www.porta19.com

Pessoal, como anunciei no passado Domingo, o novo endereço do blog é:


V/Exa será redireccionada ao final de 10 segundos. Não tem de quê.

Leia Mais...

Porta19.com

Como autor do Porta19 tenho acompanhado a evolução do meu blog de uma forma entusiástica, principalmente durante o ano de 2010. O Porta19 tem vindo a crescer de uma forma simpática também com a vossa ajuda na divulgação e nas visitas que fazem aqui ao burgo a somar aos diversos incentivos morais (tanto pessoalmente como via web) que recebi da vossa parte, e gosto de pensar que sou já uma presença que reúne algum respeito na nossa comunidade de bloggers e também, espero, de todos os Portistas. Como tal comecei a pensar em outros projectos paralelos que poderão melhorar a qualidade dos posts e no fundo ajudar a fazer mais pela nossa blogosfera azul-e-branca, sem me deixar dispersar do cerne da questão, a defesa dos interesses do nosso clube e da alma Portista que me guia por estes por vezes tortuosos caminhos da virtualidade.

Assim sendo gostava de vos comunicar que o Porta19 vai mudar de endereço. A partir de hoje podem aceder ao blog em http://www.porta19.com. Optei por esta via porque para além da melhor visibilidade (e, admito, de alguma hubris que vem de ter o próprio endereço) me permite uma liberdade diferente das plataformas de blogging gratuitas e me vai dar as ferramentas necessárias para arrancar com as ideias que tenho e que espero venham a dar bons frutos. A parte difícil (convencer a mulher que "não fica assim tão caro, porra, basta não tomar dois cafés por mês e já está pago!", comprar o domínio, configurar o servidor e migrar o blog para a nova plataforma) já está feita, agora seguem-se os próximos passos, que espero poder contar com a vossa ajuda. Não se preocupem, não venho cravar guito nem me vendi ao mundo da prostituição intelectual barata para pagar os custos, esses suporto-os eu com todo o gosto, afinal para melhorar um hobby às vezes tem de se investir um bocadinho nele, não é verdade? Basta perguntarem a qualquer gajo que goste de fazer snowboard! Também não pretendo começar a colocar publicidade ou alterar o formato do blog, tanto em termos de conteúdo como de forma. Tentei adaptar o template o mais possível ao que existia anteriormente, com algumas pequenas mudanças inevitáveis que decorrem da alteração de plataforma. É assim que gosto e é assim que o pessoal tem seguido por isso vai-se manter tudo na mesma. Os posts antigos manter-se-ão no endereço antigo e serão copiados para o novo endereço mas a partir de agora só vou publicar tralha nova em http://www.porta19.com.

Só vos peço que alterem os vossos links para o meu blog de acordo com os novos endereços:

Endereço Web (NOVO): http://www.porta19.com
RSS feed (IGUAL): http://feeds.feedburner.com/Porta19
Facebook (IGUAL): http://www.facebook.com/PortaDezanove
Twitter (IGUAL): http://twitter.com/portadezanove

Como já disse atrás mudei também de plataforma, deixando a Blogger e convertendo-me ao Wordpress. Há algumas diferenças fundamentais que vão notar:
- Os comentários processam-se de uma forma um pouco diferente, já que deixam de estar directamente ligados à vossa conta da Google. Mas não custa nada registar uma vez e depois usar sempre o mesmo nickname para comentarem como costumam fazer. Vão ver que se habituam rapidamente.
- A Google Rede Social não é compatível com o Wordpress por isso peço a quem seguia o blog por aí para procurar outra forma de o fazer. Desde Facebook a Twitter passando por RSS...ou então basta visitar o endereço web!

Espero contar convosco numa nova etapa que será em tudo igual à anterior...mas melhor!

Até já, agora em http://www.porta19.com!

Um abraço,
Jorge

Leia Mais...

Ex-Azuis Nº10: Tarik Sektioui

Épocas no FC Porto:
2006/07 (emprestado ao RKC Waalwijk em Janeiro), 2007/08, 2008/09



Clube actual: Ajman Club
País: Emirados Árabes Unidos


Leia Mais...

Ainda em 2010...



Este vídeo tem a particularidade de juntar três peças fundamentais de 2010:

- Os nossos 5-0;
- Os 5-0 dos nossos aqui do lado;
- A música do melhor filme do ano;

Mais alguma coisa para arrancar um belo fim-de-semana?

Bruno: obrigado pela dica!

Leia Mais...

Baías e Baronis - Sevilla FC vs FC Porto

Foto retirada de Desporto.Sapo.pt

Enervei-me várias vezes durante o jogo. Já sabia que não ia ser fácil, que o Sevilha tem bons jogadores apesar do jogo colectivo não ser particularmente forte. Ainda assim, não gostei. Não gostei porque não fomos um FC Porto eficiente no passe, porque nos deixámos recuar bastante e porque nos pusemos a jeito de um lance com mais sorte sair direitinho às redes. Não gostei de perder tantas bolas no meio-campo porque parecíamos entorpecidos pela velocidade do adversário com ou sem bola. Não gostei dos comentários na SIC, onde perdi o resto do pouco respeito que tinha pelo João Rosado já que os outros...já lhes perdi o respeito há muito. Não gostei de ver que os passes para a frente raramente saíram em condições porque ou iam com muita força ou com força a menos. Não gostei do árbitro e dos jogadores do Sevilha porque pareciam uma equipa de Carlos Martinses, em que nunca fazem uma falta, "Oh senhor árbitro, por favor, acha mesmo que fui eu que pontepeei aquele indivíduo? Nunca!". Não gostei porque estava à espera que conseguíssemos manter a pressão (por muito que tivesse sido atabalhoada, estava a ser razoavelmente bem feita) dos primeiros 15 minutos durante mais que 15 minutos, porque os centrais eram tão azelhas que mais uma correria para lá do meio-campo e um recuo extra para o Palop fá-los-ia explodir de vergonha pela inépcia que iam perder mais bolas para nós. Gostei do resultado mas não gostei da exibição, estava à espera de bem mais. Y ahora, vamos a las nuetas:










(+) Fucile  Para mim foi o homem do jogo. Apanhou com um flanco desprotegido quando Varela por lá andou e semi-protegido quando estava James na cobertura, com a nuance do jovem colombiano gostar de perder bolas fáceis e deixar o Jorge à rasca. Com Navas pela frente e tantas vezes Rakitic e a versão uruguaia do Sérgio Ramos no apoio, Fucile safou-se muito bem, raramente caindo na finta curta e quase irresistível do espanhol, defendendo em toda a linha, subindo para apoiar o ataque quando possível (mais na primeira do que na segunda) e a mostrar toda a garra e a determinação que vimos no Mundial. Onde andava este Fucile na primeira metade da época? Who knows...só espero que se mantenha igual a este e não ao Fucile que vi no Dragão contra a Naval...

(+) Helton  Quase perfeito. Voou várias vezes mas foi sempre eficaz nas saídas, defendeu muitas bolas para frente com dificuldade natural a remates fortes e o único ponto em que esteve mal foi na recolocação da bola em jogo. Houve um lance em que enviou a bola com a mão para João Moutinho, no meio-campo, disputar a bola de cabeça. Pediu-lhe desculpa quando, obviamente, o puto perdeu o lance. Tem de pensar melhor no que vai fazer nessas situações.

(+) Belluschi  É interessante perceber que o jogo que fez hoje é muito similar ao que fez em Braga, mas a forma como ajudou a defender tanto no meio como em ambos os flancos fez dele um elemento fundamental no meio-campo do FC Porto. Esforçadíssimo, falhou montes de passes por isso saliento a capacidade defensiva e a entrega que mostrou em todos os lances em que esteve envolvido.

(+) Estrutura defensiva fora da área  É verdade que o Sevilha criou perigo mas a grande maioria das vezes em que avançou no terreno fê-lo sempre pelas alas e raramente conseguiu entrar pelo meio. Com os dois centrais "amarrados" a Fabiano e Kanouté, Fernando tapava bem e tanto Moutinho como Belluschi varriam a zona defensiva como guerreiros. Guerreiros que não acertavam um passe se lhes estivessem a despejar colheres com azeite a ferver nos testículos, mas ainda assim guerreiros.

(+) Kanouté  Gosto imenso dstes gajos que jogam de uma forma Anelkiana, sem se fazerem notar mas a dominar todas as bolas que recebem na perfeição, a jogar e a fazer jogar, quase sempre de costas para a baliza mas sempre com uma capacidade incrível de rodar, de distribuir jogo, de rematar e de marcar. Kanouté é um jogadorzaço. Zíssimo, até.












(-) Varela  Varela parece nos últimos tempos incapaz de manter um nível exibicional coerente. Incrivelmente lento com a bola nos pés e distraído na defesa do flanco, nunca conseguiu acelerar o jogo como devia e perdeu muitas bolas porque demorava tempo demais a dominar e a conseguir fazer o que quer que fosse com o esférico nos pés porque imediatamente lhe caía um rapaz do Sevilha em cima e lhe roubava a bola com extrema facilidade. Fraco.

(-) Hulk  Na primeira parte, zero. Um rotundo zero. Lento, previsível, incapaz de se mostrar aos defesas e a nunca conseguir aproveitar a azelhice dos centrais adversários, que são tão fracos que não deviam ter prendido Hulk na rede. Subiu de produção na segunda parte e o livre que marcou foi um míssil que causou muito perigo mas foi obrigado a defender por si e por Rodríguez. Não pode jogar no meio, não pode.

(-) Qualidade de passe  Falando com o meu pai ao intervalo e depois do final do jogo, discutíamos a técnica de passe de ambas as equipas. Uma diferença abismal. Continuamos a não conseguir fazer mais de 3 passes consecutivos sem que um tolinho de azul-e-branco se lembre de atirar um pseudo-remate para o flanco ou um atraso para o adversário. É algo que começo a perder a esperança de ver melhorado, ainda para mais numa altura em que o nosso meio-campo criativo tem menos bola que no início da temporada, mas é por vezes muito difícil perceber como conseguimos ganhar tantos jogos a passar tão mal a bola.

(-) Lentidão com a bola  Já por várias vezes nesta fase da temporada reparei que os jogadores estão muito lentos com a bola, parecendo perder-se em daydreams quando a recebem, ficando a pensar no que vão fazer, para onde rodarão a bola, por quem é que deverá passar o jogo ofensivo, quem era o nome da personagem daquele doutor simpático do Lost, que rei inglês assinou a Magna Carta, sei lá. Não se pode parar tanto tempo para pensar e executar, há que continuar a mecanizar a equipa ou pelo menos obrigar os rapazes a proteger a bola antes que lhes caia um adversário em cima.

(-) SIC  É quase um pleonasmo dizer: "Os gajos da SIC são facciosos!", mas hoje (ou)viu-se de novo a mesma história. Se José Augusto Marques e Nuno Luz acabam por representar o bacoquismo individual, com tiradas como "O BATE Borisov jogou hoje em casa na Ucrânia" e afins, já João Rosado teria a obrigação de fugir da mediocridade dos comentários daquela estirpe, e mais uma vez não o consegue. Não sei se o farão de propósito ou sequer se se apercebem da forma como comentam mas hoje, como de costume, conseguiam falar mais do Sevilha do que do próprio FC Porto e desculpavam quase todos os lances do clube português com erros e falhas. No primeiro golo do FC Porto estava fora-de-jogo e nem era difícil ver; já no golo do Sevilha a falta era quase impossível para os árbitros verem (sim, todos os 5 não conseguiram perceber que ) e para além do mais o Kanouté é muito alto e é natural que salte...mas no ano passado com o Bruno Alves era sempre falta, ladraria o Marques; o Cristian Rodriguez devia sair mal entrou, para o Rosado; o Luz a tentar atirar-se para ser biógrafo do Ronaldo porque falou nele mais de 5 vezes o jogo todo; e o segundo golo do FC Porto, que para o Rosado ao invés de sair de uma jogada em que os nossos rapazes não desistiram, só podia surgir com uma paralisia da defesa do Sevilha. É um serviço podre que prestam ao futebol, é um serviço podre que prestam à sua estação de televisão e enoja-me saber que esta gente ganha dinheiro (e bom, aposto) para fazer e dizer este tipo de barbaridades.



É verdade que vencemos um adversário de topo num estádio difícil. É verdade que temos uma margem suficiente para nos assegurar que jogando ao nosso nível não teremos grandes dificuldades para passar à próxima fase. É verdade que continuamos a jogar sem Falcao e continuamos a vencer. Mas também é verdade que o jogo não foi famoso, que a organização defensiva foi razoavelmente sólida mas que tem falhas (ai as bolas aéreas...) e também foi verdade que não conseguimos manter o jogo controlado na altura exacta em que precisávamos de o fazer. Na quarta-feira, a meio da tarde na Invicta, temos de subir o nível para evitar chatices...é que o Navas e o Kanouté metem inveja a qualquer equipa...

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Sevilla

André, enterrador de andaluzes!

Este é o primeiro jogo do resto da nossa época, André.

Todos ficamos satisfeitos depois da jogatana de Domingo. Não houve parangonas, como de costume, mas continuamos com a nossa meta intacta e seguimos em frente, com confiança, com fé no título. Acreditamos em ti, André, por muito que por vezes saiam mais uma ou outra bocarra a criticar (construtivamente, claro) as opções. É assim que um clube vive e respira e é salutar haver sempre opiniões que possam ser discutidas, não achas? Um dia destes convido-te para um fino à beira-mar para discutirmos estas e outras tretas. Pago eu...o primeiro!

Voltando ao assunto do dia, o que interessa é mesmo Sevilla ou Sevilha, como preferires. A cidade é-nos querida, como sabes, mas passado é passado e o presente que importa é mesmo o que se vai passar hoje ao fim-da-tarde no Sánchez Pizjuán. Penso que vai ser um jogo parecido com o que fizemos no ano passado no Vicente Calderón (eu é que sei nomes de estádios, é do carago), onde trocamos as voltas ao Atlético com uma garra do caraças, espetamos lá três batatas e saímos a sorrir. Não te peço tanto, mas o que peço é que tenhas em atenção que apesar de haver dois jogos para passar uma equipa, neste jogo podemos conseguir um resultado que nos pode pôr à vontade para o jogo das 17h no Dragão...ou então lixar-nos bem a vida e enfiar a malta num buraco que só se consegue sair com uma daquelas setas com propulsão automática tipo Chuck Norris no Delta Force 2. Já viste, não te armes em importante. Todos já vimos. Ah grande Chuck.

É para ganhar. Não sei se o Falcao joga, não sei se o Álvaro joga. Sei que vão entrar onze rapazes de azul-e-branco e quero sentir-me orgulhoso quando acabar este jogo e ansioso para que o próximo comece.

Este é o primeiro jogo do resto da nossa época, André. Faz com que não seja o penúltimo.

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

A sede da rede

O mundo está diferente. Já houve alturas em que para falar com um jogador de futebol e saber o que ele pensava, um jornalista tinha de marcar uma entrevista e um jovem adepto teria que timidamente aproximar-se do ídolo à saída de um treino e tentar aproximar-se do rapaz para lhe pedir um autógrafo e perguntar: "Então, estás a gostar de cá estar?", enquanto o Drulovic olha a namorada de cima a baixo com aquela cabeça de martelo, não me enganas oh sérvio que eu bem te vi a galar a gaja mas ela é minha e não quer ter nada contigo nem com nenhum gajo que tenha um primeiro nome que parece um jogo de construção para putos, ah pois é, incha! Divaguei outra vez, perdão.

Hoje em dia, basta abrir uma janela para navegar na uébe e rapidamente chegamos aos pensamentos e desabafos dos rapazolas que andam a correr na relva (ou a tropeçar, no caso do Mariano), aberta que está a proverbial caixa de Pandora tão temida pelos dirigentes e treinadores: a matraca dos pupilos. Quem manda agora sabe que um jogador mais insatisfeito com o que se passa no mundo pode sempre reclamar com o computador e tuítár ou feicebucar o que lhe apetecer, seja pelas próprias mãos ou através de "amigos" que lá colocam as mensagens subliminares ou não que assumem ter percebido. Não vale a pena fazer uma vigília para um regresso ao passado sombrio em que estávamos, mais personalizado, talvez, mas mais fechado e menos mediático. É o mundo em que vivemos e há que lidar com isso da melhor forma. É por isso que não me empertigo quando leio uma bocarra dos jogadores ou de um ou outro elemento a eles ligado. É normal.

O que dirigentes e treinadores têm de perceber é que a melhor forma de lidar com isto é...luzes, câmara...à moda antiga. Uma conversa, um tête-à-tête com o jogador para lhe fazer ver que este tipo de coisas não só o prejudica a ele como denigre a imagem do clube. Explicar-lhe que um desabafo, por singelo e sentido que seja, está a colocar em risco a solidariedade profissional e pessoal com os colegas que com ele convivem, com o clube que lhe paga o ordenado e com a "família" que tem no emprego. É assim que se têm de tratar estes assuntos para impedir que cresçam, que criem metástases graves e profundas e afectem o rendimento tanto em campo como fora dele.

Vedetas todos podemos ser, pelo menos ao espelho. Mas até as vedetas precisam de uma mão por baixo para serem estrelas.

Leia Mais...

A linha do meio-campo

Olhando para o MatchCenter no site oficial da Liga, podemos ter uma visão abrangente do que se passa nos jogos da nossa equipa.

Aqui ao lado está a estatística mais pertinente do jogo da pedreira. O número das recuperações de bola não é particularmente elevado, o que está directamente relacionado com o tipo de jogo do adversário, mas o que interessa mesmo é a linha de recuperação. O facto da média das 92 retomas estar colocada em cima da linha de meio-campo é sinal de um jogo alto, pressionante, com a defesa subida e o meio-campo a controlar.

E é aí que se começam a ganhar jogos, especialmente a jogar fora de casa.

Leia Mais...

Em Inglaterra não percebem nada disto



Espera lá. O David Luíz faz falta para penalty e o árbitro marca?! O mundo está virado do avesso, meus amigos! Da próxima vez ainda o mandam para a rua quando esbofetear um adversário.

Those brits, dude...strange people indeed.

Leia Mais...

Pumba! Mesmo nas ventas!



Quem reparar nos olhos dele antes de responder à pergunta venenosa, pode ler: "Oh meu caro jornalista, tome lá um soundbite para enobrecer a sua presença na redacção. Ouça com atenção, é grátis!"

Fala como joga: com a mania que é bom. É tolo. Mas é nosso. E tem toda a razão.

Leia Mais...

Baías e Baronis - Braga vs FC Porto

Foto retirada do Record

Rijo, duro, difícil, ultrapassado. Foi um teste muito complicado de passar e pudemos contar com a inspiração de um rapaz que começa a conquistar os adeptos. Nico Otamendi bisou em Braga, desbloqueando o resultado pretendido quando a exibição, especialmente na primeira parte, não foi famosa. Para além da organização defensiva pressionante do Braga e de alguma falta de clarividência do nosso ataque, temos a somar a implacável agressividade que os rapazes do Minho puseram em campo, com patadas, entradas de carrinho a pés juntos, provocações permanentes e um geral estado de "bate primeiro e pergunta depois" que enervou os nossos jogadores e felizmente houve auto-controlo suficiente para impedir que a permissividade de Duarte Gomes pudesse fazer com que o jogo violento continuasse não só com os pitões mas com punhos cerrados. Aborreceu-me, francamente. Notas abaixo:










(+) Otamendi  E esta, heim? Se alguém apostasse que Otamendi fosse marcar dois golos fora contra o Braga e desse a vitória à equipa, chamava-lhe parvo e que não sabia o que fazer ao guito. O que é certo é que o neo-proto-líder da defesa ao lado do sempre presente Rolando acaba por ser um herói que deu alento a uma equipa que tentava furar mas que batia numa parede de pitões e joelhadas. Otamendi, com classe e oportunismo, marcou numa excelente quasi-paradinha de fazer inveja a muito colega da selecção dele. Estás em grande, rapaz, todos esperamos que continues.

(+) Fernando  Voltou o "polvo" a sério. Começou mal e parecia que ia continuar a forma absurda que tinha vindo a mostrar nos últimos jogos com as ridículas perdas de bola a meio campo (és capaz de NÃO DEIXAR que a bola bata no chão antes de a disputar?!) mas rapidamente voltou a interceptar montanhas de bolas e a aplicar o princípio que faz dele um trinco muito acima da média: recebe, domina, passa. Simples, Fernando. É assim que o quero ver sempre a jogar.

(+) Helton  Mais um excelente jogo do nosso capitão. Uma ou outra defesa, um voo e várias situações onde controlou a área como devia, dando confiança à defesa e permitindo que a equipa estivesse solta na zona defensiva. A não-pressão alta do Braga ajudou, mas Helton não deixou que ninguém brincasse em serviço.

(+) Fucile  Sereno pode ser muito esforçado mas não tem a inteligência ofensiva do uruguaio. Algumas falhas de posicionamento que acabam por ser naturais num jogador que sobe pelo flanco mas acima de tudo houve uma superior capacidade de esticar o jogo pela ala ao contrário do que tinha acontecido nos últimos jogos por incapacidade do alentejano. É deste Fucile que precisamos para o resto da temporada.












(-) Ineficácia na frente  Entre passes falhados, remates ao lado e perdas de bola, houve tanto contra-ataque perdido na segunda parte que mais parecíamos uma equipa de verde-e-branco. Se o que vimos hoje em termos de eficácia voltar a acontecer na quinta-feira por terras andaluzes, podemos estar a pôr as mãos na cabeça com ar frustrado porque não se pode falhar tanto em tão pouco tempo. Otamendi salvou o dia e ainda bem, porque os avançados estavam em dia não.

(-) Varela  Inerte e enervante por essa mesma inércia. Duas ou três corridas não justificam que fique a olhar para as bolas que passam perto dele e que Varela parece nunca conseguir atingir. Esteve abaixo do que sempre espero dele e não conseguiu manter o nível da semana passada.

(-) Nervosismo de Belluschi  Não podes, rapaz. Não podes abusar nas faltas a meio-campo, não podes esticar o pé a um avançado na tua própria área, não podes falhar tantos passes fáceis mesmo que sejas dos poucos que tenta as rupturas pela relva, mas acima de tudo não podes "fazer peito" ao árbitro! Homem, por muito que ele te grite aos ouvidos, tens de te acalmar porque és um jogador titular do FC Porto e muito do jogo da equipa passa por ti e pelo teu colega do lado que não está na melhor forma mas que disfarça sempre com a inteligência que mostra em campo. Tem mais calma, pronto, vai lá tomar banho descansado!

(-) Miguel Garcia e os amiguinhos  Já cá faltava uma corja destas. Miguel Garcia foi o belo rosto barbudo e com aspecto andrajoso em geral de uma equipa que passou hora e meia a distribuir lenha gratuita por tudo que corria de azul-e-branco. De Sílvio a Vandinho, passando por Mossóró e pelo garboso Miguel Garcia (que levou um cartão amarelo para lá dos 90 minutos...por protestos!), este conjunto de bestas mostrou uma capacidade notável de diversificação, começando pelas entradas de pés juntos, continuando pela sempre genial patada nos gémeos e terminando com a famosa joelhada nas costas. Duarte Gomes permitia tudo isto com a passividade de um jovem a fumar uma erva agradável e a ouvir Portishead num quarto escuro, e os rapazes de vermelho e branco, quiçá inspirados em Javi e David, a dupla da bordoada legitimada pela nossa arbitragem, continuavam o recital de chuto e pontapé. Todo o jogo. Ridículo.




A pressão estava do nosso lado, depois da vitória do Benfica. A resposta apareceu com dignidade, força de vontade e garra, com uma equipa a querer dizer: "Oh minha gente, por muito que cantem as loas aos outros e desprezem o que fazemos, ainda cá estamos. E estamos no topo por mérito próprio, seus imbecis!". Notou-se acima de tudo uma maior inteligência na troca de bola e por muito que tenham sido perdidos contra-ataques perigosos e tenhamos sido pouco eficazes na frente, o resultado final é perfeito. E agora...Sevilla!!!

Leia Mais...

Estás quase!

Não gostava de ser o companheiro de estúdio do Valdemar Duarte. Tanto pelo mau cheiro que provavelmente exalará das vastas axilas, mas também porque o homem está a 2 remates à baliza de ter um orgasmo em directo. E por muito que tal seja motivo de júbilo para a família dele, para os colegas do lado é incomodativo.

Já agora, o Benfica está a jogar muito bem, sim senhor. É pena é que o adversário seja o equivalente a 10 pneus e um guarda-redes. Acho que nunca vi tanta facilidade desde que o Pétain abriu as pernas para o tio Adolfo nos anos 40...

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Braga

André, lutador contra guerreiros!

Não sei se tens lido os jornais. Se conseguires passar à frente da hipocrisia americana no apoio à insurreição egípcia e velhotas em putrefacção, podes sempre apelar ao teu sentido estético e olhar para aquilo que rotulei nos últimos tempos como "as bestas".

Todos os dias te tentam minar o trabalho, homem. Qualquer dos jornais daquele gado lá de baixo, seja a Bola ou o Record ou até aquele papel bem absorvente e útil em campismo para apanhar trampa de cão, o Correio da Manhã, qualquer um deles está todos os dias a ver se te lixa. Ele é "o Hulk é gay", ou "Falcao anda a tomar supositórios de ópio", e temo que um dia destes surja um "Villas-Boas já violou ovelhas e não lhes telefonou no dia seguinte". Já falta pouco, mark my words!!!

Mas o que interessa é ganhar hoje. Seja com a mão, como disseste, seja em fora-de-jogo, com ressalto no árbitro, de qualquer maneira o que interessa é que o resultado seja uma vitória dos visitantes. Vai ser difícil, como todos os jogos que disputamos naquela cidade, mas é para ganhar. E jogues com o Walter ou com o Hulk no meio, tenhas confiança no Fucile ou ponhas o Sereno a armar-se em em O'Shea a tapar o flanco ao parvalhão do Alan, o que conta é a vitória. Não podemos perder pontos, André, porque a mourada está cheia de vontade e garra e papo e está tudo a espumar para que percamos aqueles centímetros de vantagem que temos para nos calcarem, para minimizar a vantagem que temos para que eles, os grandes, os fortes, os gordos, os dinâmicos, os vivos, os diletantes da bola, para que essa corja de venenosos possam vibrar mais uma vez com as derrotas dos outros muito mais do que costumam fazer com as vitórias dos próprios.

Ouve-me, homem. Ganha. E cala-os não com as tuas palavras, mas com os actos da tua equipa. E assim, acredita, podes responder com a força do clube que defendes. Com alma. Com vida. Connosco atrás da equipa. Como sempre.

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Memória Azul - Nº 7 - Pré-Época 1996/1997

foto retirada do JN "Apresentação da época 1996/1997"

A equipa que se apresentou no Torneio Internacional Cidade do Porto, realizado no Estádio do Bessa no verão de 1996, em jogo frente ao Vasco da Gama, se a memória não me falha. Apesar da fraca qualidade da fotografia, vemos um FC Porto que jogou com o seguinte onze:

Wozniak; Paulinho Santos, João Manuel Pinto, Jorge Costa, Aloísio; Wetl, Bino, Costa; Artur, Sérgio Conceição, Domingos.

Aposto que quem visse esta equipa no início da temporada, com 3 estreantes (Artur, Wetl e Wozniak), duas unidades de qualidade duvidosa (Bino e Costa) e uma adaptação manhosa a defesa-esquerdo (Aloísio), não adivinhava que iríamos vencer o campeonato à vontade, e entretanto vencer em Milan por 3-2...

Leia Mais...

Vamos pôr mais um P em Braga!

No ano passado este jogo ditou o início de um fim que a imprensa anunciava desde 2006 quando Jesualdo pegou na equipa, com uma batelada de golos falhados a somarem-se a uma exibição muito pobre. Na altura escrevi:

"Por onde começar? Num jogo em que aparentemente nenhuma das equipas quis vencer, o Braga, sem fazer muito por isso, acaba por marcar num chouriço do tamanho das sapatilhas do Shaquille O'Neal. Ainda assim, Helton não fica isento de responsabilidades no golo, o que depois da excelente exibição em Londres acaba por marcar o pleno regresso às displicências que nos habituou. Fraco."


"Depois de alguma consistência conseguida com Belluschi, eis senão quando aparece Guarín de aparente pedra e cal na equipa, transformando um meio-campo já de si pouco criativo numa parede defensiva demasiado próxima dos centrais e a deixar um espaço extraordinário para os avançados. Falcao muito preso na área, Hulk a inventar e apenas Varela a conseguir produzir o mínimo aceitável, era confrangedor para não dizer vergonhoso ver o FC Porto a organizar jogo antes do meio-campo."

Adivinham quem foi o trio do ataque nesse jogo ridículo? Hulk, Varela e Falcao. Por isso não quero acreditar que a chave da vitória num campo complicado é simplesmente a presença desses três magníficos em simultâneo dentro do campo.

Há mais soluções tanto técnicas como tácticas. Só é preciso cabeça e vontade de ganhar.

Leia Mais...

The Dragons roar back in style!

After the disappointing season it was obvious that the club would not be satisfied until it restored the glory and fame to the Blues from Porto. And judging by the achievements of the club so far, it appears that players have got the message loud and clear. Undefeated with 53 points in 19 games, FC Porto are absolutely dominating the Portuguese league. Not only do they top the league table, but they also lead the scoring charts with 44 goals and have conceded the fewest with just seven. And it's no surprise that the league's leading scorer is an FC Porto player, Hulk , with an incredible 19 goals!


Um bom artigo sobre o FC Porto e a temporada que temos vindo a fazer.

A ler no IMScouting.com, seguindo este link.

PS: acho interessante o ênfase dado a Otamendi tendo em conta que o rapaz não tem sido tão providencial assim na nossa segurança defensiva. Aliás, espero mais dele do que tenho visto até agora, que não tem sido mau mas que precisa de ser mais consistente.

Leia Mais...

Votação: Sevilla na Europa League: prognósticos?


Vem aí a sequência de jogos mais importante da temporada a nível europeu, com a eliminatória contra o Sevilha. Não vai ser fácil enfrentar estes rapazes e mesmo que não tenham o mesmo nível que mostraram aqui há poucos anos, parece-me que nada está decidido de antemão e apesar de acreditar que somos mais fortes, é preciso estar em excelente forma para ganhar a estes fulanos do outro lado da fronteira. E o que é que o pessoal pensa? 300 votos foram divididos da seguinte forma:
  • Passamos sem problema: 49%
  • Passamos à rasca: 42%
  • Perdemos por um golo fora: 2%
  • Levamos nas trombas: 6%

Parece que a malta está confiante. Vamos ver se pelas 19h do próximo dia 23 podemos festejar a passagem à próxima eliminatória!

Leia Mais...

Gôdo, não, fóti!



Não sabia que o Walter tinha um irmão mais velho da África do Sul.

Imaginam uma equipa com Walter, Benni, Miguel Veloso, Rochemback e Maniche juntos? Biggest Loser, here we go.

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Rio Ave


Há uma imagem que me vai ficar na cabeça deste jogo, para lá da excelente jogada de envolvimento que deu o golo de Varela. Há um lance a meio da segunda parte em que durante mais uma das jogadas em que a bola rondou a baliza de Helton, um dos defesas (sinceramente já me esqueci quem foi) que está a entrar na pequena área na direcção da baliza, na altura a ser pressionado por um dos esforçados jogadores do Rio Ave, olha para o nosso guarda-redes e vendo-o perto da linha de golo...atrasa-lhe a bola na direcção da baliza. Este desnorte, fruto sabe-se lá do quê, está a contagiar toda a equipa e é perigoso porque está a colocar por terra a imagem que tínhamos vindo a criar no país e no mundo nesta temporada. Três pontos foram ganhos, objectivo "mínimo dos mínimos" conseguido. Uff. Venham as notas:










(+) Varela  Teve um início forte e rápido pela ala, num arranque de jogo em que o FC Porto trocou repetidamente as posições do ataque, com Hulk a vaguear do centro para a ala e Varela a surgir muitas vezes como ponta-de-lança. Foi aí que apareceu num cabeceamento "textbook" (ou "como mandam as regras", como se diz cá), acabando por fazer a diferença. Mais alguns bons arranques na primeira parte, acabou por perder força e pernas depois do intervalo.

(+) Sereno  É um exemplo pela dedicação, agora que está mais calmo. Se continuasse como no início da temporada, não conseguia de certeza terminar um único jogo com as nossas cores, mas parece que aprendeu a jogar com mais calma e a manter a mesma determinação que mostrava e que estava claramente a ser mal direccionada, quer pelo nervosismo quer por inadaptação. Sabe que não sabe muito e como sabe que não sabe, não inventa. Surgiu bem pelo flanco e não fez melhor porque, sinceramente, não podia.

(+) James  Tenho ouvido muitas críticas ao jovem colombiano. É o que acontece com todos os "boy wonders" que já aparecem com um rótulo de craque e que aos olhos de muitos não correspondem às expectativas. James é um exemplo perfeito dessa dualidade entre a imprevisibilidade da adaptação a uma vida nova e a necessidade de vincar a diferença na sua profissão. James tem talento, é inegável, e na minha opinião está a justificar a titularidade na ausência de Falcao. O toque de bola é bom, o remate é forte e bem colocado e a visão de jogo parece acima da média. Continua-lhe a faltar calo, mas isso só se ganha jogando. Vejo boas coisas para este rapaz no futuro de azul-e-branco.












(-) Fernando  Desde que regressou da lesão é possível contar pelos dedos de um mau marceneiro os bons jogos que Fernando fez pelo FC Porto. Hoje, à semelhança do que tinha acontecido na quarta-feira contra o Benfica, fez asneira atrás de asneira com passes para o adversário, falhas posicionais e de acompanhamento das jogadas e uma insuportável tendência para caminhar mais com a bola do que deve, o que levava quase invariavelmente a enfiar-se num buraco onde só havia gajos de verde e branco. Pelo que já vimos de Guarín este ano, Fernando não está a merecer ser titular.

(-) Ruben Micael  Mais um jogo, mais uma oportunidade perdida para marcar pontos pela titularidade. Não sei o que se passa, sinceramente, mas começo a perder a paciência com o madeirense. É provável que a culpa seja um pouco derivada da minha exigência como adepto. Enquanto que com jogadores como Guarín ou Mariano, os níveis de qualidade mínima são mais baixos do que com jogadores como Ruben, Moutinho ou Fucile. Quando já se mostrou qualidade e quando reconheço que o rapaz pode e deve fazer muito melhor, o patamar exigível sobe e perdoo menos algumas falhas ou maus comportamentos. Ruben está actualmente a ter o mesmo efeito no jogo da nossa equipa como um camião cheio de estrume tombado numa auto-estrada.

(-) Hulk ao meio. Novamente.  Já por várias vezes falei disto, mas continuo a bater na mesma tecla. Não quero acreditar que há problemas pessoais entre Villas-Boas e Walter porque seria pura especulação da minha parte. Até posso perceber o uso de Hulk ao meio proporcionando a James e a Varela a capacidade de criação de jogadas ofensivas. Mas Hulk não rende nem metade naquela zona do que poderia render numa ala e Villas-Boas está a insistir numa solução que não é a melhor. Pode achar que "dá para safar", mas não dá. E continua a chatear os adeptos quando não escolhe Walter sem explicar porquê. Não chega, André.

(-) Intranquilidade  A súbita inércia e letargia que invadiu as mentes e almas dos jogadores portistas nos últimos tempos é estranha e assustadora. Jogadores que mostraram excelente futebol, organização táctica e solução diversas para se soltarem da grande maioria dos problemas que nos foram colocados...fizeram o jogo que viram hoje. A minha cara-metade, sábia na questão da psicologia empírica (sem ironias, a miúda é daquelas pessoas que tem o dom de ler bem as pessoas), diz-me que lhe parece que os nossos putos estão desabituados de perder e que a derrota com o Benfica lhes abanou a cabeça. Ela é benfiquista, mas não diz isto por mal. E não lhe quero dar razão...mas que me parece correcto, lá isso...



É verdade que os momentos que vão ficar para a história deste jogo se reduzem a um resultado: 1-0. É pouco para uma equipa com o nosso talento e com a capacidade de gerar futebol bonito e vistoso como já fez este ano. Mais importante ainda, é estranho para os adeptos que se habituaram a ver jogadas fluidas e bem engendradas a transformar-se num conjunto de jogadores amorfos, nervosos e pouco confiantes. Todos estes problemas começam a compôr um quadro complicado quando vemos que a baixa de forma que se verificou em Janeiro se está a estender e até a agravar em Fevereiro. Vem aí o Sevilha e nesta altura devíamos estar a jogar bem mais do que estamos a mostrar...

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Rio Ave

André, vingador renascido!

Parece que não saímos do Dragão nestes últimos tempos, homem! Não posso dizer que estou farto de lá ir porque estaria a mentir, é sempre um prazer subir as escadas a caminho do meu lugar cativo, conviver com os meus colegas de lugar e discutir as tuas escolhas. Uns concordam, outros nem tanto. Mas todos defendemos que o melhor para o clube é ganhar, já não é mau, certo?

Depois da não-noite de quarta-feira, já sabes que o pessoal que lá aparecer hoje ao fim da tarde está com vontade de ver sangue. É natural, pá, um gajo não pode passar muito tempo sem ver o clube a ganhar, porra, até parece mal! Toda a gente quer ir lá ver um bom jogo mas acima de tudo uma vitória. Manter os 11 pontos é essencial e nunca se sabe quando é que o Benfica vai fraquejar mas o que temos de esperar é que eles não vão perder mais nenhum ponto...tirando os três que lhes vamos tirar quando lá formos em Abril. E olha que esta de tirar os três era mesmo para ser mais que só uma menção à vitória que queremos, é mesmo para pensares em obrigar o Luisão a sentar-se numa bandeirola de canto para não sentir mais dor pelo resultado...mas divago, perdão, voltemos ao Rio Ave!

Já vi que estás a gostar de ter o Hulk no meio em vez de alguém que esteja habituado a lá jogar. Pá, tu é que sabes, eu tomaria outra decisão. Chama-me conservador mas gosto pouco de adaptações. Que queres que te diga, para mim quando não tenho salsa para cozinhar não vou lá colocar um cacto só porque é verde! Somos gajos diferentes, se calhar é por isso que estás aí e eu estou no sofá armado em parvo.

De qualquer forma, amanhã é para ganhar. Com ou sem Walter, com ou sem Belluschi, Álvaro, Falcao. É para ganhar e ponto+ponto+ponto!

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Planeta Azul Nº19 - NK Karlovac


Planeta Azul Nº19 - NK Karlovac








País: Croácia

Leia Mais...

E um líder em campo?

Ontem dei comigo a pensar que para além do talento que temos à nossa disposição, por vezes precisamos de um líder dentro de campo. Qualquer coisa como este rapaz na fila de cima, o segundo a contar da esquerda, que hoje abandonou o futebol. Ou até o da fila de baixo, tanto o segundo a contar da esquerda como o segundo a contar da direita, que não falta muito para ter o mesmo destino. Líderes.


Ontem, enquanto Maicon e os colegas desciam ao poço do seu próprio inferno, fez falta um rapaz que desse dois berros aos colegas e dissessse: "Mas que raio de parvoíce é esta?! Vocês são homens ou formigas?! Lutem, carago, lutem!", e que fizesse parar a quantidade de disparates que se foram acumulando nos noventa penosos minutos a que assisti.

Ontem fez falta um rapaz desses. Bem mais do que Falcao.

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Benfica


Qualquer portista que foi hoje ao Dragão ou assistiu ao jogo via SportTV estará neste momento frustrado e triste. Mas desengane-se se pensam que vão ler aqui uma tirada de insultos ao treinador, presidente, estádio, camisolas, relva, enfim, as habituais diatribes exageradas que saem da boca de quem analisa as coisas a quente. O que fica deste jogo é um não-jogo. É o não-jogo que a nossa equipa fez, que mostrou uma inesperada falta de estaleca emocional para dar a volta por cima a uma situação de desvantagem técnica e de dificuldade táctica. O Benfica entrou a pensar em não sofrer golos, agressivo, a tapar bem os espaços e a pressionar alto, e ao contrário do que aconteceu ainda esta época em Viena, ninguém conseguiu acalmar os ânimos e jogar com inteligência e cabeça fria. Falhas individuais sucederam-se, levaram a falhas colectivas e desfizeram uma equipa que nunca pareceu tão igual à que jogou na Grande Implosão do Emirates Stadium. Com todos os clichés no mundo à minha disposição, vou usar o tradicional "é preciso levantar a cabeça e seguir em frente". Porque se vamos ficar a pensar muito no que se passou, a depressão está ao virar da esquina. Vamos, calmamente, a notas:










(+) Varela  De longe o melhor do FC Porto esta noite. Seguiu para a frente pelos dois flancos (direito na primeira parte e esquerdo na segunda) e tentou sempre puxar pelo apoio dos colegas da frente e do lateral que o apoiava, já que o meio-campo fazia apenas figura de corpo presente. Varela tentou muito e acabou o jogo de rastos. Não havia muito mais a fazer.

(+) Sereno  Quando o vi a começar a aquecer, pensei que Jesualdo tinha regressado. Uma invenção em jogos grandes normalmente dá borrada, mas neste caso não foi por aqui que a porca torceu o proverbial rabo. Sereno fez hoje mais jus ao nome que em todos os outros jogos em que tinha alinhado desde Julho, agressivo q.b. e a tentar sempre arrastar a equipa para a frente. Só não fez mais porque não sabe o suficiente.

(+) Sapunaru  Muito mais coração que cabeça, foi dos poucos que tentou rupturas a arrancar pelo flanco, subindo para ajudar Hulk quando o sentido táctico da equipa era pouco mais que inexistente. Com resultados práticos nulos, diga-se, mas não foi por falta de vontade.

(+) Sentido prático do Benfica  Jesus foi o treinador que mais "inventou" no Dragão hoje à noite, especialmente pelo uso de um 4-2-3-1 amarrador, colocando César Peixoto no centro e usando-o para tapar Belluschi ao lado de um Javi Garcia que prendia Moutinho. Com Cardozo a receber muito jogo pelo ar e a prender o amorfo Maicon ao centro, o jogo era facilmente aberto para Sálvio ou Gaitán ou até para Saviola que apareceu muitas vezes na "terra de ninguém", qual Aimar. O Benfica apareceu para não sofrer golos e não só o conseguiu como enervou os defesas do FC Porto ao ponto de levar a falhas inadmissíveis e produzir um resultado muito bom para a segunda mão. Quando assim é, e mesmo não tendo feito um jogo admirável, há que congratular os vencedores. E acreditem que custou muito dizer isto.











(-) Maicon  Com este é o terceiro jogo grande em que Maicon fica ligado a lances que dão golo do adversário ou que levam à sua expulsão e abanam a equipa. Em Alvalade caiu no engodo de Liedson e foi expulso; na Turquia deixou que o avançado o ultrapassasse e foi expulso; hoje, foi a pior exibição de sempre com a nossa camisola, fazendo o suficiente para que Secretário fosse perdoado pela assistência perfeita a Beto Acosta aqui há uns anos. Facilitou não uma vez mas DUAS vezes perante um jogador que nunca desiste dos lances como Coentrão e está ligado aos dois golos do Benfica. A somar a essas duas parvoíces temos mais uma data de erros, de ridículas trocas de bola com Rolando e atrasos permanentes para Helton, levou todos os adeptos a puxar os cabelos de fúria quando perdia bolas fáceis e sentiu-se permanentemente pressionado. Não libertou a pressão e continuou a jogar mal. Muito, mas muito mal.

(-) James  Verde. Muito verde para estes jogos que exigem de um jogador uma capacidade de aguentar a pressão acima da média. Depois do tremendo falhanço na área do Benfica foi incapaz de conseguir levantar a cabeça e aparecer em jogo. Passou penosos minutos a olhar para a bola, não tapou o flanco nem apoiou o avançado nem os médios que estavam tapados e desesperadamente à procura de uma mísera linha de passe, deixando-se enredar na malha defensiva do adversário e perdendo duelo após frustrante duelo com Maxi Pereira. Tem de amadurecer muito.

(-) Hulk  Não foi o principal culpado da má exibição, mas não ajudou. Aqui culpo um pouco Villas-Boas, como já disse no passado, pela colocação de Hulk no centro, que se assemelha não a um "caçar com gato", mas a um "caçar com um ornitorrinco manco e leproso" quando enfrenta uma equipa que sabe tapar os espaços. Raramente conseguiu a margem que precisava para arrancar e perdeu-se em infindáveis fintas e fintinhas que enervavam o Papa. O João Paulo, não este rapaz que lá está agora. Na memória fica uma simulação simplesmente absurda que lhe valeu (bem) o amarelo, depois de ganhar espaço a Luisão e decidir voar para a relva. Ah, e perdeu a bola umas 6 ou 7 vezes para o César Peixoto. Não para o Ashley Cole, para o César...Peixoto. Shame, dude.

(-) Letargia e o baixar de braços  O principal factor que levou à mais pobre exibição da era Villas-Boas foi a incapacidade mental da equipa. Quando entrámos em campo e o jogo arrancou, cedo se percebeu que ia ter de ser um jogo de paciência, de rotação de bola e de libertação demorada da pressão alta do Benfica. O primeiro golo, fortuito e oferecido, abanou a equipa e começou a cavar a profunda sepultura em que a força de vontade para dar a volta foi enterrada. Quando surgiu o segundo golo, a sepultura foi invadida pelo equivalente moral da tuneladora do Metro do Porto. Nunca mais a equipa se encontrou e começou, ao contrário do que era minimamente exigível, a tentar fazer tudo depressa e, consequentemente, mal. Helton a pontapear bolas para a cabeça de Belluschi; Fernando, tratando a bola como se estivesse descalço a chutar um ouriço a romper passes rasteiros direitinhos a Luisão; Hulk a perder a bola para César Peixoto (não me canso de repetir esta destruição da ordem natural das coisas) e Belluschi a passar a bola para o lado sem olhar. Foi confrangedor ver jogadores que deveriam ter maior capacidade emocional de reagir a adversidades sem pegar no revólver e iniciar um jogo de roleta russa com 6 balas na câmara.



Perder contra o Benfica não é nenhuma tragédia, mas a forma como aconteceu deixa qualquer portista infeliz. É fácil, depois do jogo e das decisões tomadas, atacar Villas-Boas pelo critério do não-ponta-de-lança ou da escolha de Sereno em vez de Fucile. Mas há que perceber que o resultado surge depois de uma exibição pobre cheia de nervosismo e com pouca inteligência emocional de uma equipa que já mostrou que é capaz de muito melhor que isto. Villas-Boas, na conferência de imprensa, disse que não espera reflexos desta derrota no próximo jogo do campeonato contra o Rio Ave. Não sei se concordo mas espero pelo próximo Domingo para ver se é ou não verdade...

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Benfica

André, Montgomery luso!

O que dizer sobre este jogo? Mais, o que TE dizer sobre este jogo? Já vamos para a terceira partida contra o gigante vermelho nesta temporada e até agora saímos sempre limpinhos. A grande diferença é que este parece que vai ser um jogo um pouco diferente dos outros, na virtude em que não vamos ganhar nada, mas podemos perder muito. A Supertaça? Ganhámos, troféu para cá. O jogo para o campeonato? Vitória, ainda faltam muitos mais jogos para acabar o torneio e muita volta ainda pode dar esta tômbola da bola.

Mas a Taça? Aqui pia-se mais fininho e não estou a falar da voz do Carlos Martins. Aqui um golo sofrido pode significar uma mudança radical na eliminatória com um pequeno azar no jogo da segunda mão. Até podemos estar a ganhar por 2-0, tudo descansadinho...e depois uma falha, uma desconcentração, uma leviandade...e pumba, está o caldo não só entornado como em chamas. Por isso muito cuidadinho com a defesa.

Não sei se já sabes mas o Carlos Martins ficou de fora. Em nome dos adeptos Portistas, é um motivo de regozijo, porque ver aquele caga-tacos a correr no nosso belo relvado é tão motivador e interessante como observar o delicado obrar de um labrador na barragem de Crestuma. Mas isso também significa que vão encher o meio-campo com mais um talentoso e cuidadoso distribuidor de lenha para tentar a todo o custo arrancar as pernas do Moutinho pela raíz ou serrar os joelhos ao Hulk. Por isso muito cuidadinho com o meio-campo.

E na nossa frente (equivalente às traseiras deles), diz ao Hulk para não inventar. Que corra, que deslize como o vento e que olhe bem para o Falcao para lhe passar a bola. Espera lá, o Falcao vai jogar, pois vai? Diz-me que sim, André, não nos faças a desfeita de convocar o rapaz e depois mandá-lo para a bancada VIP para perto dos tótós todos que não pagam bilhete! Nem que o rapaz tenha de jogar de muletas, é para estar lá dentro!!!

É para ganhar, como todos os clássicos. Mas este em particular, é para ganhar sem sofrer golos. O resto...lá para Abril tratamos disso.

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Dicas rápidas para ganhar ao Benfica

Este ano temos um score perfeito contra o actual campeão nacional. Dois jogos, duas vitórias, 7 golos marcados e zero sofridos. Responsáveis por estes números foram duas exibições quase perfeitas, de raça e vontade, com índices de concretização e concentração excelentes. Mas este jogo será um pouco diferente, seja pelas circunstâncias das lesões do nosso lado ou pela boa forma do lado contrário, quer-me parecer que este jogo vai ser mais complicado de vencer. Podem dizer que é o meu lado pessimista a vir ao de cima, mas trata-se de uma pura análise estratégica das forças morais que têm regido os dois lados da barricada. Assim sendo, quais serão as nossas melhores hipóteses para levar de vencida aquela que será a principal oponente à vitória nesta competição? Ficam as dicas:


  • Aproveitar os flancos...
Não é segredo nenhum que a grande força do FC Porto está na construção de jogadas ofensivas, particularmente com o uso dos dois extremos em apoio ao ponta-de-lança. Sejam eles Varela, Hulk ou James (já que Mariano e Cristian Rodriguez parecem arredados de uma contribuição de valor acrescentado), qualquer um deles pode virar o jogo para o nosso lado. Partindo do pressuposto que Falcao será utilizado e Hulk terá Coentrão pela frente, o papel do outro extremo torna-se ainda mais importante, porque Maxi é um defesa rijo que joga no limiar da violência, contando com a permissividade de muito bom árbitro ao bom estilo Luiziano. Assim sendo é ainda mais importante ter o apoio do lateral (Fucile, presumo) para criar situações de 2x1.

  • e tapar os flancos.
Ao mesmo tempo que devemos avançar com os nossos rapazes pelas alas, também temos de ter algum cuidado com a rapidez dos extremos deles. Gaitán mas principalmente Sálvio (não por ser um jogador genial, que não é, mas por ser rápido e saber bem o que fazer com a bola) vão explorar qualquer oportunidade de ruptura pelas alas, apoiados sempre por Coentrão e Maxi que já são nossos velhos conhecidos. Tanto Sapunaru como Fucile têm de estar precavidos contra subidas exageradas sem cobertura e Fernando vai ter de estar muito atento (com Guarín o fez no 5-0) para tapar as subidas dos nossos laterais.

  • Pausar o jogo sempre que fôr preciso
Moutinho e Belluschi. Duas faces da mesma moeda, a cabeça e o irreverente, a calma e a loucura, a pausa e a aceleração. Por estes rapazes, marcados de perto por Javi Garcia e talvez Airton, vão estar sempre no centro da acção. Têm de arranjar maneira de acalmar o jogo, de recuar quando fôr necessário para evitar a pressão de um meio-campo defensivo do Benfica que é forte e rijo e que vai obrigar a encontrar espaços não só para a frente mas também pela rotação da bola por zonas mais recuadas. Habituem-se e parem de assobiar.

  • Atenção à cobertura no contra-ataque
Guarín teve a sua oportunidade e agarrou-a bem. Fez um jogo muito bom no 5-0 mas foi já re-substituído por Fernando, um jogador com mais talento natural para aquela posição. Fernando tem de se entender muito bem com os laterais e com o central mais adiantado (que será, salvo erro, Otamendi) para cobrir a "terra de ninguém" que Aimar e Saviola sabem aproveitar muito bem.

  • Pressão sobre o colega de Luisão
Sem David Luiz o Benfica fica mais fraco. Não vale a pena lembrarem que o Hulk lhe desfez os rins no 5-0 porque esse foi um jogo atípico, até porque o rapaz valia muito mais que aquilo que mostrou, especialmente quando jogava no centro da defesa. Assim sendo, e pressupondo que Jesus não vai inventar como fez (mal) no passado, o lugar ao lado de Luisão será ocupado por Sidnei ou (vá-se lá saber porquê) Roderick. Qualquer um desses dois tem de ser pressionado para falhar, porque não tenham dúvidas: quem quer que seja o rapaz, vai estar nervoso.


Muito mais haverá a dizer sobre as previsíveis nuances tácticas do jogo desta quarta-feira. Destaquei estas três porque o FC Porto tem de dominar o jogo, não só de o controlar. Tem de marcar e evitar sofrer, porque numa eliminatória com dois jogos em que os golos fora contam a dobrar (ver regulamento aqui) não se podem correr riscos. Muito menos contra o Benfica.

Leia Mais...

Fecho do mercado

Estas foram as contratações mais bem conseguidas no mercado de Inverno para nos dar o título:



Boa sorte, meninos. Acho que falo por todos os Dragões quando digo que não vamos sentir a vossa falta.

Leia Mais...

Para quarta-feira...


...eu já tenho o meu...e vocês?


Leia Mais...

Baías e Baronis - Gil Vicente vs FC Porto

Foto retirada de desporto.sapo.pt

Se analisarmos o jogo pelo jogo, pelo espectáculo de futebol que se praticou hoje no Estádio Cidade de Barcelos, a jogatana foi interessante. Uma equipa de uma divisão inferior conseguiu submeter o líder do campeonato do nível superior a um empate que foi pouco mais que infeliz. A nossa equipa, teoricamente mais forte, não conseguiu impôr o futebol que deveria ser mais forte, mais prático, numa palavra: melhor. Não conseguiu. O pior é que tentou. E o simples facto de o ter feito, de ter atirado o que tinha para cima do adversário na busca da vitória e essa mesma vitória não ter sido alcançada é motivo para preocupação. Notas abaixo:










(+) A genial assistência de Guarín É um momento para ver e rever. Quando Guarín recebe a bola no centro, pronto para rebentar uma bojarda colombiana daquelas que metade das vezes vai acertar num pano da claque e o resto das vezes acerta no interior das redes...eis senão quando Fredy, o nosso Fredy, apercebe-se que Rafa está à sua esquerda e coloca-lhe a bola limpinha e prontinha para marcar um bom golo. Foi um momento mágico, uma inspiração momentânea que faz do futebol o melhor desporto do mundo. Parabéns, Guarín!

(+) Rafa (a marcar)  Segundo golo pelo FC Porto, segundo golo na Taça da Liga. Sobe bem e parece estar muito mais motivado para surgir no ataque em apoio ao extremo à sua frente e o facto de surgir na área em posição de remate faz dele um elemento útil até ao final da época, especialmente quando foi pré-convocado por Paulo Bento para a Selecção. Ah, esperem, a época de Emídio Rafael terminou hoje em Barcelos. Porra.

(+) Sereno  É difícil escolher um bom elemento no jogo de hoje. Tendo em conta o meu histórico de críticas ao rapaz, é ainda mais complicado conseguir dizer bem dele, mas é merecido. Foi dos poucos que tentou remar para a frente com garra suficiente para investir pelo flanco dele (pelo esquerdo na primeira parte, no direito na segunda) e arriscar o que era preciso para arrastar o jogo para o meio-campo do Gil Vicente. Não foi muito produtivo mas gostei de o ver a tentar.












(-) A lesão de Rafa  Desde o Alverca vs FC Porto que não via uma lesão tão grave a resultar de um lance tão inocente. Quando vi Anderson a ser ceifado por Katsouranis, percebi que tinha sido grave. Quando vi Jorge Costa a tentar torcer-se para acompanhar Owen num FC Porto vs Liverpool, reparei na gravidade da torsão do joelho. Hoje, quando Rafa "dobrou" o pé, o meu cunhado só olhou e disse: "ei. foda-se." Chegou para perceber. Custou ver e deve ter custado muito mais ao rapaz. As melhoras, puto.

(-) Passividade  A infeliz lesão que sofreu não o salva da crítica. O segundo golo do Gil é culpa quase completa da passividade da defesa. Desde Maicon até Rafa, passando por um meio-campo que deveria ter mais consciência da equipa que lhes dá a oportunidade de ostentar as suas cores, toda a equipa mostrou uma passividade que não se pode admitir ao nível que estamos. Compreendo Villas-Boas quando faz alinhar uma equipa secundária, mas como Jesualdo contra o Fátima, apesar do resultado deste não interessar quando comparado com o outro, continuo a achar que as segundas escolhas só se conseguem integrar na equipa quando introduzidos em pequenas quantidades e não em granel à força. O que me custa mais é ver que há esforço mas não há talento. E isso ainda me preocupa mais.

(-) Frente de ataque inoperante  Creio que a partir deste jogo não haverá mais ninguém que diga que é melhor jogar com Walter ao meio em vez de adaptar Hulk à posição de ponta-de-lança. Walter e os esforçados mas pouco produtivos Rodríguez e Mariano nunca conseguiram mostrar o porquê de serem elementos do plantel do (que esperamos vir a ser) futuro campeão nacional. Fracos, ineficazes, parvos, sem chama, sem talento. Mau demais.



Perdemos, pelo quarto ano consecutivo, a oportunidade de vencer a Taça da Liga. Desde o Fátima, passando pelo Sporting e pelo Benfica, foram quatro troféus que desperdiçámos e que nos atrasam na estatística desta competição. Se nenhum portista prima pelo amor a esta Taça, ninguém desdenharia um triunfo na mesma, por muito que a menosprezem quando perdemos. Não foi para este ano. Será para o próximo! Agora...venha a outra Taça. Para lá do troféu, o que conta na meia-final que aí vem é o prestígio mesmo.

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Gil Vicente

André, orientador de mentes jovens!

Acho que não há nenhum adepto do FC Porto que esteja a vibrar intensamente com o jogo de hoje e sabes disso. Cada jogo é um jogo e cada oportunidade de ver a nossa equipa em campo é mais uma chance de a apoiar e de tentar vencer a competição em questão.

Mas...este jogo é diferente por causa do próximo. É uma parvoíce, certo? Não, não é. A probabilidade de sairmos destes noventa minutos em Barcelos com o bilhete para as meias-finais da Taça da Liga é tão alta como o Rui Barros e mesmo sabendo que vais poupar alguns titulares, se calhar era boa ideia fazeres o mesmo com mais um ou dois. Assim de cabeça estou-me a lembrar do Hulk e do Moutinho, pronto. É que por muito que a Bíuíne Cup nos custe abandonar pelo quarto ano consecutivo sem a vencermos, se calhar é mais proveitoso pensar em impedir os rapazes de se enervarem (no caso do Hulk) ou de se lesionarem (no caso do Moutinho) e depois não poderem jogar contra a vermelhada na quarta-feira.

Tu é que sabes, claro, é para isso que ganhas o teu carcanhol. Mas fica o conselho: não vale a pena um gajo matar-se neste jogo para morrer no próximo.

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Planeta Azul Nº18 - Alianza Lima


Planeta Azul Nº18 - Alianza Lima







País: Perú

Leia Mais...

Apenas sensatez

"A Comissão Disciplinar da Liga abriu um inquérito aos incidentes na Luz. Normal. Depois do país inteiro constatar em direto , na televisão , o que aconteceu entre Jorge Jesus e Luis Alberto , seria um ato de completa irresponsabilidade não instaurar um inquérito para se deliberar sobre o que fazer.

É claro que , durante um ou dois meses , vamos assistir àquilo que já aqui referi na noite dos acontecimentos , ou seja , de um lado , os que vão exigir uma "punição exemplar" e , do outro , os que vão sustentar que isto "são coisas normais" no futebol. Nada que não conheçamos de estórias anteriores. Quando , o que se passa , é que não estamos perante algo que justifique uma "punição exemplar" , nem que seja "uma coisa normal" no futebol."

Mário Fernando in Jogo Jogado

Cada vez tenho mais respeito pelo Mário Fernando. Não sei de que clube é, nem me interessa muito, só sei que gosto do que escreve.

Leia Mais...

Que pena, Domingos!

"Eu vi, como todos os portugueses viram, os jogadores do Sp. Braga agredirem jogadores e funcionários do Benfica, no intervalo do jogo entre os dois clubes. Tal como vi as imagens das agressões de jogadores do FC Porto, no túnel da Luz. Portanto, escusa de negar a realidade. Se alguém anda a prejudicar o Sp. Braga, ou o FC Porto, são os jogadores das duas equipas, que tiveram atitudes essas sim inqualificáveis em profissionais de futebol. É evidente que eu preferia que o senhor declarasse que comportamentos desses são graves e prejudiciais aos interesses do clube que lhes paga o salário. Mas, esse desejo é puro delírio da minha cabeça e nunca irá acontecer. O futebol português há muito que vive da negação da realidade e da pura mentira. É muito mais fácil, e popular, atacar os obscuros "corredores do poder"..."

Domingos Amaral in Record, 7 de Fevereiro de 2010, sobre o caso do túnel da Luz.

É uma pena que pouca gente se ofereça como voluntário para te curar a ressaca, Domingos.
É que agora estou mesmo com vontade de ler o que vais escrever com a espinha feita num oito.

Leia Mais...

Carrinho de Vendas - Inverno 2010/2011 (em actualização)

Estamos a pouco mais de uma semana do recomeço no meio da silly season das transferências de Inverno e urge começar a compilar os nomes que já se têm vindo a falar como saídas "prováveis", "possíveis", "equacionadas", "ponderadas" e outros termos vagos que muitos jornalistas usam para arremessar barro à parede. Todos os nomes foram retirados de jornais desportivos ou blogs da especialidade, não quero contribuir com nomes à louco para o barulho que já existe em demasia.

Assim sendo fica a primeira lista que decerto vai ser bastante mais completa no final de Janeiro:

EDIT: artigo em contínua actualização até 31 de Janeiro

NEGÓCIOS CONFIRMADOS:

ENTRADAS:
-

SAÍDAS:

Benítez - Estudiantes
Castro - Sporting Gijón (empréstimo)
Dias Santa Clara (empréstimo)
Diogo Viana - Aves (empréstimo)
Tengarrinha - Setúbal
Tomás Costa Universidade Católica (empréstimo)
Ukra - Braga (empréstimo)


ENTRADAS (está potencialmente interessado em):

Anderson - Man Utd
Bruno Teles - Guimarães
Canella - Sporting Gijon
Diego Maurício - Flamengo
Diogo Figueiras - Pinhalnovense
Éder - Académica
Funes Mori - River Plate
Guilherme Costa - Vasco da Gama
Hugo Almeida - Werder Bremen
Jardel - Olhanense
José Luis Palomino - San Lorenzo
Juan Iturbe Cerro Porteño
Kelvin Paraná
Kléber - Marítimo
Lima - Braga
Mario Santana - Fiorentina
Sálvio - Atlético Madrid
Sílvio - Braga


SAÍDAS (consta que tem as malas feitas para):

Abdoulaye - Standard Liége
Belluschi - River Plate
Castro - Académica, Portimonense, Olhanense, Braga, West Ham, Crystal Palace
Cristian Rodriguez - Atlético Madrid, Everton, Panathinaikos, Espanhol, Sampdoria, Boca JuniorsPeñarol
Emídio Rafael - Braga
Falcao - Nápoles, Milan, Bayern Munique, Atlético Madrid, Tottenham, Galatasaray, Arsenal
Fucile - Lazio, Sampdoria, Liverpool
Helton - Fluminense
Hulk - Chelsea, Man Utd, Sevilha, Man City, Inter, BarcelonaTottenham
James Rodriguez - Espanhol, Sampdoria, Chievo, Juventus, Racing Avellaneda, Estudiantes
João Moutinho - Barcelona
Mariano González - Racing Avellaneda
Prediger - Colón
Rentería Independiente Medellín, Once Caldas
Rolando - Juventus
Sapunaru - Hamburgo, Blackburn, Leverkusen
Souza - Vasco da Gama
Tomás Costa Independiente
Ukra - Portimonense, Académica, Braga, União Leiria
Varela - Man Utd

Ah, e não esquecer:

André Villas-Boas - Inter, Liverpool


Se tiverem ouvido mais alguns...façam favor de me informar para adicionar à "especulista".

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Nacional

Foto retirada do MaisFutebol

Ao contrário do jogo contra o Beira-Mar, este nunca foi um tédio. Entrou muito bem, ao contrário do que aconteceu nos últimos encontros, e fez um jogo muito competente, calmo, tranquilo, a rodar a bola com facilidade, falhando poucos passes de progressão e não fossem algumas facilidades dadas pelos centrais na tentativa de puxar o Nacional para uma pressão ainda mais alta e abrir espaços, o jogo teria sido quase perfeito. Hulk em grande, James a melhorar muito e a melhor exibição (de longe) de Rafa com a nossa camisola. A qualidade do jogo foi directamente proporcional à temperatura que se sentia no Dragão, porque se começou em grande com um ambiente fresquinho, foi baixando ligeiramente à medida que a malta ia enregelando nas bancadas. Ainda assim houve brilho nos golos, afinco no controlo do jogo e algumas jogadas geniais acabaram por aquecer os corações, já que as extremidades não tiveram a mesma sorte. Allez à les notes:










(+) Hulk  É actualmente O jogador de decisão no FC Porto. Com Moutinho um pouco mais apagado que no início da temporada e Falcao afastado tanto tempo por lesões sucessivas, Hulk é o verdadeiro abono de família cá do burgo. O jogo está preso? Passem para o Hulk. O meio-campo não roda a bola com velocidade? Passem para o Hulk. O Varela está preso de movimentos? Passem para o Hulk. Todo o nosso jogo depende dele, das arrancadas e dos remates de longe ou de perto, a presença dele torna o nosso jogo melhor, tão melhor que os adeptos já lhe perdoam uma ou duas parvoíces de fintas impossíveis porque...nunca se sabe o que dali vai sair. Merece a chamada à Selecção.

(+) James  Está a evoluir bastante na equipa e marcou hoje um golo que lhe vai valer ainda maior confiança dos adeptos. Villas-Boas apostou no puto na altura certa e parece cada vez mais adaptado à equipa e ao nosso futebol. Ainda tem muito para aprender, especialmente quando recebe a bola em zonas de decisão, porque parece enervar-se e tenta passar a bola rapidamente ou rematar sem grandes hipóteses de sucesso e acaba por se atrapalhar, como hoje sucedeu algumas vezes. Precisa de continuar a melhorar mas tem talento que chegue e sobre para ser um elemento activo no plantel.

(+) Rafa  O melhor jogo de Rafa com a camisola azul-e-branca acabou por ser, ironicamente, vestido de amarelo. Deu continuação à boa exibição de Aveiro com uma excelente partida hoje à noite, inteligente no corte, perfeito no domínio de bola pelo flanco (fez uma "picadinha" para passar por um jogador do Nacional que lhe valeu um belo aplauso) e até os cruzamentos estavam a sair bem medidos. Se jogar sempre assim, com Sapunaru no outro flanco a manter o nível alto desde o início da época, Fucile está com a vaga no onze tapada.

(+) Sapunaru  Muito bem, mais uma vez. Foi menos explosivo que Rafa mas igualmente bem no controlo defensivo da zona que lhe estava reservada. Tentou sempre subir com força e alguma cabeça, aparecendo várias vezes na entrada da área ou até lá dentro (a heresia!) e se tivesse sido melhor servido por Belluschi (que parece por vezes passar a bola com mais força do que remata, admita-se) até podia ter marcado um golinho. Que época está a fazer o romeno!











(-) Varela  Não está em forma e nota-se na forma como aborda a maioria dos lances. Parece distraído e alheia-se das jogadas quando é obrigado a rodar rapidamente e fazer um sprint com a bola controlada parece tão fora do seu alcance como o Brad Pitt para a Odete Santos. Com Hulk a jogar ao meio Varela parece perder-se ainda mais, porque a grande maioria das bolas que lhe foi parar acabaram retornadas a Rafa ou perderam-se pela linha final. Começa a ser penoso vê-lo na equipa titular.

(-) Falhas técnicas (outra vez) na defesa  Não me incomoda nada quando vejo um jogador a atrasar a bola para o guarda-redes. Por vezes é a melhor forma para libertar a pressão de um ou mais adversários e rodar a bola para zonas mais tranquilas. O problema nesta equipa do FC Porto acaba por ser a forma como os defesas (principalmente os centrais e Fernando) parecem incapazes de controlar a bola com a concentração necessária e vêem-se quase sempre incapazes de simples passes que permitam progredir no terreno. Hoje notou-se perfeitamente o nervosismo de Rolando e Maicon com a bola nos pés, havendo alturas em que quase se notava o proverbial feijão a sair dos calções, tal apertado estava o orifício em que tentava entrar. Há que melhorar nessa área.



Neste momento, com um jogo a mais, temos provisoriamente 11 pontos de avanço (que serão 12 porque não acredito que possamos perder na Luz por mais de 5 golos e tenho fé que nem sequer perdemos) e faltam agora 12 jogos para terminar o campeonato. Desses 12 jogos, 5 serão no Dragão e outros 7 fora de casa. Dependemos apenas de nós e temos tudo na mão para vencer esta treta e a jogar como fizemos hoje, contra uma equipa forte e matreira, somos os grandes candidatos a chegar ao final no topo. E agora há que tentar um pequeno milagre no Sábado e esperar que este mesmo Nacional fraqueje contra o Beira-Mar...

Leia Mais...

© 2008 Por *Templates para Você*