Para quarta-feira...


...eu já tenho o meu...e vocês?


Leia Mais...

Baías e Baronis - Gil Vicente vs FC Porto

Foto retirada de desporto.sapo.pt

Se analisarmos o jogo pelo jogo, pelo espectáculo de futebol que se praticou hoje no Estádio Cidade de Barcelos, a jogatana foi interessante. Uma equipa de uma divisão inferior conseguiu submeter o líder do campeonato do nível superior a um empate que foi pouco mais que infeliz. A nossa equipa, teoricamente mais forte, não conseguiu impôr o futebol que deveria ser mais forte, mais prático, numa palavra: melhor. Não conseguiu. O pior é que tentou. E o simples facto de o ter feito, de ter atirado o que tinha para cima do adversário na busca da vitória e essa mesma vitória não ter sido alcançada é motivo para preocupação. Notas abaixo:










(+) A genial assistência de Guarín É um momento para ver e rever. Quando Guarín recebe a bola no centro, pronto para rebentar uma bojarda colombiana daquelas que metade das vezes vai acertar num pano da claque e o resto das vezes acerta no interior das redes...eis senão quando Fredy, o nosso Fredy, apercebe-se que Rafa está à sua esquerda e coloca-lhe a bola limpinha e prontinha para marcar um bom golo. Foi um momento mágico, uma inspiração momentânea que faz do futebol o melhor desporto do mundo. Parabéns, Guarín!

(+) Rafa (a marcar)  Segundo golo pelo FC Porto, segundo golo na Taça da Liga. Sobe bem e parece estar muito mais motivado para surgir no ataque em apoio ao extremo à sua frente e o facto de surgir na área em posição de remate faz dele um elemento útil até ao final da época, especialmente quando foi pré-convocado por Paulo Bento para a Selecção. Ah, esperem, a época de Emídio Rafael terminou hoje em Barcelos. Porra.

(+) Sereno  É difícil escolher um bom elemento no jogo de hoje. Tendo em conta o meu histórico de críticas ao rapaz, é ainda mais complicado conseguir dizer bem dele, mas é merecido. Foi dos poucos que tentou remar para a frente com garra suficiente para investir pelo flanco dele (pelo esquerdo na primeira parte, no direito na segunda) e arriscar o que era preciso para arrastar o jogo para o meio-campo do Gil Vicente. Não foi muito produtivo mas gostei de o ver a tentar.












(-) A lesão de Rafa  Desde o Alverca vs FC Porto que não via uma lesão tão grave a resultar de um lance tão inocente. Quando vi Anderson a ser ceifado por Katsouranis, percebi que tinha sido grave. Quando vi Jorge Costa a tentar torcer-se para acompanhar Owen num FC Porto vs Liverpool, reparei na gravidade da torsão do joelho. Hoje, quando Rafa "dobrou" o pé, o meu cunhado só olhou e disse: "ei. foda-se." Chegou para perceber. Custou ver e deve ter custado muito mais ao rapaz. As melhoras, puto.

(-) Passividade  A infeliz lesão que sofreu não o salva da crítica. O segundo golo do Gil é culpa quase completa da passividade da defesa. Desde Maicon até Rafa, passando por um meio-campo que deveria ter mais consciência da equipa que lhes dá a oportunidade de ostentar as suas cores, toda a equipa mostrou uma passividade que não se pode admitir ao nível que estamos. Compreendo Villas-Boas quando faz alinhar uma equipa secundária, mas como Jesualdo contra o Fátima, apesar do resultado deste não interessar quando comparado com o outro, continuo a achar que as segundas escolhas só se conseguem integrar na equipa quando introduzidos em pequenas quantidades e não em granel à força. O que me custa mais é ver que há esforço mas não há talento. E isso ainda me preocupa mais.

(-) Frente de ataque inoperante  Creio que a partir deste jogo não haverá mais ninguém que diga que é melhor jogar com Walter ao meio em vez de adaptar Hulk à posição de ponta-de-lança. Walter e os esforçados mas pouco produtivos Rodríguez e Mariano nunca conseguiram mostrar o porquê de serem elementos do plantel do (que esperamos vir a ser) futuro campeão nacional. Fracos, ineficazes, parvos, sem chama, sem talento. Mau demais.



Perdemos, pelo quarto ano consecutivo, a oportunidade de vencer a Taça da Liga. Desde o Fátima, passando pelo Sporting e pelo Benfica, foram quatro troféus que desperdiçámos e que nos atrasam na estatística desta competição. Se nenhum portista prima pelo amor a esta Taça, ninguém desdenharia um triunfo na mesma, por muito que a menosprezem quando perdemos. Não foi para este ano. Será para o próximo! Agora...venha a outra Taça. Para lá do troféu, o que conta na meia-final que aí vem é o prestígio mesmo.

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Gil Vicente

André, orientador de mentes jovens!

Acho que não há nenhum adepto do FC Porto que esteja a vibrar intensamente com o jogo de hoje e sabes disso. Cada jogo é um jogo e cada oportunidade de ver a nossa equipa em campo é mais uma chance de a apoiar e de tentar vencer a competição em questão.

Mas...este jogo é diferente por causa do próximo. É uma parvoíce, certo? Não, não é. A probabilidade de sairmos destes noventa minutos em Barcelos com o bilhete para as meias-finais da Taça da Liga é tão alta como o Rui Barros e mesmo sabendo que vais poupar alguns titulares, se calhar era boa ideia fazeres o mesmo com mais um ou dois. Assim de cabeça estou-me a lembrar do Hulk e do Moutinho, pronto. É que por muito que a Bíuíne Cup nos custe abandonar pelo quarto ano consecutivo sem a vencermos, se calhar é mais proveitoso pensar em impedir os rapazes de se enervarem (no caso do Hulk) ou de se lesionarem (no caso do Moutinho) e depois não poderem jogar contra a vermelhada na quarta-feira.

Tu é que sabes, claro, é para isso que ganhas o teu carcanhol. Mas fica o conselho: não vale a pena um gajo matar-se neste jogo para morrer no próximo.

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Planeta Azul Nº18 - Alianza Lima


Planeta Azul Nº18 - Alianza Lima







País: Perú

Leia Mais...

Apenas sensatez

"A Comissão Disciplinar da Liga abriu um inquérito aos incidentes na Luz. Normal. Depois do país inteiro constatar em direto , na televisão , o que aconteceu entre Jorge Jesus e Luis Alberto , seria um ato de completa irresponsabilidade não instaurar um inquérito para se deliberar sobre o que fazer.

É claro que , durante um ou dois meses , vamos assistir àquilo que já aqui referi na noite dos acontecimentos , ou seja , de um lado , os que vão exigir uma "punição exemplar" e , do outro , os que vão sustentar que isto "são coisas normais" no futebol. Nada que não conheçamos de estórias anteriores. Quando , o que se passa , é que não estamos perante algo que justifique uma "punição exemplar" , nem que seja "uma coisa normal" no futebol."

Mário Fernando in Jogo Jogado

Cada vez tenho mais respeito pelo Mário Fernando. Não sei de que clube é, nem me interessa muito, só sei que gosto do que escreve.

Leia Mais...

Que pena, Domingos!

"Eu vi, como todos os portugueses viram, os jogadores do Sp. Braga agredirem jogadores e funcionários do Benfica, no intervalo do jogo entre os dois clubes. Tal como vi as imagens das agressões de jogadores do FC Porto, no túnel da Luz. Portanto, escusa de negar a realidade. Se alguém anda a prejudicar o Sp. Braga, ou o FC Porto, são os jogadores das duas equipas, que tiveram atitudes essas sim inqualificáveis em profissionais de futebol. É evidente que eu preferia que o senhor declarasse que comportamentos desses são graves e prejudiciais aos interesses do clube que lhes paga o salário. Mas, esse desejo é puro delírio da minha cabeça e nunca irá acontecer. O futebol português há muito que vive da negação da realidade e da pura mentira. É muito mais fácil, e popular, atacar os obscuros "corredores do poder"..."

Domingos Amaral in Record, 7 de Fevereiro de 2010, sobre o caso do túnel da Luz.

É uma pena que pouca gente se ofereça como voluntário para te curar a ressaca, Domingos.
É que agora estou mesmo com vontade de ler o que vais escrever com a espinha feita num oito.

Leia Mais...

Carrinho de Vendas - Inverno 2010/2011 (em actualização)

Estamos a pouco mais de uma semana do recomeço no meio da silly season das transferências de Inverno e urge começar a compilar os nomes que já se têm vindo a falar como saídas "prováveis", "possíveis", "equacionadas", "ponderadas" e outros termos vagos que muitos jornalistas usam para arremessar barro à parede. Todos os nomes foram retirados de jornais desportivos ou blogs da especialidade, não quero contribuir com nomes à louco para o barulho que já existe em demasia.

Assim sendo fica a primeira lista que decerto vai ser bastante mais completa no final de Janeiro:

EDIT: artigo em contínua actualização até 31 de Janeiro

NEGÓCIOS CONFIRMADOS:

ENTRADAS:
-

SAÍDAS:

Benítez - Estudiantes
Castro - Sporting Gijón (empréstimo)
Dias Santa Clara (empréstimo)
Diogo Viana - Aves (empréstimo)
Tengarrinha - Setúbal
Tomás Costa Universidade Católica (empréstimo)
Ukra - Braga (empréstimo)


ENTRADAS (está potencialmente interessado em):

Anderson - Man Utd
Bruno Teles - Guimarães
Canella - Sporting Gijon
Diego Maurício - Flamengo
Diogo Figueiras - Pinhalnovense
Éder - Académica
Funes Mori - River Plate
Guilherme Costa - Vasco da Gama
Hugo Almeida - Werder Bremen
Jardel - Olhanense
José Luis Palomino - San Lorenzo
Juan Iturbe Cerro Porteño
Kelvin Paraná
Kléber - Marítimo
Lima - Braga
Mario Santana - Fiorentina
Sálvio - Atlético Madrid
Sílvio - Braga


SAÍDAS (consta que tem as malas feitas para):

Abdoulaye - Standard Liége
Belluschi - River Plate
Castro - Académica, Portimonense, Olhanense, Braga, West Ham, Crystal Palace
Cristian Rodriguez - Atlético Madrid, Everton, Panathinaikos, Espanhol, Sampdoria, Boca JuniorsPeñarol
Emídio Rafael - Braga
Falcao - Nápoles, Milan, Bayern Munique, Atlético Madrid, Tottenham, Galatasaray, Arsenal
Fucile - Lazio, Sampdoria, Liverpool
Helton - Fluminense
Hulk - Chelsea, Man Utd, Sevilha, Man City, Inter, BarcelonaTottenham
James Rodriguez - Espanhol, Sampdoria, Chievo, Juventus, Racing Avellaneda, Estudiantes
João Moutinho - Barcelona
Mariano González - Racing Avellaneda
Prediger - Colón
Rentería Independiente Medellín, Once Caldas
Rolando - Juventus
Sapunaru - Hamburgo, Blackburn, Leverkusen
Souza - Vasco da Gama
Tomás Costa Independiente
Ukra - Portimonense, Académica, Braga, União Leiria
Varela - Man Utd

Ah, e não esquecer:

André Villas-Boas - Inter, Liverpool


Se tiverem ouvido mais alguns...façam favor de me informar para adicionar à "especulista".

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Nacional

Foto retirada do MaisFutebol

Ao contrário do jogo contra o Beira-Mar, este nunca foi um tédio. Entrou muito bem, ao contrário do que aconteceu nos últimos encontros, e fez um jogo muito competente, calmo, tranquilo, a rodar a bola com facilidade, falhando poucos passes de progressão e não fossem algumas facilidades dadas pelos centrais na tentativa de puxar o Nacional para uma pressão ainda mais alta e abrir espaços, o jogo teria sido quase perfeito. Hulk em grande, James a melhorar muito e a melhor exibição (de longe) de Rafa com a nossa camisola. A qualidade do jogo foi directamente proporcional à temperatura que se sentia no Dragão, porque se começou em grande com um ambiente fresquinho, foi baixando ligeiramente à medida que a malta ia enregelando nas bancadas. Ainda assim houve brilho nos golos, afinco no controlo do jogo e algumas jogadas geniais acabaram por aquecer os corações, já que as extremidades não tiveram a mesma sorte. Allez à les notes:










(+) Hulk  É actualmente O jogador de decisão no FC Porto. Com Moutinho um pouco mais apagado que no início da temporada e Falcao afastado tanto tempo por lesões sucessivas, Hulk é o verdadeiro abono de família cá do burgo. O jogo está preso? Passem para o Hulk. O meio-campo não roda a bola com velocidade? Passem para o Hulk. O Varela está preso de movimentos? Passem para o Hulk. Todo o nosso jogo depende dele, das arrancadas e dos remates de longe ou de perto, a presença dele torna o nosso jogo melhor, tão melhor que os adeptos já lhe perdoam uma ou duas parvoíces de fintas impossíveis porque...nunca se sabe o que dali vai sair. Merece a chamada à Selecção.

(+) James  Está a evoluir bastante na equipa e marcou hoje um golo que lhe vai valer ainda maior confiança dos adeptos. Villas-Boas apostou no puto na altura certa e parece cada vez mais adaptado à equipa e ao nosso futebol. Ainda tem muito para aprender, especialmente quando recebe a bola em zonas de decisão, porque parece enervar-se e tenta passar a bola rapidamente ou rematar sem grandes hipóteses de sucesso e acaba por se atrapalhar, como hoje sucedeu algumas vezes. Precisa de continuar a melhorar mas tem talento que chegue e sobre para ser um elemento activo no plantel.

(+) Rafa  O melhor jogo de Rafa com a camisola azul-e-branca acabou por ser, ironicamente, vestido de amarelo. Deu continuação à boa exibição de Aveiro com uma excelente partida hoje à noite, inteligente no corte, perfeito no domínio de bola pelo flanco (fez uma "picadinha" para passar por um jogador do Nacional que lhe valeu um belo aplauso) e até os cruzamentos estavam a sair bem medidos. Se jogar sempre assim, com Sapunaru no outro flanco a manter o nível alto desde o início da época, Fucile está com a vaga no onze tapada.

(+) Sapunaru  Muito bem, mais uma vez. Foi menos explosivo que Rafa mas igualmente bem no controlo defensivo da zona que lhe estava reservada. Tentou sempre subir com força e alguma cabeça, aparecendo várias vezes na entrada da área ou até lá dentro (a heresia!) e se tivesse sido melhor servido por Belluschi (que parece por vezes passar a bola com mais força do que remata, admita-se) até podia ter marcado um golinho. Que época está a fazer o romeno!











(-) Varela  Não está em forma e nota-se na forma como aborda a maioria dos lances. Parece distraído e alheia-se das jogadas quando é obrigado a rodar rapidamente e fazer um sprint com a bola controlada parece tão fora do seu alcance como o Brad Pitt para a Odete Santos. Com Hulk a jogar ao meio Varela parece perder-se ainda mais, porque a grande maioria das bolas que lhe foi parar acabaram retornadas a Rafa ou perderam-se pela linha final. Começa a ser penoso vê-lo na equipa titular.

(-) Falhas técnicas (outra vez) na defesa  Não me incomoda nada quando vejo um jogador a atrasar a bola para o guarda-redes. Por vezes é a melhor forma para libertar a pressão de um ou mais adversários e rodar a bola para zonas mais tranquilas. O problema nesta equipa do FC Porto acaba por ser a forma como os defesas (principalmente os centrais e Fernando) parecem incapazes de controlar a bola com a concentração necessária e vêem-se quase sempre incapazes de simples passes que permitam progredir no terreno. Hoje notou-se perfeitamente o nervosismo de Rolando e Maicon com a bola nos pés, havendo alturas em que quase se notava o proverbial feijão a sair dos calções, tal apertado estava o orifício em que tentava entrar. Há que melhorar nessa área.



Neste momento, com um jogo a mais, temos provisoriamente 11 pontos de avanço (que serão 12 porque não acredito que possamos perder na Luz por mais de 5 golos e tenho fé que nem sequer perdemos) e faltam agora 12 jogos para terminar o campeonato. Desses 12 jogos, 5 serão no Dragão e outros 7 fora de casa. Dependemos apenas de nós e temos tudo na mão para vencer esta treta e a jogar como fizemos hoje, contra uma equipa forte e matreira, somos os grandes candidatos a chegar ao final no topo. E agora há que tentar um pequeno milagre no Sábado e esperar que este mesmo Nacional fraqueje contra o Beira-Mar...

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Nacional

André, miúdo maduro!

Ouvi, como muitos, o que disseste acerca da sede de vingança da malta sobre o jogo contra o Nacional. Até compreendo que digas que é fácil cair na perigosa tentação de ir para a frente à força toda, rasgando camisolas e desfazendo relva, cotoveladas e empurrões ao barulho, só para mostrar aos rapazes da ilha de que massa somos feitos.

Estiveste bem. Mas...

Mas a malta que vai estar nas bancadas naquilo que se prevê que seja um fim de tarde inclinado para o fresquinho na cidade do Porto, onde a brisa que se tem sentido nos últimos dias só vai ajudar a arejar as cabeças quentes, essa malta quer é ganhar. E quer ganhar porque já estamos fartos do Nacional da Madeira ganhar pontos no Dragão, seja em que competição fôr.

E faz-me um favor: explica aos teus meninos que ninguém aqui no burgo lhes leva a mal se jogarem de collants, luvas, samarra e gorro. Já disse que vai estar frio?

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Que pena, Leonor!

"Toda a argumentação dos defensores públicos de Hulk, Sapunaru e companhia, que pretendem ver os agressores como vítimas de provocações por não-agentes desportivos, é, sem querer ofender o chamado Terceiro Mundo, um exemplo de terceiro-mundismo mental e, pior ainda, querendo fazer dos outros estúpidos."

Leonor Pinhão in A Bola, 15 de Janeiro de 2010, sobre o caso do túnel da Luz.

É uma pena ter deixado de ler o que escreves n'a Bola, Leonor.
É que agora estou mesmo com vontade de ler o que vais escrever com a espinha feita num oito.

Leia Mais...

He shoots...he scores!

"É um assunto que diz respeito ao Conselho Disciplinar da Liga, mas cada um é responsável pelos seus atos. Mas foi notória uma discrepância de comentários comparativamente ao que aconteceu quando fui expulso em Guimarães e em Alvalade. Disseram que eu era um miúdo que não reagia à pressão, que não me sabia comportar mas, pelos vistos, o graúdo faz figuras piores. Daí noto que tenha havido uma discrepância nos comentários que foram feitos."

in Publico, 24 de Janeiro de 2011

Para Villas-Boas não há dúvidas. “Há um proteccionismo a determinados clubes e personagens por parte de alguma comunicação social”, disse. “Não é conjuntural, é cultural. Mas nós agradecemos porque é isso que nos faz fortes”.

in Record, 24 de Janeiro de 2011

É das poucas vezes que concordo com a farpa de Villas-Boas. Bem dito, bem explanado. Perfeito.

Leia Mais...

Que pena, Ricardo!

"O leitor deseja agredir alguém? Um vizinho, um familiar, um desconhecido qualquer? É fácil: diga que foi provocado. As provocações, sejam de que tipo forem, justificam qualquer agressão. Uma anónima agrediu o Papa? Foi, de certeza, vítima de uma armadilha bem urdida. O marido bate na mulher? É impensável que a tenha agredido sem que tivesse havido forte agravo. Toda a gente sabe que os agressores são, em geral, gente ponderada e cordata, que só opta pela violência física caso seja vítima da afronta mais grave, mais perversa e mais criminosa que pode ser perpetrada: a provocação. Não será por acaso que a lei portuguesa prevê molduras penais extremamente pesadas para homicidas, violadores e autores de provocações."

Ricardo Araújo Pereira in A Bola, 10 de Janeiro de 2010, sobre o caso do túnel da Luz.

É uma pena teres deixado de escrever n'a Bola, Ricardo.
É que agora gostava mesmo de ler o que conseguias escrever com a espinha feita num oito.

Leia Mais...

O "novo" Castro


Graças ao Record já percebo porque é que Castro foi emprestado! Com tantos "extremos" no plantel actual, compreende-se que não tivesse espaço...

Leia Mais...

A persistente dúvida

Correio da Manhã

Rádio Renascença

Se até o Record e Bola dizem que é falta...imaginem qual não serão os estagiários facciosos, borbulhentos e claramente masturbadores em excesso (diz que tira a visão, só por isso) que estão a escrever os artigos aos sábados à noite nas redacções destes dois antros.

Leia Mais...

Um amigo é sempre bem-vindo!




E a claque voltou a cantar: "Lucho, Lucho, Lucho Gonzáleeeeeez...Luchoooooooo Gonzáleeeeeeez!!!"

Continuo a dizer que foi dos melhores jogadores que vi com a nossa camisola. Fica a homenagem.

Leia Mais...

Baías e Baronis - Beira-Mar vs FC Porto

Foto retirada do MaisFutebol

O jogo foi um tédio. O FC Porto esteve lento, insípido e desinspirado, dependendo dos arranques de Hulk e de James para imprimir velocidade ao jogo e do esforço de Belluschi na recuperação e criação de lances de ataque. O resto foi um deserto de ideias e algum nervosismo bem apontado por Villas-Boas que, como todos, notou que as decisões foram quase sempre erradas na altura de levar a bola para a frente em condições. Foi uma vitória importante (mais uma) num jogo fácil que nunca teve o resultado em causa, mas que podia e devia ter sido mais bem jogado. Vamos a notas:










(+) Hulk  Ao meio ou nos lados, a verdade é que este rapaz é o nosso abono de família. Conseguiu sacar o penalty que deu a vitória e notava-se que sempre que pegava na bola e começava a correr com ela, os defesas do Beira-Mar iam progressivamente recuando tal era o cagaço que Hulk pudesse acelerar ainda mais. Um golo, uma exibição agradável e a certeza que está em forma e com vontade de jogar.

(+) Belluschi  Não foi o Belluschi do início da época mas foi mais clarividente que Moutinho na (pouca) organização de jogo do meio-campo portista. Mas o que mais deve ser destacado na exibição do Nandinho foi a disponibilidade defensiva, a ajudar nos dois flancos com carrinhos de recuperação e a apoiar muito bem tanto Sapunaru como Rafa. Gostei muito de ver o argentino hoje em Aveiro.

(+) Fernando  Por muito bem que Guarín tenha jogado desde que Fernando se lesionou, as coisas são diferentes com o "polvo" em campo. Quando o Sr.Reges por lá anda e tem a cabeça no lugar, o jogo é mais fluido, a recuperação defensiva é mais eficaz e a segurança que o meio-campo mostra é bem mais compacta e garante uma maior solidez para os avançados estarem mais descansados. Quase perfeito na cobertura dos lances pelo meio, ainda teve tempo para algumas incursões ofensivas bem orientadas.

(+) Helton  Sempre seguro, sempre confiante e sempre a transmitir calma aos colegas. Esteve perfeito nos cruzamentos (e houve muitos, tantas foram as faltinhas de caca nas zonas laterais defensivas, convenientemente teatralizadas pelos avançados do Beira-Mar) e não deu uma hipótese a que houvesse perigo para a nossa baliza. Num jogo em que o resultado estava no 1-0...era exactamente o que precisávamos.











(-) Varela  Se lhe pintássemos a cara de branco e mudássemos o número na camisola para 11, a produtividade de hoje não se teria estranhado tanto. Varela esteve mal (ao contrário do que já li no MaisFutebol, por exemplo) e nunca mostrou qualidade de jogo para se manter em campo mais do que vinte minutos. É verdade que fez o cruzamento que originou o penalty mas qualquer um podia ter mandado a bola em balão para a área e beneficiado da falha do guarda-redes. Sempre que pegava na bola o jogo travava, e sabendo que Hulk estava ao meio e o FC Porto teria de usar os flancos para arrastar a bola para a frente e dar velocidade à partida, era imperioso que tanto Varela como James funcionassem em rotação elevada. James, dentro do género, fê-lo. Varela não.

(-) Passes falhados  Chateia-me reparar que jogadores tão bons e a jogar ao nível mais elevado que pode haver no nosso campeonato tenham falhas tão grandes e tão evidentes do ponto de vista do acto mais simples de um jogo de futebol: o passe. Tantas vezes se viram passes ridículos, desmarcações mal feitas e falhas técnicas que não podem surgir neste patamar de exigência. Os jogadores do FC Porto, aqueles que gostamos de ver a jogar pela garra, pelo esforço e pelo empenho, mostram-se muitas vezes tecnicamente muito abaixo do que deviam, por serem disciplentes ou por pura incapacidade, é frustrante por vezes ver um jogo com tantos passes falhados. Gostava de os pôr a tentar acertar num poste durante 10 minutos. Aposto que poucos o conseguiriam.



Tal como na passada quarta-feira, não há muito a dizer sobre o jogo de hoje, mas os motivos são diferentes. Se no jogo da Bwin Cup o resultado surgiu fruto de uma primeira-parte muito forte e de uma réplica quase nula dos aveirenses, este apareceu com um penalty quase caído do céu e que nos acabou por dar o descanso que procurávamos desde o início, com maior ou menor clarividência. Na próxima quarta-feira, contra o Nacional, é o que precisamos: ganhar. Mas era bonito fazê-lo a jogar melhor do que fizemos hoje.

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Beira-Mar

André, ex-proto-jornalista-desportivo!

Parece que ainda há três dias estive aqui neste fórum a aquecer-te as orelhas para te aconselhar com o meu humilde e muitas vezes insipiente discurso acerca da melhor forma de abordar um jogo de futebóli. Parece ainda que há algumas semanas que o faço, tal tem sido a enxurrada de jogatanas que a tua/nossa equipa tem disputado. É a vida, rapaz, calha a todos, e a nós tem-nos calhado muito.

Mas nunca desanimar! Sei que jogaste contra o Beira-Mar na quarta-feira e que correu muito bem, mas hoje é diferente. Nem os nossos nem os deles vão ser os mesmos, por isso podemos considerar o jogo do Dragão como um ensaio geral para uma ópera, libretto guardado e roupas vestidas mas a voz, essa bela voz, a meio gás. Hoje, tudo vai ser diferente, porque o jogo é fora, porque o adversário é jeitoso e vai jogar melhor do que fez para a Bíuíne Cup, e porque, admitamos, o interesse pelo desafio é bem maior.

Ainda por cima tens a grande vantagem de poder ser um treinador que entra na corrida para a Bola de Ouro dos Elementos. Já jogaste na neve, numa piscina e agora no meio do que parece vir a transformar-se num furacão de grau 16! (se a inclinação do lampião - é mesmo um lampião, não um alcoolizado benfiquista - do outro lado da rua servir para alguma pista) Só te falta jogar no deserto...se bem que as bancadas do Municipal de Aveiro, se continuar este vendaval, é possível que tal aparentem.

Vamos a isso. Hasta la viiktórya, siempre!!!

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

My name is Viiktórya. Lyonce Viiktórya.

Vou fazer (e espero que me perdoem pela heresia) uma curta incursão num mundo que anda quase sempre de mãos dadas com o futebol actual, a azeiteirice.

A notícia, bombástica como poucas, saiu ontem. O nome da filha de Luciana "Floribella-tem-novas-mamas" Abreu e Yannick "Forrest-Gump-africano" Djaló, nascida a 13 de Janeiro, foi ontem divulgado.

Lyonce Viiktórya.

Para além do óbvio bom gosto dos babosos pais, urge congratular o casal pela feliz escolha do nome para a cachopa. Não me lembro de ver uma preparação tão antecipada de uma brilhante carreira para a filha na área do entretenimento nocturno, nomeadamente na secção das danças exóticas. Stripper, portanto. Se conseguir ultrapassar a quantidade inusitada de tareias que vai levar até chegar ao liceu, entenda-se. Reparem no cuidado da eslavização dos dois "i" no segundo nome, como que a facilitar o trabalho do MC quando tem de chamar a próxima bailarina para o varão central, em que nem precisa de fazer aquela parvoíce do "E agora, o vosso aplauso para Solange Deniiiiiiiiise!", porque já está contemplado no apelido. Limpinho.

Parece inclusive que já estou a ouvir a Lucy, do alto da sua voz bolhoneira, a gritar para a catraia: "Lyonce! Lyonce!!! Liounce Biquetória!!! Já aqui à mánhe, caralho!", enquanto que um ou outro transeunte lhe perguntam onde é que ela viu o cãozinho pela última vez.

Pensando já no futuro, há uma terra no País de Gales chamada Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogoch. Fica a sugestão para o próximo rebento. Porque, quer queiramos quer não, o ventre da Luciana Abreu vai voltar a ser notícia.

Leia Mais...

Ah, João, how we missed thee...



(por favor abstraiam-se dos comentários do Valdemar Duarte e do João Querido Manha)


Da última vez que apanhámos com este rapaz em Aveiro, aconteceu isto:

"Não há muito a dizer sobre esta besta. É raro falar sobre árbitros, como sabem, mas desta vez não tenho outra hipótese. Aproveito para pedir desculpa aos vizinhos da minha cunhada pelos guinchos que ouviram do apartamento dela. Era eu, sempre que via uma cotovelada ou uma patada de pitões em riste a cravarem-se na inocente pele dos nossos jogadores, e que João Ferreira ou não via ou, quando via, admoestava com singelos cartões amarelos. Para além disso, fica-me na retina a forma como quando Álvaro está a reclamar cartão a Carlos Martins, João Ferreira coloca-lhe a mão no pescoço. Álvaro, espantado, tira-a de lá e leva amarelo. Não é mau árbitro a nível técnico, mas disciplinarmente evidenciou claramente a sua côr. Só não mostrou o cartão que é feito dela a quem merecia."

Sabendo-se que não vai lá estar Álvaro Pereira, esse energúmeno provocador que ousou colocar a fronha contra a mão do árbitro, em que tromba de que jogador do FC Porto é que João Ferreira vai encostar a manápula? Aceitam-se ideias.

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Beira-Mar

Foto retirada de www.fcporto.pt

Dei comigo por várias vezes a meio do jogo a dizer: "Porra, estamos a jogar bem melhor do que estava à espera!". Foi uma exibição muito agradável, com excelentes trocas de bola entre jogadores teoricamente menos entrosados, somando alterações a meio-campo mas mantendo uma facilidade de mutação de posições e de subidas com boas compensações. Muitos plurais, peço desculpa. O resultado, criado na primeira parte, foi gerido de forma prática e eficiente na segunda, com Hulk e Moutinho a poderem descansar um pouco na segunda, já que depois do trabalho estar feito não era preciso muito mais correria. Decepcionou-me um pouco a fraca resposta do Beira-Mar...só espero que no sábado estejam iguais ao que mostraram hoje. Vamos a notas:










(+) Walter  Não podemos comparar o rapaz a Falcao. Tem um estilo diferente, uma velocidade diferente, paga um escalão diferente nas portagens, em suma, é diferente. Mas lá vai começando a marcar alguns golos...não, corrijo, continuando a marcar golos ao melhor estilo Faríasiano. Mexeu-se bastante melhor hoje na frente de ataque, com um golo, uma assistência e um remate que deu para Fernando espetar uma sarda das antigas na baliza Norte. O brasileiro (de 20 anos, recorde-se) está com garra, com vontade e com algum faro. Com Falcao de fora por algum tempo e alguma aparente renitência em entrar à tolo no mercado de inverno (que agradeço), parece que Walter está a tentar afirmar-se como uma alternativa credível. Ainda bem.

(+) Fernando  Um tiraço para o fundo das redes e uma exibição bem acima do que fez no último jogo em que interviu. Foi prático, rápido a subir no terreno e aproveitou a sorte de ter um meio-campo fraquinho à sua frente para entrar como queria pelo terreno inimigo e trocar a bola bem mais à frente do que seria previsível. Cabe a Villas-Boas optar entre ele e Guarín...sim, custou dizer.

(+) Hulk  Foram só 45 minutos, sem marcar um único golo. Parece pouco tendo em conta a recente produtividade do brasileiro, mas a quantidade parva de remates que fez à baliza do Beira-Mar (um dos quais originou o primeiro golo) chegou para marcar a diferença. Fez o suficiente para sair ao intervalo satisfeito pelo que fez.

(+) Emídio Rafael  Marcou. Sim, marcou. Para além disso fez o jogo mais decente com a nossa camisola, mais concentrado e com menos nervos, o que me faz crer que ainda pode ser alternativa. Com Sapunaru como titular indiscutível à direita e Fucile longe da melhor forma, a titularidade em Aveiro pode ser uma boa oportunidade de confirmar o crescendo de forma. Isto, obviamente, se Villas-Boas o escolher para o flanco esquerdo da defesa em detrimento do uruguaio...











(-) Isqueiros, telemóveis e afins  Há algumas vantagens em ver o jogo pela televisão. Para além das repetições e de conseguir estar na presença auditiva de uma das maiores grafonolas da televisão portuguesa (o Sr.Santos, entenda-se), é possível observar alguns pormenores que não é possível vislumbrar ao vivo. Hoje, reparei em isqueiros e telemóveis que foram discriminadamente arremessados para a zona do relvado onde se encontrava o guarda-redes do Beira-Mar, provenientes da Superior Sul do Dragão. Porquê, perguntarão? Não sei. Nunca sei. Só sei que quando vejo esse tipo de actos, a primeira imagem que me surge na moleira é a do início do 2001 de Kubrick: símios, a usarem um osso como arma, a manifestarem a sua indignação da maneira mais indigna possível. Chamem-me pedante à vontade, mas alguém que não tenha problemas mentais profundos e que vá para um jogo de futebol para atirar objectos para o relvado só pode ser tratado à pancada ou com choques eléctricos.

(-) Ruben Micael  Palavra que não entendo. Um jogador que no ano passado não deslumbrou mas mostrou sempre ser competente, com uma clarividência acima da média e uma capacidade de passe e de criação de rotinas ofensivas...transformou-se num rapaz medroso e a mostrar talento para pouco mais que rodar a bola para o sítio mais fácil sem subir no terreno, sem rupturas, sem força, sem garra. Está muitos furos abaixo do que pode e sabe fazer, mas qualquer coisa se passa para que mostre tão pouco em campo.



Não há muito a dizer sobre o jogo de hoje. A vitória do Nacional frente ao Gil Vicente acabou por condicionar as nossas hipóteses de apuramento por isso o que podíamos fazer era colocar o pé a fundo e tentar fazer com que a vitória fosse nossa para ainda termos alguma esperança na passagem às meias-finais. E esperar que o Beira-Mar não se queira vingar no sábado, porque esse jogo é bem mais importante que este que hoje se disputou.

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Beira-Mar

André, taceiro!

Pá...não há muito a dizer. Despois daquela brincadeira que saiu caro à equipa, a ti e ao Kieszek, que ainda deve estar a pensar como raio é que largou a bola daquela maneira, agora não há hipótese de falhar mais. É verdade que a Taça da Liga (ou BWIN ou Lucílio Baptista ou Carlsberg ou Estores Carvalho ou lá como lhe quiserem chamar) não será propriamente a competição que mais interessa, mas ainda assim, enquanto por lá estivermos, é para ganhar.

Tu sabes disso, os adeptos sabem disso...será que os jogadores também sabem? Pelo que vimos no jogo contra o Nacional, a resposta não pareceu muito simpática, e é por isso que contamos contigo para explicares aos moços que não se pode brincar em serviço. Já demos uma folga este ano, não deixes que comecem a pensar que só jogamos a sério pró campeonato ou prá Óroliga, homem!

Vamos lá equipa!

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Demografia da bola




Infografia interactiva retirada do Público, descoberto no Briosa



O número para a percentagem de aproveitamento dos escalões jovens é ridículo quando comparado com a grande maioria dos países de "topo". Reparem nos valores da Holanda e da Bélgica (entre outros), países que se podem comparar connosco em termos de dimensão territorial e demográfica. Até podemos não aproveitar todos, mas não me digam que não temos rapazes na formação que possam fazer o mesmo que muitos estrangeiros que cá aparecem. Aqui não há xenofobias nem racismos, simplesmente a constatação que não precisaríamos deles se houvesse uma aposta na rentabilização da catraiada. As dualidades Mariano/Ukra ou Souza/Castro surgem rapidamente como bons exemplos.

É uma parvoíce e continuo a não perceber o fluxo constante de sul-americanos que aparecem sempre acompanhados pelos seus empres...ah, ok, se calhar já percebo.

Leia Mais...

Maracas. MARACAS!!!





O video é antigo mas foi-me enviado hoje e deu para rir novamente. Não sei se a figura mais ridícula é a de Dias Ferreira que não sabe a letra, de Bettencourt com as maracas, ou do sósia do Moratti com a camisola amarela do Sporting.

Leia Mais...

Neodragologismos: Fucilitar

"Fucilitar"


v. trans.
1. Transformar uma situação em que um indivíduo que possua talento natural mais que suficiente para a ultrapassar sem dificuldades num caso sério de perigo para a sua integridade profissional e moral.

s.m. 
2. Agir como Fucile.

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Naval


Um jogo fácil contra uma equipa fácil, marcando golos fáceis e tendo falhanços que deviam ter sido golos fáceis, acabando por facilitar e permitir um golo a uma Naval que não tinha feito quase nada por isso. O momento parece simpático e a forma como o trio de ataque regressou em força acabou por demolir qualquer hipótese que o adversário podia pensar ter de sacar um pontinho do Dragão. Particularizando, com Falcao no ataque, a conversa é outra. Vamos a notas:









(+) Falcao  Com este menino...as coisas piam fininho. Mais um golo apontado mas acima de tudo nota-se a sua presença no estilo de jogo e no aumento probabilidade de não perdermos a bola quando os médios ou os centrais enviam a bola para o centro do terreno, aproveitando o jogo de pivot do ponta-de-lança quando descai para apoiar o fluxo de organização do ataque. É totalmente diferente ver Falcao no meio, solto, inteligente, a aparecer no espaço e a mostrar o porquê de ser um dos principais jogadores do FC Porto 2010/2011.

(+) Hulk  Não há volta a dar, o rapaz está a marcar que se farta e mantém a média de um golo por jogo na Liga. Hoje foram mais dois e mais uma boa exibição apesar da sensação permanente que Hulk está em gestão de esforço. Um toque nos primeiros minutos do jogo levou a que o brasileiro andasse mais escondido na primeira parte mas a facilidade com que, de um momento para o outro, apareça um míssil de longe ou um rasgão pelo flanco deve ser tramado para qualquer defesa.

(+) Varela  Não foi o melhor jogo do nosso 17 e confirmou as minhas expectativas: ainda não aguenta 90 minutos. Está um pouco lento a executar e ainda não dá para aqueles sprints loucos pela linha. A diferença de escolher Varela em detrimendo do jovem Rámés está no calo. Varela é mais experiente, mais esperto, mais ciente de quando fazer o que quer fazer e quando guardar a bola para não a perder. O primeiro golo é um exemplo perfeito da frase anterior, em que apareceu imediatamente para recolher a bola de Fucile e assistir Falcao em frente à baliza. Varela é um dos elementos fulcrais do FC Porto e espero que melhore o nível físico rapidamente para voltarmos a ter os três da frente em grande forma.

(+) Otamendi  Aposto que o jovem Nico, enquanto puto a crescer nos bairros de Buenos Aires, deve ter brincado na lama toda a sua infância. O gajo adora, mas ADORA andar no chão e parece disfrutar tanto da experiência que passa a vida a deslizar pelo relvado. Estilos, dirão, já que Rolando, ao contrário, é habitualmente mais hirto que uma barra de ferro, quase sempre de pé e raramente se rebaixa a sujar o seu imaculado calção azul. Essa diferença de estilo não quer dizer que sejam maus defesas, só que são diferentes. Nico Otamendi, no chão, corta quase todas as bolas que se lhe aparecem pela frente (e pelos lados), com um timing excelente e uma capacidade prática bem acima da média. Gosto deste rapaz.











(-) Fucile  Voltou o Fucile perdulário, distraído e a facilitar. O penalty é absurdo per se mas era expectável pelo mau posicionamento constante do uruguaio que ia permanentemente até à zona central e deixava o extremo sozinho com metros de espaço para correr. Villas-Boas tem de lhe martelar na cabecinha que tem de estar concentrado de início a fim do jogo e não chega brincar um bocadinho ao jogador para depois deixar os pobres adversários fazerem dele o que querem. Talvez por não conseguir ganhar o lugar a Sapunaru como defesa-direito e achar fácil demais ser escolhido para o outro flanco pela inépcia e nervosismo de Emídio Rafael, Fucile está complacente.

(-) Ineficácia  Houve muito desperdício, especialmente no início da segunda parte e depois do terceiro golo, que levaram a que um jogo que poderia ter dado goleada das antigas se tornasse num evento mais calmo, pacífico (até demais, em alguns momentos) e tranquilo. Muitos remates ao lado e hesitações a mais na altura de rematar à baliza não ajudaram a construir um resultado mais volumoso que os adeptos gostariam mais de ter visto.

(-) Foras-de-jogo a mais  Foram oito os foras-de-jogo assinalados a jogadores do FC Porto, um número que me pareceu excessivo. Admito que ainda não confirmei em relação a outros jogos mas neste ficou-me na retina a sequência de desmarcações falhadas e de maus posicionamentos em linha com os defesas da Naval, que jogando um pouco mais subidos acabaram por condicionar as jogadas de ruptura do nosso meio-campo. É preciso rever a movimentação do ataque para evitar estes números.



Nada de especial se passou hoje à noite no Dragão. Foi mais um bom jogo de uma boa equipa que está a fazer um bom campeonato. A Naval, pobre em talento mas rica em esforço, não conseguiu afectar uma equipa que parece voltar a estar confiante apesar de me parecer faltar algum killer-instinct em frente à baliza. O FC Porto é uma equipa que joga prático e joga simples, usa os jogadores que tem nas suas melhores posições possíveis e as adaptações que o onze base tem recebido acabam por beneficiar a equipa a médio prazo, como se viu em Guarín e em Otamendi, elementos que actualmente são titulares por mérito próprio. Mais um jogo, mais uma vitória, mais dois golos de Hulk. Já deixou de ser notícia há algum tempo.

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Naval

André, reiniciador de campeonato!

Até gosto de ópera, admito. É um espectáculo que é, à semelhança de um jogo de futebol, muito melhor visionado in loco do que em casa, sentado em frente à televisão, mesmo que se tivesse um copo de whiskey velho na mão e um Cohiba entre os dedos da outra mão...pera lá, e para mudar de canal no intervalo?...está a ficar complicado isto, é melhor chamar a mulher para servir de apoio...sim, querida, já vou!

Voltando ao assunto, gostei da tua conferência de imprensa de sexta-feira. Como de costume. Estás um mestre na maneira de lidar com os adeptos, na simplicidade com que atiras os jornalistas para os cadernos a escrevinhar com a energia de um jovem de 14 anos na fila para o último Harry Potter, obrigando-os a pensar em algo mais que o veneno nas suas perversas mentes. Gosto de te ouvir, rapaz.

Quanto a este jogo, nem quero entrar pelas metáforas da "Batalha Naval" ou "espero que não vão muitos tiros à água", wakka wakka wakka!!! Nem tão pouco vou pedir para ganhares porque a tua contra-parte figueirense é o Mozer. Não tenho nada contra o rapaz, lá por se inclinar para o Benfica para ganhar uns cobres na TVI não quer dizer que seja má pessoa. O que eu quero, André, é que a equipa entre em campo e a faças alinhar com o trio de ataque do costume...se bem que cheira-me que vais espetar o James e o Hulk com o Falcao no meio (...acertei?) mas seja quem fôr que vá jogar, o que é preciso é limpar mais três pontos.

No domingo vê-se. E é para ganhar, para entrar na segunda volta com todo o gás!

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Planeta Azul Nº17 - Nuneaton Town FC


Planeta Azul Nº17 - Nuneaton Town FC







País: Inglaterra

Leia Mais...

Entrevista ao Tomo I

Mais uma vez, correndo o risco de me auto-promover descaradamente, mas fica o link para uma entrevista que dei ao blog do Miguel, aqui:

http://miguel-lima.com/?p=2083

A não perder por entre muita parvoíce, os meus melhores onzes de Baías e Baronis. Sim, vale a pena.

Leia Mais...

Isto sim, é uma grande notícia!


Não tenhamos ilusões: o regresso de Falcao à equipa é tão importante para a estabilidade táctica do FC Porto como um passaporte falso para o Vale e Azevedo.

Lá estaremos no Domingo, Radamel. Bienvenido de nuevo!

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Pinhalnovense


Enquanto bebia mais um golo do meu copo de vinho, parecia que o jogo se tornava mais longo. Os ataques sucediam-se, nem sempre com a incisividade que se pedia e longe do fulgor da segunda parte frente ao Marítimo, mas eram constantes e sempre no mesmo sentido. Não se esperava outra coisa, porque o Pinhalnovense, apesar de se bater com galhardia e inteligência, não apresentava argumentos capazes de fazer com que o jogo invertesse o rumo natural. Ainda assim, foi pouco, foi (mais) um jogo em que não conseguimos fazer fluir o futebol melhor que temos e que acabamos por resolver, aqui sim à imagem do que se passou no Domingo, à bomba. Há 4 dias foi Guarín. Hoje, calhou a vez a Hulk. Vamos a notas:










(+) Hulk (os golos)  E se um rapaz rematar à baliza com força...é possível que seja o Hulk. Num jogo em que os movimentos conjuntos não conseguiam criar perigo para a baliza de Pedro Alves a não ser em remates quase inócuos, há que colocar a bola naquele que sabe mesmo rematar. E o primeiro golo, quase a papel químico do seu golo contra o Marítimo (o segundo do FC Porto), foi o abre-latas perfeito para uma situação que se começava a tornar perigosa e entediantemente perto de um prolongamento que os de azul-e-branco procuravam e que nenhum "amarelo" queria.

(+) James Rodriguez  Nota-se bem a diferença das primeiras para as segundas partes na produtividade do jovem colombiano. Entra tímido, recolhido, tristonho, mas quando está a jogar há vários minutos começa-se a soltar e a libertar a capacidade técnica e de ruptura aparentemente lenta mas continuamente em progressão que tem vindo a demonstrar. Pode ser bem melhor aproveitado a jogar no centro do terreno em vez de ser colocado nas alas, o que o faz uma alternativa excelente para um modelo em 4-4-2, como Villas-Boas experimentou na segunda parte.

(+) Belluschi  Foi irreverente e sempre que teve a bola nos pés tentou arrastar o jogo para a frente e/ou para os lados, fazendo o que Ruben teve grande dificuldade para conseguir. Era invariavelmente por ele que a bola passava nos movimentos ofensivos da equipa e ainda que as coisas não lhe tenham corrido sempre bem, não consigo censurar um jogador que coloca nos seus ombros essa responsabilidade e consegue pensar o jogo de uma forma mais acertada que outro rapaz, qual Atlas, com o mundo às costas, como Hulk.

(+) Sapunaru  Sempre seguro, teve a noção quase perfeita de quando devia subir e quando se devia manter um pouco mais atrás. É complicado neste momento tirar-lhe o lugar e mesmo Fucile não vai ter vida fácil para ser titular.

(+) Pedro Alves (guarda-redes do Pinhalnovense)  Defendeu quase tudo o que podia e apesar dos remates nem sempre levarem grande força, muitos deles foram bem colocados e levaram a que este rapaz fosse o melhor em campo. Não fosse ele e a falta de pujança nas bolas que saíam dos pés dos nossos homens e a vitória tinha sido garantida mais cedo e por números bem maiores.











(-) Hulk (para lá dos golos)  Compreendo os adeptos quando o assobiam. Não o faço mas compreendo. É preciso ver, fazendo um pouco o papel de advogado do diabo, que em Hulk recaem sempre as expectativas do comum mortal Portista, como em Quaresma, Deco, Capucho ou Madjer antes dele. São os irreverentes, os loucos, os que parecem alhear-se do jogo mas que os colegas procuram quando não sabem mais o que podem fazer. E esses talentos em forma de futebolista reagem, com raras excepções, quase sempre mal a este tipo de circunstâncias em jogos contra equipas que estão um pouco abaixo no nível motivacional. "Ah mas ganham muito dinheiro e têm de jogar!", dirão. Pois é. E têm toda a razão. Todo este prélio para dizer uma simples frase: um jogador como Hulk tem de render muito mais num jogo contra o Pinhalnovense do que apenas dois bons remates que teve a fortuna de ver a bola a entrar. Muito mais.

(-) Emídio Rafael  Mais um jogo, mais uma prova que tem muito a aprender. Não sei se alguma vez será uma boa alternativa para jogar no lugar de Álvaro, já que quando Fucile estiver em condições acho que estará sempre à frente do português como escolha para a lateral esquerda. Continua nervoso, indeciso no passe, desconcentrado no posicionamento defensivo e inconsequente nos cruzamentos da ala. Posso estar a ser excessivo no nível de exigência mas acho que precisamos de um rapaz melhor ou pelo menos mais experiente.

(-) Fernando  Sei que está com pouco ritmo mas foi uma exibição muito fraca do "polvo". Pouca clarividência no ataque, mau nos passes curtos, incapacidade de rematar à baliza em condições, não será a jogar assim que tira o lugar ao rapaz que, do alto da sua loucura, tem ocupado o "seu" lugar de uma forma tão prática e livre de grande contestação.



Ainda que tivesse ido ao jogo, era incapaz de assobiar. Lamento sempre a idiotice do assobio e não creio que seja vantajoso para quem quer que seja, dos jogadores ao treinador. Mas compreendo alguma indignação com a lentidão e a inépcia de algumas decisões no final de um número inusitado de jogadas perdidas acabam por enervar a malta. Foi fraquinho mas estamos nas meias-finais da Taça e isso é que interessa, com melhores ou piores exibições. Deu para rodar alguns jogadores e para descansar outros. Venha o próximo!

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Pinhalnovense

André, debulhador/treinador!

Gostei de ver o jogo contra o Marítimo. Estávamos com inteligência, com alguma audácia mas acima de tudo muita calma e tranquilidade. Eu sei que não foste tu que cunhaste esse termo mas foi o que a equipa mostrou no Sábado à noite, e ainda bem.

Contra o Pinhalnovense é diferente. Sem Moutinho a orquestra pia de outra forma e o mais provável é que a tuba soe mais alto que o violino no ensemble de azul-e-branco que deverá pisar o relvado. Ainda assim, confiamos todos em ti para fazeres as melhores escolhas. Estranhei teres convocado a comandita toda e não optares por um ou outro muchacho dos unter-19, mas estou a ver que ficaste escaldado contra o Nacional. Também nós!

Não vou estar lá mas vou estar a ver numa casa recheada de benfiquistas, com um bom vinho tinto a regar uma bela refeição, como de costume. Não quero sair de lá mal disposto, vê lá a minha vida...

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Guarín...há um ano atrás

Ao dia 25 do ano da graça de 2010, escrevi o seguinte no Baías e Baronis referente ao jogo Estoril vs FC Porto, a contar para a Taça de Portugal:

"Em toda a minha vida como adepto portista já tive alguns belos presentes durante um jogo. Costa em Manchester, Mareque em Leiria ou Baroni...em qualquer um que tenha entrado. E ontem, meus amigos, tive mais uma entrada para o galarim dos piores jogos de sempre. O nome da abóbora de calções que entra para o Hall of Fame é nada mais nada menos que Fredy Guarín. Apesar de nada se poder dizer quanto à...não, esperem, vou recomeçar. Muito embora tenha sempre tentado...não, também não está bem. É melhor dizer as verdades primeiro. Guarín protagonizou os piores 45 minutos que há memória de ver um jogador do FC Porto a fazer desde há vários anos, ressalvando algumas muito más exibições que já vimos no passado (com Mariano no Top 5). Não conseguia dominar uma bola que fosse, e sempre que ia a correr para a tentar apanhar, o esférico já tinha saído. Foi atroz a maneira como perdia sempre a bola para o seu marcador directo quando tentava proteger a redondinha dos defesas e invariavelmente a perdia para o marcador directo. Apesar da atenuante de ter sido colocado a jogar como falso-interior-direito-barra-falso-extremo-direito por Jesualdo, nada pode justificar a total inépcia técnica que mostrou. Não chega arrancar feito louco pelo relvado fora com a bola mal dominada, marcar livres contra a barreira e dizer que se tentou. Este é um exemplo similar a Tomás Costa, que aparentemente sabe bem melhor o seu lugar. E o argentino, quando não sabe, manda a bola para fora. Guarín, como acha que sabe, tenta fintar (muito à imagem de Belluschi). E, como quase sempre lhe corre mal, perde créditos. E já tem poucos."

Sensivelmente um ano depois, verborreei estas palavras sobre o mesmo rapaz na mesma rubrica, no jogo FC Porto vs Marítimo da Liga ZON/Sagres:

"Em declarações depois do jogo, o colombiano disse: "Por vezes, saem disparates mas hoje marquei". Frase perfeita de um rapaz que, à imagem de Mariano, acaba por conquistar os adeptos à custa de suor, alguma atrapalhação mas muita luta. Os golos que apontou hoje foram a imagem de um rapaz que joga cheio de moral, com garra e capacidade de luta notáveis, a rodar a bola com simplicidade e certeza e que apesar de uma ou duas falhas por excesso de confiança nunca deixou de procurar fazer as coisas de uma forma prática e que permitisse aos colegas avançar com a audácia que era necessária. Já o critiquei tanto que parece que estou a assumir uma hipocrisia gritante, mas este Guarín que hoje vi a celebrar dois geniais golos não é o mesmo do ano passado. Está bem melhor e neste momento é titular por mérito próprio."

Não parece ser o mesmo gajo, pois não? Nem o que escreve nem o que joga.

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Marítimo

Foto retirada do MaisFutebol

O resultado é, de certa forma, enganador. Não fizemos um jogo brilhante, longe disso, mas consguimos manter a calma e o ritmo que não parecia querer surgir para as jogadas mais simples e de troca de bola mais tranquila acabou por ser rebentado à bomba com um míssil de Guarín a 37 metros da baliza, que foi sem dúvida um dos melhores golos do género que já vi. Acima de tudo, notou-se uma diferença na forma da equipa jogar, mais recuada e um pouco receosa, a sofrer os efeitos de não querer estourar fisicamente porque Janeiro e Fevereiro vão ser meses muito complicados e as pernas não dão para tudo. O que custou mais foi assistir à incapacidade de, na primeira parte, conseguirmos soltar as amarras da pressão alta do Marítimo, muito bem executada, e que agrilhoou o nosso meio-campo de forma a torná-lo pouco mais que inútil. Até Guarín decidir que ia largar chumbo do pé direito. Tudo melhorou e a vitória assenta-nos bem. Vamos a notas:










(+) Guarín  Em declarações depois do jogo, o colombiano disse: "Por vezes, saem disparates mas hoje marquei". Frase perfeita de um rapaz que, à imagem de Mariano, acaba por conquistar os adeptos à custa de suor, alguma atrapalhação mas muita luta. Os golos que apontou hoje foram a imagem de um rapaz que joga cheio de moral, com garra e capacidade de luta notáveis, a rodar a bola com simplicidade e certeza e que apesar de uma ou duas falhas por excesso de confiança nunca deixou de procurar fazer as coisas de uma forma prática e que permitisse aos colegas avançar com a audácia que era necessária. Já o critiquei tanto que parece que estou a assumir uma hipocrisia gritante, mas este Guarín que hoje vi a celebrar dois geniais golos não é o mesmo do ano passado. Está bem melhor e neste momento é titular por mérito próprio.

(+) João Moutinho  Não me canso, ao contrário de Miguel Sousa Tavares, de elogiar Moutinho. Só quem não sabe ver futebol é que pode criticar o rapaz por jogar calmo e raramente fazer passes de ruptura, apenas quando tem a certeza que a bola tem uma elevada probabilidade de passar pelos defesas. Caso contrário, João, o pequeno João, roda sobre si mesmo e procura um passe simples, uma variação de flanco, uma mudança de direcção, o atraso para o central ou o domínio de bola em progressão...tudo são palavras do léxico futebolístico do rapaz. É um deleite vê-lo a mandar no meio-campo da sua nova equipa ao fim de pouco mais de 20 jogos.

(+) Rolando e Otamendi  Quase perfeitos e a mostrarem uma simbiose muito acima do que esperaria. Rolando está em boa forma, a posicionar-se bem e a mandar no jogo, marcando o ritmo e orientando a defesa. Otamendi, por sua vez, menos bem no posicionamento mas milimetricamente perfeito nos cortes (abusas do carrinho mas vá lá que acertas limpinho na bola) e melhor a sair com a bola controlada. Os dois, tão diferentes, foram um bloco que não parece dar hipótese a Maicon neste momento. É mau para o brasileiro, é excelente para o FC Porto.

(+) James Rodriguez  Começou mal, lento e medroso, mas na segunda parte surgiu em excelente nível, com mais espaço e muito mais audácia, quase sempre que pegava na bola parecia que podia fazer algo de muito bonito. Continuo a achar que precisa de "inchar" a nível muscular e de ser mais rápido nos movimentos sem bola, mas podemos ter aqui um elemento muito útil para o futuro próximo.

(+) A ovação a Mariano  É paradoxal. Os adeptos que o aplaudiram serão muito provavelmente os mesmos que o vão assobiar daqui a umas semanas, mas hoje nada disso importava. Hoje, pelos 83 minutos, o Estádio do Dragão uniu-se em homenagem a um rapaz que trabalhou com humildade, acatou as opções da equipa técnica no início da época e sempre lutou para ser um deles, só mais um dos que jogam e fazem jogar. Mariano, capitão de equipa, é um exemplo para todos hoje confirmado com o público, os adeptos que nunca o idolatraram nem o irão fazer no futuro, mas que reconhecem, do fundo do seu coração portista e humano, que há ali valor. Não tem a técnica de James, mas tenta. Não tem a força de Hulk, mas luta. Não tem a velocidade de Varela, mas corre. E para nós, portistas, é um orgulho.











(-) Bolas paradas defensivas  Uma miséria, mais uma vez. A atenuante de Sapunaru estar fora a receber assistência não pode ser única responsável pelo facto de terem aparecido três (!) jogadores do Marítimo sozinhos e prontos para cabecear para a baliza, um deles a facturar e os outros apenas a controlar o espaço aéreo. Não sei o que se pode fazer de melhor, mas o posicionamento e o facto de não se acompanhar os jogadores que sobem na vertical acaba por ser um dos factos mais preocupantes da solidez defensiva da equipa.

(-) Lesões nas laterais  Venham de lá as bruxas. Álvaro, Fucile e agora Sapunaru?! Já começa a ser azar a mais. Temos alguma cobertura graças à polivalência de dois centrais (Otamendi para a direita e Sereno para a esquerda) mas é caso para pensar que é melhor pensar em ir à bruxa. Ainda se fossem lesões parvas como os outros que caem no chuveiro ou que se espetam de mota, mas assim é frustrante.

(-) Hulk ao meio  A equipa, principalmente na primeira parte, ficou muito presa de movimentos com Hulk a jogar a ponta-de-lança. Sem Hulk numa das alas a formação fica murcha, lenta, frouxa, incapaz de romper e tem de procurar outras alternativas que foram quase sempre barradas com inteligência (e algum jogo duro, há que dizê-lo) por parte do Marítimo, que carregou tanto o meio-campo com gente que Hulk nem conseguia quase receber a bola. Com o melhor "9" de fora (Falcao) e com a mensagem que foi passada a Walter de incapacidade para encher as botas de Radamel, Hulk perdeu muito do fulgor que transmite à equipa e notou-se. Na segunda-parte, particularmente depois da saída de Varela e da entrada de Fernando e a alteração para aquela espécie de 4-1-3-2, a equipa esteve melhor mas não o suficiente.



Em conversa com o José Correia do Reflexão Portista, que tive a sorte de encontrar antes do jogo enquanto tomava um café junto com o Miguel do Tomo I, quando soubemos que Hulk ia jogar no centro concordámos que a mensagem subliminar de Villas-Boas era: "É preciso outro ponta-de-lança.". É possível que tenhamos razão, porque não gostei de ver a equipa na primeira parte e apesar do resultado ser acertado tendo em conta a produção das equipas, não foi um jogo fácil. Ainda assim fica na mente o golão de Guarín, a boa exibição dos centrais e o cérebro de Moutinho. Acima de tudo, a vitória e a reunião com os sócios. Venham mais destes!

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Marítimo

André, mortal!

Custou estar no Dragão na semana passada, André. Foi muito difícil ver a equipa semi-desagregada na defesa e ineficaz no ataque. Chegou a ser penoso ver o Sereno a tentar não tropeçar e o Emídio a tentar cruzar para alguém de azul-e-branco, tal era a tremideira que tomou de assalto os nossos rapazes.

Este é sem dúvida o jogo mais complicado de Janeiro, tendo em conta os eventos do fim-de-semana que passou. Tens a oportunidade de recuperar os nossos rapazes mas acima de tudo de pegar outra vez na massa cinzenta dos adeptos e moldá-la para a mentalidade triunfadora e não tristonha como se viu esta semana. Estamos todos a pensar em ir ao Dragão para ver um bom jogo, especialmente este, em que queremos ver o teu e nosso FêQuêPê a partir tudo o que lhe aparecer à frente.

Vai chover, vai trovejar e vai ventar imenso. Se calhar não é boa ideia espetares com o Varela e o Fernando a titulares, ainda por cima depois das lesões os rapazes ainda devem estar com algum cagaço de entrar duro (se bem que o Fernando só deve ter medo da morte e dos impostos), mas uma coisa gostava de te pedir, se não fosse muita maçada: se te apanhares a ganhar com algum conforto, deixa entrar o Mariano. O rapaz é bom rapaz, o moço é bom moço e esforça-se sempre tanto, merece um rebuçadinho destes. Já passou as passas de Marrocos para regressar e vais ver que a malta vai-lhe dar uma salva de palmas enorme. Faz lá o favor ao povo.

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

He's back!!!!!!!!!

Lista de convocados do FC Porto para defrontar o Marítimo este sábado, pelas 19h15 no Dragão:

Helton, Kieszek;
Maicon, Rolando, Rafa, Sapunaru, Otamendi;
Guarín, Belluschi, João Moutinho, Souza, Fernando, Rúben Micael;
Hulk, Varela, Walter, James...

...e...

Mariano González!!!

Malta, vamos aplaudir o rapaz. E esperar que não tropece se entrar em campo.

Bem vindo de volta, jovem!

Leia Mais...

Alegadamente


Gostava de falar com o alegado jornalista do alegado portal de alegadas notícias que alegadamente produziu este último parágrafo. Só para lhe perguntar se ele alega que não percebeu que os termos que usou são notoriamente venenosos ou apenas se é, alegadamente, um "merdas".

Leia Mais...

© 2008 Por *Templates para Você*