLA:
FODA-SE!!! NÃO ME FODAM!!! FODA-SE!!!

Leia Mais...

Fiorargentina?

(foto retirada d'A Bola)

Depois da venda de Bolatti à Fiorentina (que aparentemente até é titular pelos viola), eis que aparece o alegado interesse em Valeri.

Apesar da notícia estar tão bem fundamentada como o sexo dos anjos, há alguma coisa que me está a falhar? Há outros clubes que acham que aqueles jogadores que todos vimos a jogar e que não pareciam mostrar grandes qualidades para ficarem no plantel...afinal são bons e interessam?

Das duas uma: ou eu não percebo nada disto (o que é bem possível) e os gajos são mesmo bons, padecendo apenas de problemas de adaptação à cidade/clube/treinador/colegas/adeptos/estádio/francesinha..ou então os empresários quando se começam a mexer acabam por fazer negócios incríveis...

Leia Mais...

Votação: Quem vence a Carlsberg Cup?


Esta foi simples e directa: "Quem vence a Carlsberg Cup?". Depois do jogo, eis os resultados que já não trazem nada de positivo, mas ainda assim cá estão eles:
  • FCP nos 90 minutos: 58%
  • FCP em penalties: 6%
  • SLB nos 90 minutos: 32%
  • SLB em penalties: 3%
É engraçado ver que a confiança dos portistas ainda estava em alta antes do jogo...

Próxima votação: Jesualdo deve dar oportunidade a sub-19s no ataque?

Leia Mais...

Estado da nação


A bluegosfera portista anda ao rubro (má conotação colorida, peço desculpa) com discussões, controvérsia entre nomes de treinadores, jogadores mal-queridos e protegidos, exibições pobres e adeptos violentos. Como em todas as comunidades, há uma divisão entre os mais moderados e os mais radicais, sendo que os primeiros por vezes podem pecar por nem sempre colocar o dedo na ferida, ao passo que os últimos são sempre bem mais vincados nas suas posições, ainda que por vezes possam oscilar um pouco na coerência das mesmas. Considero que o Porta19 se inclui na primeira lista. Ainda assim, cá vai um pequeno resumo do que se tem vindo a dizer desde ontem:

Azular o Mundo (http://azularomundo.blogspot.com/2010/03/opiniao.html)
"como sobreviveu o Porto aos 19 anos?! Se parece que os adeptos não sabem como sobreviver ao desenlace de um jogo, ou de uma época, melhor dizendo, como sobreviveram os antigos?!"

Basculação (http://basculacao.blogspot.com/2010/03/mais-uma-humilhacao.html)
"A equipa até entrou bem e teve os primeiros lances de perigo mas, no estado em que estamos, perante aquele primeiro golo sofrido daquela forma, era óbvio que os portistas iam passar o resto do jogo a sofrer e terminou num humilhante 3-0."
"começo a concordar com os que dizem que Bruno Alves anda de cabeça perdida. Só se destaca pelas picardias e cacetadas. "

Bibó Porto, carago! (http://bibo-porto-carago.blogspot.com/2010/03/futebol-21mar-1915-sl-benfica-vs-fc.html)
"Mais do que criar uma noite dos “facas-longas”, em que se procurem ajustes de contas, era bom que amanhã de manhã se começasse a trabalhar na Invicta. De forma séria. O Porto foi batido em toda a linha. Possuindo quatro títulos a adornar as camisolas, o que se pedia era tão pouco, comparado com o esforço hercúleo passado. Apenas vencer mais este. Não era apenas um campeonato. Era O campeonato. Aquele onde o Benfica apostou, desesperadamente, todas as fichas. Conseguindo uma espécie de hara-kiri, internamente o Porto implodiu. Aburguesados, com erros crassos e primários, a época está aí agora à vista de todos. De forma crua. Sem filtros."
"O batemos no fundo é extensivo a quase toda a gente. Acho inadmissível o comportamento evidenciado pela habitual turba, lesta a desenvolver comportamentos dignos de primatas, enlameando o nome secular do clube ao não resistirem aos apelos mais básicos. Cada pedra lançada contra um adepto contrário constitui, não um acto de valentia ou de identificação com um ideal, mas um desvio comportamental que deve ser travado. A tempo, antes que isto acabe mal."

Blog Super Porto (http://blogsuperporto.blogspot.com/2010/03/o-que-mais-sera-preciso.html)
"Sei que o Porto não pode ganhar sempre, é certo. Mas não pode perder assim como tem perdido, sem dar luta! Isto não é o Porto."
"Um recado ainda para o Bruno Alves - o último dos jogadores à Porto: Eu também não gosto do benfica e perder com eles custa mais, mas entrar em campo a insultar tudo e todos e a bater em tudo o que mexe, não me parece ser a melhor solução, tanto mais quando se é o capitão. Que descontrolo."

Carrega Porto! (http://carregaporto.blogspot.com/2010/03/maldicaos-dos-3-em-actualizacao.html)
"As contrariedades eram mais que muitas e verdade seja dita, o Slb vem semana após semana a demonstrar um futebol de elevada qualidade, e a vitória em Marselha apenas serviu para moralizar mais uma equipa já moralizada. Mas ainda assim o FCP esteve longe de ser inferior, lutou e mostrou valentia, mas no final o que conta são os golos, e como resposta aos três do adversário, nem um para a nossa conta."

Dragalhadas (http://flthedragon.blogspot.com/2010/03/recomecar-gaharpara-o-ano.html)
"...Não vale a pena falar muito...os problemas do Porto estão a vista. E nós, quando perdemos, não precisamos de olhar para os outros ou atirar as culpas para arbitros, apitos dourados,..."
"O mais preocupante (para não falar nos erros de casting - aquele Belluschi...meu deus! - , nos erros tacticos, na condição fisica e psicologica dos jogadores - é ver como chegou o R. Micael...e como ele está! - ...) é o discurso do Jesualdo! "Não há maior cego do que o que não quer ver"...e continuar a dizer - depois de uma final perdida por 3-0...sem ter criado 1 occasião de golo (nem nos cantos fomos perigosos) - que o Porto lutou de igual para igual, mereceu, etc...é ou burrice ou incompetência!"

Dragão até à Morte (http://dragaodoente.blogspot.com/2010/03/fcporto-0-sl-benfica-3-uma-equipa.html)
"Não era esta Taça que me acrescentava alguma coisa, que limpava a imagem de uma temporada para esquecer - melhor, para lembrar para que não volte a acontecer - mas se ganhar não acrescentava muito, perder desta maneira, sem honra nem glória e ter de aguentar a arrogância, o populismo bacoco e trauliteiro, dos vencedores, ainda piora as coisas e o amanhã não vai ser fácil..."
"Uma equipa nervosa, tensa, sem confiança, presa por arames, que desaba à primeira contrariedade, uma equipa muito disponível para reclamar, discutir e pouco, muito pouco, para jogar, para reagir quando as coisas correm mal. Enfim, ou alguém abana as tropas, dá um passo em frente, uma chicotada psicológica no grupo, ou então corremos sérios riscos de nem a Taça de Portugal ganharmos."

Dragãopentacampeão (http://dragaopentacampeao.blogspot.com/2010/03/mais-um-suplicio.html)
"Se o futebol praticado pelos Tetracampeões nacionais, já não era de grande qualidade, esse golo fez acentuar o mau momento por que atravessa, caracterizado por falta de ligação, discernimento e capacidade técnica. Como consequência, o FC Porto só foi capaz de criar uma boa ocasião para marcar, num lance protagonizado por Falcao a que Belluschi não deu o melhor seguimento, aos 22'. Muito pouco para ambicionar a uma vitória!"

Estádio Dragão (http://www.estadiodragao.com/este-nao-e-o-meu-porto/)
"Em primeiro lugar apraz-me dizer que este não é o meu FC Porto. Isto é uma sombra muito ténue daquilo que o FC Porto jogou durante os últimos anos. Este FC Porto está ao nível do pior FC Porto dos últimos 10 anos. Relembro-me do pior futebol com Octávio, Fernandez e Couceiro no comando técnico da equipa. A equipa não tem fio de jogo. Não constrói jogadas de perigo, joga mal e parece que é um grupo de amigos que se juntou este fim de semana para dar uns chutos na bola. Mas isto não é de agora. Desde o início da época que o FC Porto joga mau futebol. Não sei se a culpa é do professor Jesualdo ou se é da falta de qualidade do plantel, a verdade é que esta época apenas fizemos um ou dois jogos bons."
"Como é possível em 90m os jogadores Portistas fazerem uns dois ou 3 remates com perigo? Isso não será o que faz uma equipa da segunda liga quando joga para a taça no Dragão?"
"Bruno Alves é a imagem, do desespero deste jogo. O capitão do FC Porto está mais compenetrado em “encher a mala” aos jogadores do benfas do que propriamente jogar á bola. É a personificação deste Porto…"

Portistas de Bancada (http://portistasdebancada.blogspot.com/2010/03/momentos-em-que-podem-rever-se.html)
"Sejam novos ou velhos, reforços ou consagrados da casa, os médios benfiquistas fazem faltas cirúrgicas e todos dão no duro, nem é preciso que joguem a bola, como não jogam, basta metralhar desde a trincheira que os adversários caem como tordos."
"Já o Sporting e o Arsenal não precisaram de jogar por aí além. O Benfica também não. E parece tão fácil golear o Porto, enquanto Meireles e Jesualdo falam do que ainda há para ganhar. Espero que tenham mesmo abdicado das medalhas de medrosos falhados..."

Paixão pelo Porto (http://paixaopeloporto.blogspot.com/2010/03/impotencia-do-nosso-fc-porto.html)
"Começa a ser cada vez mais difícil assistir ao final de época do FC Porto. E pensar que a equipa esteve mais de uma semana a preparar este jogo. Afinal, para quê tanto recolhimento (estágio num antigo Palácio), conforto (viagem num voo privado) e contenção nas palavras (ninguém falou à imprensa nas vésperas do jogo)? Assim torna-se difícil analisar o jogo, pois já nem sabemos a quem pedir responsabilidades: a jogadores, a treinadores ou à SAD? Estamos confusos!"
"Ontem, a época que as duas equipas estão a realizar acabou por ser determinante na forma como ambas abordaram o jogo. Foi com precipitação e ansiedade que o FC Porto respondeu à melhor desenvoltura e fluidez de jogo do Benfica. No final, e mesmo que Nuno não tivesse cometido aquele erro que deu origem ao primeiro golo do Benfica, ficámos com a sensação que o FC Porto não conseguiria discutir o jogo."

Pobo do Norte: O Pobo Mais Forte (http://www.pobodonorte.com/2010/03/quanto-tempo-falta-para-acabar-epoca.html)
"em condições normais (com todos os jogadores disponíveis e sem o stress de uma sequência de resultados penalizadores), o Porto teria argumentos para vencer o Benfica. Sem alma, sem 2 dos nossos melhores e com um banco que é uma miséria, só por mero acaso venceríamos a taça da bejeca"
"o Bruno Alves é muitas vezes criticado somente por saltar mais alto, por ser mais forte, por se impor fisicamente; mas hoje teve uma actuação vergonhosamente desleal, ao nível dos grunhos que partem cadeiras e roubam nas estações de serviço - aquela sequência de agressões ao Kardec e ao Cardozo é inadmissível, inaceitável e só serve para criar uma péssima imagem dele e do Porto. É preciso ser digno na derrota para se poder ser magnânimo na vitória."

Mística do Dragão (http://misticadodragao.blogspot.com/2010/03/bom-resultado.html)
"VAI-TE EMBORA JESUALDO
VAI-TE EMBORA VALERI
VAI-TE EMBORA BELLUSCHI
VAI-TE EMBORA BRUNO ALVES
VAI-TE EMBORA RAÚL MEIRELES
VAI-TE EMBORA GUARÍN
VAI-TE EMBORA TOMÁS COSTA
VAI-TE EMBORA FARÍAS
VAI-TE EMBORA MARIANO
PENDURA AS LUVAS NUNO"

Mais Portista (http://maisportista.blogspot.com/2010/03/ja-comeca-ter-efeitos-positivos-ter.html)
"Após jantar fui observar o que se escrevera na blogosfera portista, e como seria de esperar já ninguém gosta deste clube, destes jogadores, do presidente, do treinador, etc... É tão fácil dar o peito às balas quando ganhámos!!! Difícil e adulto é dar esse mesmo peito às balas nas derrotas, principalmente nas mais custosas. É por isso que eu digo no título deste post que existem efeitos positivos com esta derrota. Existem muitos portistas que precisam de aprender o que custa perder, de forma a depois poderem ganhar. Quando se entende o mais difícil, o resto é paisagem!"
"Para terminar quero apenas esclarecer o seguinte: Existem críticas justas que devem ser feitas ao treinador, aos jogadores e à SAD, mas não na praça pública, nunca neste momento. Deixemos a época terminar e aí sim, também eu cá estarei para dizer de minha justiça. Até lá continuo a dizer que não me importo de estar 1 ano sem vencer nada, se a seguir vierem 4 ou 5 de abundância! Quem preferir pode fazer uma liga privada só com um clube, assim ganha sempre..."

O Dragão (http://odragao.blogspot.com/2010/03/queriam-o-que.html)
"O Presidente só pensa em putas.- A SAD só pensa nos prémios.- O "treinador" só está à espera que o despeçam, para se abarbatar com a indemnização.- O capitão só pensa em sair.E QUEREM MILAGRES?"
"O meu Porto, o da entrega, o do trabalho, não é o do treinador Burrualdo... O meu Porto, é o Porto de Oliveira, por exemplo... Um Porto que, podia ter a pior equipa, mas que tinha atitude e em que cada derrota era vivida como se fosse a última e não com conformação..."
"Os jogadores em campo estão perdidos, nas posições, nas tácticas e no nervo - no nervo de ser jogador à FC Porto e no nervo de não ser arruaceiro. Bruno Alves ontem merecia ter sido expulso e o treinador devia estar à espera que isso acontecesse para ter mais uma desculpa para o jogo e a época de ontem, ao não o proteger com uma substituição."

Conclusões? Creio que há alguma unidade nas críticas e nas análises, sejam elas mais agressivas ou mais brandas, onde os principais visados são em grande maioria a SAD e o treinador, sem esquecer alguns jogadores. Espero para ver o que vai acontecer até ao final da época...

Leia Mais...

Há que saber perder, Bruno!

Bruno Alves teve mais uma noite de total desvario, reacendendo as conversas sobre a sua veia violenta que tanto tem dado que falar nos últimos anos. O capitão de equipa do FC Porto passou 90 minutos a distribuir pancada em tudo o que via, arranjando problemas com vários jogadores adversários, cotovelando e pontapeando Aimar, Cardozo, Kardec...e até os colegas de equipa e membros da equipa técnica, como o médico Nelson Puga que o tentou acalmar a caminho do balneário, onde Bruno estava entretido a mostrar aos adeptos benfiquistas (presumo) na bancada que tinha ganho quatro campeonatos, apontando para as quinas que ostenta ao peito, numa atitude que tem tanto de orgulhosa como de idiota.

Bruno sempre foi um jogador que mostrou garra, raça, vontade de vencer e que simbolizava o que são todas as qualidades que os adeptos portistas sempre procuraram nos profissionais que exibem em campo o emblema do clube. Depois dos primeiros anos de empréstimos sucessivos ao Farense, Guimarães e até na Grécia, onde jogou no AEK Atenas sob o comando de Fernando Santos, regressou ao clube onde tinha sido formado para vencer quatro campeonatos, várias taças e assumir-se como capitão. Durante todo esse tempo foi cimentando posição como um central reconhecido pela Europa fora até chegar a titular na selecção de Portugal, onde marcou vários golos e serviu como âncora de segurança para algumas exibições bastante consistentes.

Depois de quatro épocas onde a sua agressividade foi escalpelizada por todos, com a aprovação moderada dos portistas e a reprovação intensa dos adversários, Bruno Alves está a ter aquela que será provavelmente a pior temporada da sua carreira. Um verão em que o fica-sai-fica-sai-fica-sai foi transversal a todos os jornais desportivos, uma época com fracos resultados e uma noção que se vai recalcando nas mentes dos adeptos: é este o capitão que queremos para a nossa equipa?

Toda a gente que já jogou futebol já reparou que há sempre alguns rapazes que quando se vêem a perder começam a disparatar, desatam a calcar tornozelos e a cotovelar a malta pelas costas? Pois é isso que creio estar a acontecer com Bruno Alves, exactamente porque não sabe perder. A vencer há quatro anos consecutivos com louvores, prémios atrás de prémios e um nome criado por si à custa de trabalho e empenho, vê-se confrontado pela primeira vez com uma realidade que não é a que está habituado, a de ter de admitir a derrota porque, simplesmente, não é o melhor.

Tal comportamento passa para o balneário, nota-se em campo, vê-se na forma como Bruno entra em fúria perante os adversários que ousam colocar uma barreira à ambição do nosso número 2. A atitude violenta que Bruno tem mostrado não é digna de um capitão de equipa e é algo que terá de ser revisto pelo treinador, psicólogo, presidente, coveiro, florista, sei lá, por alguém de direito dentro da estrutura portista que consiga tentar mudar a mentalidade do rapaz, porque o que se vê em campo é uma equipa perdida, sem liderança, que tenta tirar de esforço o que não consegue com mérito técnico e táctico, que prefere acertar no jogador em vez de acertar na bola e que não consegue colocar os adeptos do seu lado. Para além disso, Bruno passou mais que um ano a tentar limpar a imagem de assassino que a imprensa tão delicadamente lhe colocou (a mesma imprensa que louva Mozer pelo seu espírito combativo, numa bela mostra de critérios díspares), luta essa que cai agora estrondosamente por terra, dando mau nome ao clube, à equipa e a si próprio.

Bruno, puto, ainda vais a tempo. Lembra-te só disto: centrais caceteiros há muitos. Não sejas só mais um. És melhor que isso.

Leia Mais...

Baías e Baronis - Benfica vs FCP




(foto retirada do MaisFutebol)

Se formos a analisar a performance do FC Porto durante toda a partida, acabamos por embarrar na mesma parede mental na qual temos vindo a constantemente cabecear durante toda a temporada: somos fracos. Mentalmente, tecnicamente, tacticamente, em todos os aspectos estamos abaixo do nível ao qual estávamos habituados desde que Jesualdo Ferreira tomou o leme. O jogo de hoje mostrou um FC Porto quezilento, com pouca capacidade de rotação da bola e de controlo da partida, sempre mais lento que o adversário, a perder duelos constantemente e a não conseguir de forma nenhuma contrariar a dinâmica muito mais agressiva (no bom sentido) e audaz da equipa que hoje enfrentamos, aquela que será muito provavelmente sagrada campeã nacional daqui a umas semanas. Vamos a notas:





BAÍAS





(+) Rodríguez. O rapaz não parou todo o jogo. Pode não ter sido muito eficaz (onde diz "muito", leia-se "nada"), mas lutou, esforçou-se e foi dos poucos que tentou arrastar a equipa para a frente, no meio do marasmo que se via no resto da equipa. Faltou-lhe apoio, claramente, mas mesmo sem o ter, Cebola tentou sempre forçar jogadas ofensivas, tentando entender-se com Álvaro Pereira, jogando ao lado de Falcao e descaindo para as alas sempre que possível. Merecia um golo.

(+) Falcao. Mais uma vez, um dos mais esforçados, numa luta inglória entre os centrais, tentando dominar a bola (o que nem sempre lhe saiu bem) e esperar pelo apoio, que apareceu no máximo duas vezes durante o jogo.

(+) Fernando. Qualquer portista que acompanhe minimamente os jogos da equipa tem-se apercebido da falta que o brasileiro faz no meio-campo defensivo. Nem Tomás Costa nem o pobre Nuno André Coelho, atirado às feras no Emirates Stadium, conseguiram fazer esquecer a forma como Fernando domina a sua zona quando está em forma. Hoje, ainda que não tenha conseguido impedir a derrocada no resultado, tentou lutar com as forças que tinha contra a melhor organização do meio-campo benfiquista. Fica o bom esforço.

(+) Benfica. Quando se ganha dá gosto atirar uma ou duas boquinhas ao adversário, só para rejubilar no prazer de uma vitória. No entanto, quando se perde, há que saber perder com dignidade e humildade, particularmente quando o adversário prova ser melhor que nós em campo. Foi isso que aconteceu hoje no Algarve, onde o Benfica, a jogar a passo, chegou e sobrou para nos vencer por três a zero. Limpo. Parabéns, Ruben Amorim (melhor em campo) e Jorge Jesus, que me surpreendeu na flash interview, comovido e a dedicar a vitória ao pai. Espero que para o ano cá estejam para nos dar os parabéns a nós. Se merecermos, claro!




BARONIS





(-) Bruno Alves. No jogo contra a Académica, escrevi o seguinte: "Bruno Alves reclama com árbitros com uma atitude quase intimidatória e excessivamente agressiva; age impulsivamente e sempre com nervos em franja perante os adversários, arriscando inúmeros cartões vermelhos com pequenas quezílias que um dia destes, quando os árbitros perderem o medo, lhe vão mostrar; está a facilitar em demasia em zonas defensivas, raramente pressionando o avançado que lhe aparece na frente (lembram-se do Bruno Alves a fazer um carrinho em algum jogo este ano?) e acabando por fazer faltas em áreas recuadas que levam perigo para a própria baliza. Bruno parece instável e nervoso, e essas são qualidades que num capitão de equipa se acabam por transmitir para o resto dos jogadores.". O jogo de hoje foi tirado a papel químico do jogo de semana passada. Analisarei o momento de Bruno Alves num post nos próximos dias, mas fica uma pequena frase que espelha a minha opinião sobre o que se passa com o nosso capitão: há que saber perder. Sobre o jogo e o comportamento de hoje não há muito mais a dizer, apenas o seguinte: um capitão de equipa, líder de homens e alguém que se quer que seja um modelo a seguir, não pode ter reacções absurdamente violentas e agressivas como as de hoje.

(-) Intranquilidade. A incapacidade técnica, juntamente com as lesões, os casos extra-relvado e a falta de motivação acabaram por transformar este final de época num pesadelo, o que se reflecte dentro de campo. Os jogadores reclamam uns com os outros, sem capacidade para fazer mais e melhor. Ninguém me convence que os rapazes de azul-e-branco são tão maus quanto o que mostram em campo.

(-) Claques. Desta vez não pode haver atenuantes. O clube tem de reagir perante as atitudes animalescas que se viram a caminho do Algarve. Sim, incluo tudo no mesmo lote, aquela malta tem atitudes de gado e tem de ser tratado como gado. Quanto às bastonadas da Polícia que deixaram alguns hematomas pelo caminho, é simples perceber que quem vai misturado com gado tem de se aperceber que arrisca ser tratado como gado. E já tendo trabalhado num matadouro, sei bem como se deve tratar gado.



E cá vai mais uma frase que já me começa a cansar ter de proferir no final dos jogos: perdemos bem. É triste admiti-lo mas estamos num mau momento do qual este ano creio ser muito pouco provável conseguirmos sair. O campeonato ainda não acabou e ainda temos a Taça de Portugal para tentar vencer, mas ainda que o consigamos, servirá de pouco consolo às fraquíssimas exibições e à falta de garra e organização que consecutivamente mostramos em campo. Mas levantemos a cabeça, amigos! Temos de saber perder, dar os parabéns ao adversário por uma vitória limpinha, por merecer e por fazer por merecer. E venha a próxima manhã, que há treino...

Leia Mais...

O estado do Sporting

Em fim-de-semana de FC Porto vs Benfica, nada como uma pequena menção...ao Sporting.

O resumo da época verde-e-branca encontra-se no sempre afiado blog sportinguista, que possui um dos melhores nomes blogueiros de sempre: O Cacifo do Paulinho.

A ler aqui.

Leia Mais...

Aguenta, Varela!!!

(foto retirada do Telegraph)


Um dos melhores jogadores do FC Porto 2009/10 lesionou-se hoje de manhã. Já temos pouca mão-de-obra qualificada para se safar frente a uma equipa motivada e que joga bem...e ainda nos cai esta dos céus. É mau para o rapaz, mau para o clube e mau para a Selecção...

Silvestre, puto, não desanimes! O próximo ano traz novas oportunidades para brilhares, e caso não consigas ir ao Mundial...há sempre o próximo europeu!

PS: palavra de honra que eu tento...todos sabem que tento e os portistas que me perdoem...mas começa a ser complicado não gostar deste gajo...

Leia Mais...

Planeta Azul Especial

De vez em quando publico curtos artigos só com fotos de equipas por esse mundo fora que partilham as nossas cores, envergando o azul-e-branco com orgulho. Dei a essa rubrica habitual o nome de Planeta Azul. Se calhar é de mim, que tenho algum fascínio por equipamentos de futebol, mas gosto de ver e de conhecer as indumentárias que por aí se vão usando. Mais sobre isto num post lá para a frente, quando estivermos de férias.

Ainda assim, fica uma edição especial, com um rapaz que está virado para as novas tecnologias e que em 2005, num festival de música e arte em San Diego, Califórnia, se lembrou de ostentar uma camisola do FC Porto, que apesar de ser uma imitação barata, espalha a fé por terras longínquas.

Fonte: NPM's Weblog

Leia Mais...

Deco

Numa semana que a nível futebolístico nacional se está a reger quase exclusivamente pela eliminatória da Liga Europa, estando quase olvidada a final da Taça da Liga do próximo Domingo, viro-me para a notícia de que Deco quer regressar ao Brasil, terra-natal, no final da temporada.

Em entrevista dada à Globo, no programa Esporte Espectacular (que tem um nome...espectacular), Deco afirma que não pretende cumprir o contrato até ao fim no Chelsea e que optaria por regressar para jogar no Corinthians, o seu clube de sempre. Em Portugal, lusa terra de orgulhos feridos a pedido, logo se levantou um chorrilho de insultos, que nunca serviu para a selecção ou que, oh pecado dos pecados, iria favorecer o Brasil em detrimento das cores portuguesas.

Deco sempre foi um profissional que deu o corpo às balas pelo FC Porto e pela Selecção (alguém se esquece do Portugal vs Inglaterra no Euro'2004, com Deco a jogar a defesa-direito depois de sair Miguel?!), pecando muitas vezes por ser honesto demais em alturas quando não devia sê-lo. Parece-me lógico que um homem que tenha nascido no Brasil queira lá voltar, e só a nossa lauta arrogância levaria a pensar que o menino teria obrigatoriamente de querer ficar cá até ao fim da vida, comprando um monte perto de Monsaraz e montando um snack-bar para vender o belo Favaíto e melões bem bons da época.

É só ler alguns dos comentários parvos no Record (aqui), a crónica do Manuel Queiroz na RTP (aqui) ou a do Nuno Farinha também no Record (aqui) para se perceber que as pessoas puxam do nacionalismo bacoco quando não gostam de alguém. Critiquem o timing, critiquem a opção, mas não critiquem o homem!

Leia Mais...

Como descobrir notícias

Segundo um estudo publicado pela Crikey, uma revista australiana em formato online e papel, cerca de 55% das notícias que surgem nos jornais através de jornalistas credenciados, com curriculum no meio e experiência a rodos, são lá colocadas através de manobras de relações públicas mais ou menos directas.

Se calhar é por isso que depois aparecem capas destas:

Leia Mais...

Votação: Deve Jesualdo descansar os titulares para a final da Carlsberg Cup?



Esta foi uma votação rápida, assim um tipo speed-dating das sondagens de opinião. Com o jogo frente à Académica havia a hipótese de poder descansar um pouco alguns titulares que estariam mais fatigados, por forma a ficarem mais frescos para o jogo contra o Benfica no próximo fim-de-semana. Cá estão os resultados à pergunta: "Deve Jesualdo descansar os titulares?":
  • Sim: 33%
  • Não: 66%
Estou em sintonia com os adeptos. Enquanto pudermos tentar chegar ao segundo lugar do campeonato, há que tentar até ao fim das forças! Quanto à taça...ainda falta uma semana! Descansar é nas férias, minha gente...

Próxima votação: Prognóstico para a Carlsberg Cup?

Leia Mais...

Até...sempre, Mariano?


É sempre triste ver um jogador que se lesiona sozinho, ainda por cima quando é da nossa equipa. Este sábado vimos a lesão de Mariano González em Coimbra, que acabou por afastar o argentino para o resto da temporada, como foi já confirmado pelo site oficial do FC Porto.

Tratando-se de Mariano, o jogador que todos amamos detestar, acaba por ter um sabor agridoce. Por um lado, o lamento de ter um jogador que se esforça sempre até ao limite, que nunca desiste e que luta sempre por todas as jogadas em que se envolve, nunca dando um lance por perdido, a somar ao facto de termos vários avançados impossibilitados de contribuir para a equipa, por lesão ou castigo, o que limita ainda mais as opções do treinador; por outro lado, temos a boa nova de não contarmos com um rapaz que pouco mais costuma fazer que perder bolas fáceis, esquecer-se do esférico quando parte para o contra-ataque ou andar de gatas atrás dos jogadores contrários.

Tendo em conta uma previsível rearrumação da casa no final da temporada, o jogo contra a Académica pode ter sido o último em que vimos Mariano a vestir a nossa camisola. Não sei se chore se ria.

Leia Mais...

Baías e Baronis - Académica vs FCP




(foto retirada do MaisFutebol)

Este era mais um jogo que era aguardado com grande expectativa, depois de uma semana terrível nas hostes portistas. Acabou por ser mais do mesmo, só que desta vez vencemos, uma vitória que apareceu quando já não havia grande esperança, pelo pé esquerdo de Cristián Rodríguez, ele que foi provavelmente o melhor em campo. Continuam as falhas técnicas, continua o jogo pouco imaginativo e aos repelões, continua uma instabilidade terrível na organização defensiva e acima de tudo na criação de jogadas de ataque. Valham os três pontos! Notas abaixo:





BAÍAS





(+) Rodríguez. Já fazia falta o Cebola de ano passado, lutador e a carregar a equipa para a frente com força e alguma cabeça. Foi guerreiro desde o arranque e acabou por ver o esforço compensado com um golo que dá três importantes pontos. Ao longo de todo o jogo andou a lixar a cabeça aos laterais, principalmente pelo lado esquerdo. Admito que sou fã do rapaz e tinha muita pena que estivesse tanto tempo lesionado, até porque acho que é um elemento importante no ataque portista e fez muita falta. Quem dera que esteja sempre feliz como hoje...

(+) Belluschi. Teve alguma clarividência num meio-campo onde Ruben esteve fraco e a notar-se muita fadiga nas pernas do madeirense. Belluschi, provavelmente por ter jogado menos minutos, parece mais fresco e acabou por ser um dos jogadores mais perigosos da equipa do FC Porto. Acertou passes que costuma falhar e pressionou zonas que tem por hábito esquecer, para além de vários remates à entrada da área que causaram relativo perigo.

(+) Miguel Lopes. Com o castigo/sabática forçada que Fucile está a cumprir, Miguel Lopes fez o possível para agarrar o lugar e saiu-se bem. Muito mais atento do que no jogo contra o Olhanense, esteve bem defensivamente e apoiou o ataque (particularmente Varela) sempre que foi possível. Não tem a fibra de Fucile nem tão pouco a sua capacidade técnica, mas pareceu querer mostrar que é uma segunda opção que pode ser utilizada sem problemas de maior. É preciso confirmar o crescendo de forma.

(+) Beto. Esteve seguro durante todo o jogo, agarrando bolas com firmeza, saindo bem aos cruzamentos e até fora da área, onde parece gostar imenso de jogar. Com Helton lesionado e Nuno a ser o habitual escolhido para a Taça da Liga, Beto parece ser opção apenas para a Taça de Portugal, o que não torna fácil ganhar muitos minutos por isso tem de aproveitar todas as oportunidades. Hoje, ao contrário do que aconteceu noutras alturas, saiu-se bem.





BARONIS





(-) Bruno Alves. Hesitei antes de dar uma nota negativa a Bruno Alves, mas decidi fazê-lo de qualquer forma. Apesar do golo que marcou e que nos recolocou no jogo depois de um penalty por si cometido e que será no mínimo um pouco forçado, o que mais entristece é a forma como Bruno Alves se tem vindo a comportar durante os jogos na qualidade de capitão de equipa. Bruno Alves reclama com árbitros com uma atitude quase intimidatória e excessivamente agressiva; age impulsivamente e sempre com nervos em franja perante os adversários, arriscando inúmeros cartões vermelhos com pequenas quezílias que um dia destes, quando os árbitros perderem o medo, lhe vão mostrar; está a facilitar em demasia em zonas defensivas, raramente pressionando o avançado que lhe aparece na frente (lembram-se do Bruno Alves a fazer um carrinho em algum jogo este ano?) e acabando por fazer faltas em áreas recuadas que levam perigo para a própria baliza. Bruno parece instável e nervoso, e essas são qualidades que num capitão de equipa se acabam por transmitir para o resto dos jogadores.

(-) Azar de Mariano. Nada directamente contra o argentino desta vez, apenas contra a lesão que lhe pode ter custado o resto da temporada. Pode ser uma sorte disfarçada para o resto da equipa, já que se sabe a influência infeliz que Mariano muitas vezes tem no fluxo de jogo ofensivo...mas nesta altura, com Orlando lesionado, Farías amuado (segundo "O Jogo", algo que a SAD veio desmentir em comunicado) e Hulk castigado, é uma limitação ainda maior ao nosso ataque-esqueleto.

(-) João Capela. Lá pelo Olegário ir ao Mundial, quer dizer que todos os árbitros têm de começar a apitar como ele?! Sempre que alguém ia ao chão era falta, quer fosse portista ou academista, era uma parvoíce de quedas e atiranços para o chão, sempre com o proverbial assobio estridente do senhor de vermelho fluorescente. É com árbitros destes que queremos evoluir o nosso futebol?!...


Ganhámos um jogo que tanto podia dar vitória do FC Porto como um empate, o que seria merecido dada a pouca acuidade ofensiva da nossa equipa e a boa organização defensiva da Académica. Ainda assim, três pontos são três pontos e nesta altura tudo o que vier à rede é sável...

Leia Mais...

FC South America

Estejam descansados, não estou a virar a casaca e a transformar-me em vermelhão. Cá vai uma citação direitinha do MaisFutebol, proferida por Ramires em entrevista ao site da FIFA, um dos melhores jogadores brasileiros a jogar no nosso país:

«Fiquei verdadeiramente chocado com a quantidade de jogadores brasileiros que há em Portugal. Quase todas as equipas portuguesas têm brasileiros nos seus plantéis que não conseguiram construir uma carreira no Brasil. Há até pessoas que eu nem sabia que eram brasileiros, antes de ouvir o sotaque»

Que venha o primeiro que me diga que o rapaz não tem razão. Ele, que tem mostrado qualidade muito acima da média para o que se costuma ver por estas bandas, consegue ver facilmente que há jogadores brasileiros a mais neste campeonato, onde muitos deles acrescentam pouca ou nenhuma valia à nossa Liga. E quem diz brasileiros podia perfeitamente dizer argentinos, uruguaios, cabo-verdianos, sérvios, enfim, as dezenas e dezenas de estrangeiros que entram para o nosso campeonato aos contentores e que podiam perfeitamente ser substituídos por dezenas e dezenas de rapazes portugueses, que já conhecem o estilo e os hábitos e que ajudariam sem dúvida a melhorar o actual estado do nosso futebol.

E nós, cá na Invicta, temos tido muito bons exemplos disso, com quantidades absurdas de jogadores de duvidosa qualidade a serem cá colocados, ao passo que algumas eternas promessas acabam por ser colocadas na proverbial prateleira, condenados ao exílio forçado em clubes de menor dimensão, onde muitas vezes desmotivam-se e perdem o gosto de vencer e de melhorar cada vez mais, vergados ao infortúnio de uma política de decisões estranhamente globalizadora.

É lógico que há bons valores no estrangeiro e muitos deles acabam por suprir falhas directas que o clube ou o país não conseguem colmatar, posições específicas que são complicadas de conseguir produzir ou jogadores com um estilo mais adaptado ao treinador que o pretende. O problema está quando se escolhem jogadores para posições que facilmente se podiam arranjar 3 ou 4 jogadores dos juniores e que fariam o mesmo lugar tão bem ou melhor.

É tudo uma questão de "os" ter no sítio e arriscar a aposta. Só custa no início...

Leia Mais...

Quanto vale isto?


Esta mensagem foi afixada no balneário da equipa visitante na passada quarta-feira, no Estádio Santiago Bernabéu:

«Esta noite é de vida ou morte. Não podemos deixar este estádio sem ter dado tudo. Não se arrependam de nada. Boa sorte para todos.» 


Quem escreveu isto? Lisandro López.
O Porto ganhou 24 milhões com a venda de Lisandro ao Lyon.
A questão é: quanto terá perdido em valores não-tangíveis com a perda deste espírito...


Parabéns, Licha. Vou torcer por ti na Champions.


lido aqui, no MaisFutebol

Leia Mais...

Boronha@ElefanteBranco.com.arbitros


António Boronha. Sempre com o estilo particular de dizer muito falando pouco. Excelente.

A ler aqui.

Leia Mais...

Votação: Jesualdo deve ficar?




Tenho andado para me pronunciar sobre o estado futebolístico da nação portista desde a passada 3ª feira, mas opto por esperar mais alguns jogos por forma a acalmar a equipa e deixar os rapazes (e os líderes dos rapazes) descansados neste período difícil. Não que eles leiam o meu pasquim mas, ainda assim, mais achas na fogueira dispensam-se. No entanto, no dia seguinte à derrota em Alvalade coloquei este inquérito para tomar o pulso da malta quanto à permanência ou não de Jesualdo. Naquela que foi a maior votação na história do blog (com mais de 100 votos), as respostas dividiram-se assim:
  • Sim, é o nosso mister: 6%
  • Sim, se mudar a equipa toda: 1%
  • Não, é um medroso: 15%
  • Não, obrigado, acabou o ciclo: 76%
Devo dizer que estou incluído na opção mais escolhida. Mais sobre isto num post que ainda aí virá...

Próxima votação: Deve Jesualdo descansar os titulares para a final da Carlsberg Cup?

Leia Mais...

Planeta Azul Nº7 - Kilmarnock FC


Planeta Azul Nº7 - Kilmarnock FC



País: Escócia

Leia Mais...

Ukra renova até 2014


Ukra renova com FC Porto até 2014

Lá está uma boa notícia. Terá concerteza lugar no plantel do próximo ano para mostrar se tem valor suficiente para ser opção na primeira equipa.

Leia Mais...

Confirmado: Luís Óscar é um imbecil

Chegado de almoçar, dei uma vista de olhos pelas notícias. Ao ler as novas no Record via Google Reader, reparei com este cabeçalho:

"Confirmado: Jesualdo deixa o Porto"

Imediatamente falei com alguns colegas, estranhando a decisão tão repentina da SAD de despedir o treinador logo no dia seguinte ao desaire em Londres, que raramente tinha acontecido, que se calhar não era a melhor altura...até que me apercebi que era o título de uma crónica.

Luís Óscar, quem quer que sejas, és um idiota. E o Record é ainda mais idiota por apoiar a publicação de títulos destes.

Leia Mais...

Categorias de adeptos

Sugiro a leitura da brilhante lista que foi colocada hoje neste post do blog MaisPortista, e vejam em que categoria se enquadram. Já o último parágrafo...é só para quem quiser, não concordo muito com as provocações.

A ler aqui.

Leia Mais...

Baías e Baronis - Arsenal vs FCP



(foto retirada do Yahoo! News)

Adeus e até 2011, Champions League! Uma exibição ao nível de tantas outras que já vimos na presente temporada, ilustrando as fragilidades mentais e de disciplina táctica que temos vindo a mostrar. Num jogo em que nada poderia falhar, tudo falhou, e acabamos por sair do Emirates Stadium com cinco golos no bucho, cinco falhas, cinco displicências, cinco parvoíces, a somar a dezenas de falhas e desconcentrações, com uma ausência quase total de agressividade, algo que até eu achei estranho para um jogo tão decisivo. Fica para a história um resultado tão justo quanto volumoso e uma noite para nunca mais esquecer de Fucile, pelos piores motivos, como é lógico. A notas:





BAÍAS





(+) Helton. Se os ingleses...ou melhor, a equipa que joga em Inglaterra tivessem tido outro guarda-redes na baliza contrária, provavelmente nesta altura não estaríamos a lamentar cinco golos sofridos mas muito mais. Helton fez tudo o que pôde para evitar a goleada, mas os seus colegas não estavam para aí virados. Não teve culpa em nenhum dos golos. Não chegou.

(+) Falcao. Desde o início do jogo que lutou contra as duas torres adversárias e apesar de pouco eficaz na posição que de facto deveria ter ocupado, andou por todo o campo a correr como um louco atrás dos rapazes de vermelho que trocavam a bola entretidamente pelo meio dos ineptos jogadores que ocupavam a frente da nossa área. Falcao merecia o prémio de jogo que todos iriam receber se vencessem o jogo. Pelo que vi, foi o único jogador de campo que se esforçou desde o início da partida.

(+) Rodríguez. Quando terminou a primeira-parte, pensei: só há uma substituição possível, sai Nuno André Coelho e entra Rodríguez. Jesualdo fez-me a vontade e o uruguaio conseguiu mexer um pouco com a equipa, pegando na bola e arrastando os colegas um pouco mais para a frente, fazendo o que Ruben e Meireles, até então, pouco ou nada tinham conseguido, ou sequer tentado. Continua a ser desesperadamente ineficaz, mas tem fibra, e foi dos poucos (notam aqui um padrão?).






BARONIS





(-) Falta de agressividade. O jogo contra o Arsenal perdeu-se em grande parte pela total ausência de agressividade da parte do FC Porto. Não consigo perceber, pela minha vidinha, como é que num jogo a contar para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões, numa eliminatória que é vista em todo o mundo, que é quiçá a competição mais importante de clubes do Mundo, quando se sabe que a outra competição a sério em que a equipa está envolvida (taças aparte, porque essas só contam para encher prateleiras nos museus e não dão de comer a ninguém) está quase irremediavelmente perdida...como é que nestas circunstâncias os jogadores não se esforçam. Palavra que não percebo. Que falta de fibra, de raça, de querer, de vontade de ganhar têm estes meninos! Passes pouco tensos; Hulk et al (excepto Falcao) a caírem SEMPRE que iam ao contacto com o adversário; Meireles a cair nas fintas e a ficar de pés fincados no terreno a ver o oponente a passar tranquilo; Rolando e Bruno Alves a olhar para os avançados, sem lá chegarem perto; tempo e espaço infinito para os jogadores do Arsenal poderem fazer o que queriam. O Arsenal troca bem a bola, joga muito bem, é verdade. Mas joga ainda melhor quando está a enfrentar o equivalente futebolístico de 11 ecopontos azuis.

(-) Fucile. Reparemos em quatro dos cinco golos do Arsenal: o primeiro nasce de uma atrapalhação de Fucile que choca contra o guarda-redes, com Bendtner a chegar primeiro à bola que o resto dos defesas; no segundo, Fucile não deixa a bola sair, reentra no campo e chuta a bola sem força para os pés do jogador do Arsenal, que fez o resto; no quarto, Fucile assiste Eboué na perfeição, num corte mal executado; por fim, um penalty absurdo causado por má colocação. Foi tão mau que me fez lembrar Sonkaya.

(-) Meireles. A imagem máxima da inépcia e da falta de inteligência. Meireles, que já foi essencial no meio-campo do FC Porto, converteu-se num jogador abaixo de banal. Está fraco, com pouco empenho e com um desânimo que nunca antes tínhamos visto, caindo em todas as fintas possíveis e imaginárias, quer elas fossem feitas ou não. Não sei o que se passou, só sei que enquanto estiver neste momento de forma, mais vale colocar o Guarín. Ao menos os adeptos riem-se.

(-) Jesualdo. A opção táctica de colocar Nuno André Coelho (sem desprimor para o coitado do rapaz que andava sem saber o que fazer em frente à defesa) como trinco neste jogo é tão má como a de Oliveira quando lançou Costa em pleno Old Trafford. Dessa vez foram quatro, aqui foi só mais um. Jesualdo insiste em tirar estas lebres da cartola nestes jogos, o que mostra claramente que não têm confiança nos jogadores que estão à sua disposição, optando por um rapaz que não tem rotinas na posição contra uma equipa que troca a bola de uma forma brilhante À ENTRADA DA ÁREA!!! (Calma...respira...) Não vou entrar em rants prolongados, porque ainda é cedo e ainda há jogos a disputar e competições a vencer, por muito pouco importantes que sejam. Mas, caro Professor, creio que já se apercebeu que perdeu o controlo do balneário em termos anímicos, para não falar nas decisões tácticas.

Depois de uma fase de grupos simpática, caímos com estrondo nos oitavos. Doeu e vai continuar a doer durante uns tempos, mas há que levantar a cabeça e seguir em frente. Falemos de treinadores e de limpezas de balneário daqui a uns meses. A senhora gorda ainda não cantou e o pano ainda não caiu.

Leia Mais...

Conversas

Hoje, enquanto debatia o estado da nossa equipa com um colega de trabalho:

Ele: Acho que no Porto temos várias classes de jogadores este ano: os que não sabem mais, os que não querem saber, os que não têm pernas, e que são muito muito muito muito importantes.
Eu: Pois, e quais são esses últimos? E nao os conseguirias incluir nos outros grupos?
Ele: Eles pensam que são muito importantes, fazem tudo sozinhos. Até sabem o que fazem mas não partilham.
Eu: Lá está, esses incluo-os nos "que não querem saber"!
Ele: Acho que na sua inocência, eles pensam que ajudam a equipa assim...
Eu: Não te iludas, não há inocência que aguente depois de levar nas orelhas...toma-se sempre uma decisão. ou se passa a ajudar, ou não se quer saber!
Ele: ...

E assim vamos...a caminho do Emirates Stadium...

Leia Mais...

Alguém aposta?


Aparentemente há alguém que consegue ter mais fé na equipa que os próprios adeptos. O site 101 Great Goals, conhecido repositório de resumos/golos nesta nossa bela Internéte, publicou os seus prognósticos para o jogo de amanhã e...quelle surprise! Vaticinam um empate a uma bola!

De lembrar que já para o jogo da primeira mão, o mesmo site tinha semi-adivinhado o resultado, atirando  um resultado de 2-0 que, como todos sabem, só falhou pelos golos do adversário. Se os gajos acertam desta vez começo a olhar para os outros prognósticos dos rapazes...pode ser que ainda ganhe algum!

Leia Mais...

Um pouco do grande FC Porto

Descobri, talvez mais tarde que o resto da malta, um artigo interessante da autoria de Edu Lima, do blog Bate-bola virtual, sobre o nosso clube.

Para quem ainda não o fez, pode lê-lo aqui.

Leia Mais...

Skysports

A Sky tem um pequeno artigo de arranque para o jogo de terça-feira, em que entrevista Hulk e Raul Meireles, colocando Hulk como o elemento mais perigoso no ataque, citando palavras de Arséne Wenger.


A ler aqui.

Meireles diz que a grande luta será no meio-campo e que é preciso parar Fabregas. Se tivermos em conta o festival que levamos em Alvalade, especialmente no meio-campo, temo em pensar o que pode acontecer quando Denilson, Fabregas, Arshavin, Nasri (ou Song, Rosicky, Diaby, Eboué e amigos) pegarem na bola...

Leia Mais...

Um Steward em cada um de nós


O BlueBoy do blog BiBó PoRtO, carago!, que ontem tive o prazer de conhecer pessoalmente, está a divulgar uma iniciativa que tem sido propagada também via Facebook e outras redes sociais. Trata-se do "Um Steward em cada um de nós", que vai tentar convencer os portistas a envergarem os coletes reflectores dos seus automóveis (quem os tiver, obviamente) como forma de mostrarmos o nosso descontentamento perante as decisões do CD da Liga. Esta iniciativa será para ser levada avante nos jogos frente ao Benfica, seja em que modalidade fôr.

Acho original, divertida e é uma forma correcta cívica e visualmente apelativa de dizer que não concordamos com algo que sentimos que foi injusto, numa manobra que quase poderá ser considerada de guerilla marketing e que dará um visual impecável às bancadas. Esta é que é a forma mais adequada de manifestar opiniões, não com petardos ou pancada entre as claques, mas com efeitos conjuntos, unidos e concertados. Apoio a iniciativa e vou trocar a camisola do FC Porto pelo colete! Troque você também!

Leia Mais...

Baías e Baronis - FCP vs Olhanense


(foto retirada do MaisFutebol)

Estive no Dragão juntamente com mais 32 mil pessoas. Quase todos tivemos a mesma visão triste e desanimadora de uma equipa de baixos caídos, sem ideias e sem pernas, com fraquíssima capacidade de dar a volta a um resultado que foi conseguido cedo demais por um adversário que apesar de fraco conseguiu ser eficaz. Nós só fomos fracos, porque a eficácia foi deixada para os últimos dez minutos, com alguma sorte, algum querer e pouca clarividência. O costume, portanto. A notas:




BAÍAS





(+) Falcao. O rapaz bem correu, lutou e esbracejou no meio dos centrais do Olhanense. Marcou o primeiro golo numa jogada de insistência e só não marcou mais porque nunca foi decentemente servido pelos colegas. É dos poucos que raramente desiste das bolas e parece ainda mostrar vontade de ganhar alguma coisa.

(+) Rodríguez e Mariano. É certo que quase nada lhes correu bem. É verdade que andaram mais de meio jogo a correr até à linha sem conseguirem fazer nada de produtivo. Mas correram, correram, correram...durante toda a partida. Estão fora de forma mas podem ser boas opções para o próximo jogo contra o Arsenal, pela experiência e acima de tudo pela capacidade de luta.

(+) Ruben. Enquanto teve pernas para correr, fê-lo bem. Atrevo-me a dizer que é o único jogador da nossa equipa que tem a inteligência suficiente para receber a bola, parar e olhar em redor para ver o que é que se passa à volta e colocar a bola no sítio certo, quando corre bem, claro. Teve duas chances para marcar, com um excelente remate ao lado e noutra oportunidade a permitir uma excelente defesa a Ventura. Não é Deco. Não é Lucho. Mas é Ruben e está para ficar.

(+) Dragon Force. Os putos estiveram em força no estádio, ocupando um sector na Superior Norte e fazendo um barulho pré-adolescente genial em termos do apoio à equipa e da força que tentaram transmitir aos jogadores.






BARONIS





(-) Maicon. Meu Deus. Como é possível aquela falha no segundo golo?! Como disse no jogo contra o Estoril, Maicon é lento demais e acaba por ser ainda pior vê-lo a correr ao lado de um avançado qualquer que lhe passa à frente. Fraco.

(-) Miguel Lopes. Esteve mal a atacar e muito mal a defender. A falha no primeiro golo adversário é culpa inteiramente sua, deixando que o avançado do Olhanense entrasse pela área dentro com toda a facilidade do Mundo e assistisse Djalmir para o avançado marcar. Parece ainda jogar muito nervoso.

(-) Belluschi. Passes ridículos, lentidão na criação de lances de ataque, Belluschi simbolizou toda a inépcia da equipa portista em conseguir criar situação de efectivo perigo para a baliza de Ventura. Belluschi acaba por ser uma das maiores desilusões da temporada, não pela ausência de valia individual como outros mas pelas expectativas que os adeptos criaram com o seu nome. O rapaz provavelmente nem tem grande culpa mas o que é certo é que continua a não convencer.

(-) Álvaro Pereira. Teve hoje talvez o pior jogo com a nossa camisola, ainda pior que em Alvalade. Não fez um cruzamento decente, nunca conseguiu chegar à linha (o facto de não se entender com Rodríguez é inconcebível tendo em conta que jogam juntos na selecção, nos mesmos lugares que no FC Porto) e deixou avenidas enormes atrás dele, com Bruno Alves a ter de ir cobrir Ukra que andava a vaguear por essas zonas. Espero que seja um abaixamento de forma e não a verdadeira imagem do uruguaio, que tem em mim um fã, pelo menos por agora.

(-) Jesualdo. É fácil criticar depois da decisão feita, como é evidente, mas creio que poupar alguns jogadores "chave", optando por outros que não terão o mesmo ritmo, compreendendo-se que tenha em mente o jogo de terça-feira, é arriscada. Para além de se abdicar logo do campeonato, correndo riscos desnecessários, fica a sensação que as grandes falhas acabam por vir principalmente das peças escolhidas para substituir os "titulares", Miguel Lopes e Maicon à cabeça. A primeira substituição, Tomás Costa por Varela, é daquelas que me enerva. Destruir o meio-campo nunca me parece uma boa opção, e apesar de continuar com Mariano na zona acaba por se tornar complicado para recuperar em caso de contra-ataque. Valeu a inquietude do Olhanense para safar um pontinho, porque se estas substituições fossem feitas contra uma equipa melhorzinha...nem quero imaginar...


Se alguém ainda tinha um restinho de esperança de chegar ao título, hoje ficou sem ele. O Braga empatou e mais uma vez perdemos a hipótese de ficarmos a seis pontos da Liga dos Campeões. Estou resignado a ir à Liga Europa para o próximo ano, por isso venha o jogo do Arsenal. Quem sabe não será o nosso último jogo na Champions' durante muitos meses...

Leia Mais...

© 2008 Por *Templates para Você*