Os (vis) cronistas da nossa praça: Manuel dos Santos

Ontem ao fim da tarde, enquanto batalhava para combater o tédio de mais uma jornada trabalho/casa, enfrentando as amarguras de uma estrada fria e escura polvilhada pela chuva que caía inclemente sobre os carros que atravessavam as artérias de acesso aos subúrbios da Invicta com o vagar que lhes é permitido, sintonizei a Antena 1 na telefonia sem fios do meu automóvel e ouvi a edição desta semana dos Grandes Adeptos.

Nela, como de costume, assistem-se a três posturas diferentes que se assemelham em muito ao que sucede no Trio de Ataque, com Vasconcellos a atacar porque sim, Guedes a ter de se defender todas as semanas das acusações (verdadeiras ou não, mas o que é que isso interessa?) de que é alvo e Oliveira e Costa a lamentar a má forma do Sporting. Nada fora do comum, portanto. A única diferença está em Manuel dos Santos, que tendo mais saber e eloquência bacoca que o realizador, acaba por monopolizar o discurso de uma forma que torna o diálogo impossível.

Ontem, cuspindo fel por todos os poros, Manuel dos Santos continuou com o seu estilo particular, semelhante a um velho alcoólico numa taverna, associando todos os males do mundo ao FC Porto, ao seu Presidente, à instituição, a tudo o que se pudesse remotamente ligar ao nosso clube. É já um hábito ouvi-lo a espumar naquele seu jeito tão comum noutros cronistas desta nossa garbosa praça, que acham tão giro dizer mal da maneira mais vil que imaginam, criando teorias, confirmando factos por si manufacturados, ocultando as verdades que não interessam e exacerbando as que lhes dizem respeito e acima de tudo enfiando na cabeça de muitos incautos ouvintes que nunca questionam (Céus, a heresia!!!) os comentários lavados a vermelho que proferem. É tal masturbação intelectual que aposto que relêem o que escreveram em frente ao espelho, talvez com uma balaclava na cabeça e uma fotografia do Saviola em frente, com o hino a tocar e a mão na ferramenta.

Manuel dos Santos é mais um desses geniais exemplos. Um deputado socialista que chegou a ser Vice-Presidente do Parlamento Europeu e Secretário de Estado do Comércio de Guterres, mentor da lei que impedia as grandes superfícies comerciais de abrirem aos Domingos, é uma figura respeitada no nosso país extra-futebol. Até o gosto de ouvir falar sem ser sobre bola, vejam lá. Mas ontem, mais uma vez branqueando o que deveriam ter sido expulsões de jogadores do seu clube, dizendo coisas como "tenho aqui todos os jornais desportivos e nenhum fala disso que o Miguel (Guedes) está a dizer", quando sabe perfeitamente que mente (ver aqui), ou então comprou a Marca, jornal mais próxima da sua cor e de editorial semelhante.

Já li muitos benfiquistas dizerem que o triunvirato de cronistas benfiquistas deveria ser composto por Ricardo Araújo Pereira, Leonor Pinhão e Manuel dos Santos. Se juntarmos a esses três rapazes outros nomes como Miguel Góis, Domingos Amaral, Fernando Guerra, António-Pedro Vasconcellos ou Rui Gomes da Silva, podemos juntar todos num saco e compôr um conjunto que me merece, a nível futebolístico, o respeito que reservo para as fezes de rato.

12 comments:

joshua disse...

Nem mais, meu caro. Que asco!

Abraço.

BiBotaDouro disse...

Desculpa lá mas é exactamente neste ponto que os nossos adversários têm razão:
"Guedes a ter de se defender todas as semanas das acusações (verdadeiras ou não, mas o que é que isso interessa?)"

O que é que interessa?
Se a maior parte das acusações são fundamentadas com imagens e escutas, e como tal verdadeiras, mas nós portistas não podemos ser confrontados com essas verdades?
Ou achas que todos devem seguir o exemplo cobarde do Rui Moreira, que vira as costas e foge?!?
Ou então achas que não deviamos ter nenhum representante do nosso clube em debates sobre futebol, será isso?

Jorge disse...

@BiBota: leu mal o intuito da frase. quando escrevi "o que é que isso interessa?" falava dos penalties, expulsões e lances de futebol corrido, dentro de campo. esses é que são constantemente apregoados como verdadeiros quando nem sempre o são e era a isso que me referia. quanto aos outros factos, não há nada para confirmar ou desmentir, as pessoas foram julgadas e terminou aí a minha conversa sobre o assunto, que aliás devia ser fácil de perceber se seguir aqui o rol de parvoíces que vou debitando.

concordei com Rui Moreira quando saiu em directo mas não acho que nos devamos alhear do debate. agora, como se diz aqui no burgo, "se não se quer ser lobo, não se vista a pele". para mim é intolerável aturar doutos senhores de meias-verdades. se o BiBota tiver pachorra, by all means, força!

um abraço,
Jorge

Luis disse...

E porque raio de carga de água,é que temos de ter representantes,em programas da treta? A nossa resposta é para ser dada em campo,o resto são cantigas para entreter meninos.
O "duo de ataque" para mim já era, e a saída do Dr.Rui Moreira não foi um acto de cobardia mas sim de sanidade mental!
A opinião dos adeptos vale o que vale,e por vezes não vale um chavo.

Santos disse...

Pessoalmente fujo a léguas deste tipo de programas. Para mim é, na esmagadora maioria das vezes, puro masoquismo: passar horas a ouvir maioritariamente falarem mal do meu clube enviesando factos e sonegando outros não é uma forma racional de se debater o que quer que seja. E se me incomoda, não vejo.
A verdade é que acabamos por não estar bem representados. APV, por exemplo, merecia um Manuel Serrão ou alguém com mais acutilância do que o Miguel Guedes e melhor memória porque quem lá está poucas vezes é pertinente a contrapor. E quando é assim, o debate corre quase sempre a favor dos lampiões. Se quero sofrer, mais vale ver a TV benfica ou as crónicas do RAP. Mas não quero.
Concordei na altura com a atitude do Rui Moreira. Foi a gota de água e só tenho pena de não haver mais respostas deste género. Já repararam no calibre dos representantes dos lampiões? Sempre com comentários nojentos e desprovidos de bom senso ou equidade. Mas nós é que somos os maus da fita.
Este anormal do grandes adeptos dizia por exemplo que foi muito mais grave o erro de ter marcado penalty contra o P.Ferreira do que não ter marcado uns minutos antes na falta, clara, sobre Hulk. Esta foi a ideia que ficou no programa. Ninguem a contestou e agora pergunto: porque carga d'água isso fará sentido??
Por isso concordo: falamos em campo.

João disse...

Acho que te esqueces-te do Seara... :)

Jorge disse...

@Santos: perfeito :)

@João: e do Cervan, e do Saraiva, e do Delgado, e do Gobern...entre muitos outros...é tanto o lixo...

reine margot disse...

Eu acho que temos que estar nos programas; eles valem o que valem, mas - infelizmente- fazem a opinião. A verdade é que por causa destas tretas tenho um amigo benfiquista que me telefonou no Domingo à noite; que se tinha lembrado de mim e nem sabia porquê!... por mais alguma destas e a amizade vai dar uma volta ao bilhar grande.Isto porque eles já acreditam que estão na luta contra o demo e que vale tudo!... É óbvio que nós sabemos o que aconteceu com as cruzadas, mas...não foi porque o Saladino se ficou a queixar e não foi à luta!
A primeira resposta tem de ser no campo, mas também temos de contrapor e contra-argumentar e ninguém tenha dúvida que a blogsfera tem tido um papel fantástico; mas é sempre necessário mais. Mais comentários no sapo, no record, na bola, mais cartas à rtp, tvi, sic...

Mundo Azul disse...

Caro Jorge, eu simplesmente não consigo assistir a qualquer tipo desses programas, como dizia o nosso presidente na sua última entrevista...é algo que só num País como o nosso acontece.

Programas ao quilo, de hora e meia, de gente que nada sabe de futebol e ali está para promover ódios e invejas. Reduzir o futebol às arbitragens e conspirações.

É algo que nos faz pensar mesmo no País saloio que somos. Porque se aquilo existe é porque a malta vê. E se a malta vê, tem grandes problemas, daqueles graves e quiçá irreversíveis na maior parte dos casos.

Assistir a isso é uma grande afronta à nossa sanidade mental. Poupem-se disso.

Acrescento que "aplaudi" a saída de Rui Moreira (por quem até não sinto grande simpatia) e fiquei profundamente desiludido com a ausência de espinha de um Miguel Guedes...que contra a vontade de todos os Portistas que conheço...achou por bem ganhar mais uns cobres à custa do nome do clube.

Foi uma pessoa que me desiludiu, mas há muitos assim, não fosse ele seria com certeza outro do género.

E ao que julgo saber e pelo que conheço é daqueles que levam o politicamente correcto ao extremo, de modo a não chatear ninguém e de forma a que o "extra" gordo não acabe por mais "porrada" que leve.

Vila disse...

Não gostei do teu post... primeiro porque gosto do homem, é de Mirandela e é boa pessoa. Quero lá saber se ele é benquista, o problema é dele, e se ele fala mal do FCP, estão lá outros para nos defenderem e falar ainda pior do SLB. Eh pá, e se os programas e os comentadores são maus, porra não os ouçam. Liguem ao futebol como desporto porque tudo o que gira em volta dele já sabemos que é lixo!

Nelson Machado disse...

Quanto ao que essa gente é capaz de dizer e fazer está aqui uma noticia que diz bem quem eles são.
LOL

José Correia disse...

Os piores benfiquistas são os do Norte e os do Porto em particular.

Quanto ao Miguel Guedes, é um tipo simpático, canta bem, mas é muito soft e pouco incisivo para este tipo de programas.

© 2008 Por *Templates para Você*