Inúteis

O FC Porto venceu no Sábado a Académica. Foi um jogo épico, em condições estupidamente difíceis, onde 11 homens enfrentaram outros 11 homens sobre um relvado encharcado, com luta, emoção, competição saudável, agressividade positiva, dedicação à profissão, brio e capacidade de sofrimento, de empenho, de garra e de alma. Os esforçados guerreiros de ontem deram um exemplo ao país, que parece desanimar quando o cenário está complicado, baixando os braços e atirando as responsabilidades para terceiros. Mostraram que a força de um grupo está na união, no cerrar fileiras para que possa vencer, atravessando dificuldades previstas e imprevistas, contra tudo e contra todos, até os elementos.

Esta é a capa d'A Bola de hoje. O enfoque está numa piada absurda sobre tourada em alusão ao jogo entre o Leiria e o Sporting. Menção ao jogo de Sábado? A bola à trave no livre da Académica e o golo de Varela.

Não sou editor nem redactor, mas se fosse e alguém chegasse perto de mim a dizer: "E a capa vai ser esta.", mandava-o arrumar as tralhas que têm na mesa dele porque estava despedido. Mas deve ser problema meu.

Leia Mais...

Baías e Baronis - Académica vs FC Porto


Enquanto jantava, rodeado de amigos em convívio bem humorado, ia espreitando de vez em quando o jogo. Na altura fiquei com a nítida impressão que era um jogo que nunca se devia ter realizado, porque simplesmente não foi um jogo, foi uma batalha. Uma luta contra o terreno, contra a relva, contra a piscina em que o campo se transformou. Quando cheguei a casa e vi os 90 minutos por completo, confirmei a ideia que tinha. Um jogo destes só pode ser resolvido por um azar ou por um lance de inspiração individual. Valeu-nos o segundo. Venham as notas:









(+) Todos os jogadores do FC Porto e Académica Todos eles são pequenos heróis. Uma espécie de Aquamen, pronto, que não estando ao nível de um Batman ou de um Homem-Aranha, estão inscritos na Ordem dos Super-Heróis na mesma. Jogar 90 minutos nestas condições é muito difícil, cansativo, propenso a erros e pode levar a lesões graves. Quase todos se viram perante este cenário de chuva intensa, de inclemente temporal e certamente olharam para o relvado, pensando: "Que se lixe, vamos a isso, rapazes!". Todos os jogadores mostraram que ser jogador de futebol numa equipa de topo significa ser conhecido na rua pelos adeptos, é ter uma vida financeiramente confortável, é fazer o que se gosta. Mas é também um sacrifício físico, um extenuante exercício de luta, esforço, alma e profissionalismo. Puxando a brasa à nossa sardinha, vendo Álvaro a deslizar pela água, Sapunaru a deitar-se para impedir um remate adversário, Hulk a tentar acelerar e quase caminhar sobre as águas, Falcao a falhar remates e a escorregar sozinho, Helton a agarrar bolas impossíveis enquanto espremia (sim, espremia) as luvas...fica a ideia que foi cruel obrigar estes rapazes a fazer este esforço.

(+) Belluschi Se houve um jogador que se destacou pela positiva ao nível do futebol praticado, foi ele. A capacidade técnica acaba por não ser a principal arma de um jogador nestas condições, mas Belluschi foi dos primeiros a conseguir perceber que a única maneira de avançar com a bola de uma forma mais eficiente era levando-a pelo ar com pequenos toques depois de a levantar "à futebol de praia". Foi o melhor jogador do FC Porto e nem preciso de falar do espírito de sacrifício e de luta, mas há que enaltecer a forma como arrastou a equipa para os locais que eram precisos. Moutinho esteve igualmente bem mas Belluschi foi brilhante.

(+) Varela Um golo perfeito, na altura perfeita, marcado por um jogador que tem pouco de perfeito mas muito de lutador e empenhado. Este jogo só podia ser resolvido por um lance destes e Varela esteve lá para picar o ponto e dar três importantíssimos pontos na luta pelo título. Obrigado pela inspiração, rapaz.

(+) Os adeptos do FC Porto Só se ouviam três coisas pela transmissão da TVI: a chuva, o irritante anti-portismo do Valdemar Duarte e os Dragões nas bancadas. O apoio foi constante durante todo o jogo e a forma como os jogadores foram dedicar o triunfo à malta que estava também ela à chuva e ao frio e ao vento (e à espera que começassem a chover calhaus, sei lá) é sintomática da união que neste momento se sente entre equipa e adeptos. E é um orgulho.










(-) Duarte Gomes Sem falar de qualquer lance, nem do penalty marcado e do não marcado, de algumas faltas bem ou mal marcadas, uma referência ao shôr árbitro. Não consigo entender como é que Duarte Gomes permite que este jogo se realize. Não sendo um conhecedor profundo das leis do futebol, sempre tive presente que o árbitro era o principal decisor no que diz respeito à avaliação das condições para que uma partida se possa efectuar, e a de ontem não as reunia. Não entro em teorias de conspiração, apenas me parece uma decisão imprudente e um risco enorme para a integridade física dos jogadores, porque se em condições normais já há hipóteses dos rapazes se magoarem seja em que lance fôr, essa probabilidade aumenta imenso quando o terreno está no estado que se viu ontem. Até para si é prejudicial, porque qualquer carrinho, qualquer mini-empurrão pode dar origem a faltas que não fáceis de avaliar! Uma má decisão, de qualquer maneira que a queiram ler.

(-) S.Pedro Se Deus é do Boavista, como vi ilustrado em vários estádios por este país quando o clube do Bessa ainda aparecia na televisão, parece-me que o Seu porteiro não gosta muito da bola. Não sei se o estádio tem um sistema de drenagem bem instalado e se estava a funcionar, mas parece-me que com a quantidade de chuva que caiu ontem, acho que nem com um campo inclinado a água tinha saído.





É complicado fazer uma análise honesta e tecnicamente correcta sobre um espectáculo como o que ontem se viu em Coimbra. Vencemos e não se pode dizer que jogamos bem porque era impossível. Ainda assim, pela luta e entrega dos jogadores e pelo talento de Varela, saímos de Coimbra com as roupas encharcadas e os três pontos no saco, que no fundo era o que mais importava. Venha o Besiktas. E por favor que não chova tanto.

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Académica

André, grande líder!

Inclemência! Martírio! Lamento! Tristeza! Não vou poder ver o jogo, pá! Um conjunto de coincidências afasta-me da partida que até estava a pensar em ir ver ao vivo em Coimbra, estádio onde nunca pus os pés e que tu conheces bem...mas não vai poder ser. Lá terei de ver o jogo pela televisão, se conseguir, porque nessa altura estarei bem rodeado de amigos numa festarola bem bonita e cheia de boa disposição, alegria e vodka. Saliento a última, a única capaz de impedir que veja bem o jogo, claro!

Não esperes facilidades, já sabes. Os gajos que estiveram contigo no ano passado e que responderam mais ou menos bem às tuas indicações...este ano tiram-te o escalpe como o Vale e Azevedo muda de nome, por isso não te iludas com as amizades. E lá pelo Jorge Costa ser quem é não quer dizer que não tente ganhar! Ah pois é, que aqui na nossa casa não se treinam perdedores, rapaz! Aqui ensina-se a ganhar e o Bicho sabe disso. Manda-lhe um abraço por mim e diz-lhe que a minha mãe ainda se lembra quando desceu com ele no elevador num hotel em Chaves aqui há uns anos, só para chegar à recepção e me dizer: "Que rapaz alto que vinha comigo no elevador, deve ser jogador do Porto", comigo aos saltinhos a clamar por um autógrafo. Outros tempos, é o que é.

A mourada lá ganhou. É pena, mas temos que continuar na nossa onda, um jogo de cada vez, não é? Pode ser que estes estejam todos ramados com as praxes ou lá o que é que fazem entre as bebedeiras. Estes estudantes são jeitosos, cuidado. E atenção aos sprinters da frente, principalmente aquele, o chupa-chups ou chiclete ou sugu ou lá como é que se chama o moço. Corre mais que um cigano a fugir da ASAE por isso vê lá se pões o Sapu ou o Álvaro a seguir-lhe os calcanhares desde cedo para não haver chatice.

Ainda por cima só posso fazer a croniqueta no domingo à noite. Que se lixe, é um dia de atraso mas a vitória vai saber bem. Vai, não vai? Vai.

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Passagens de testemunho?


O número 1...




e o número 9...

Leia Mais...

Eugénio Queirós e o Apito Dourado

Só assim como quem não quer a coisa, dêem um salto ao blog do Eugénio Queirós no Record, chamado Bola na Área.

E leiam. Pode ser que fiquem com uma ideia um pouco mais...abrangente do processo Apito Dourado, que se calhar tem uma paleta de cores mais diversa.

Just sayin'.

Leia Mais...

Quantos amarelos tem Moutinho?

No campeonato, pelas minhas contas, do ZeroZero e da Liga...3:

1ª Jornada - Naval @ Figueira da Foz
4ª Jornada - Braga @ Dragão
5ª Jornada - Nacional @ Madeira

Mas n'A Bola vejo que tem 4 e que Villas-Boas está a equacionar descansar o rapaz no sábado em Coimbra para não arriscar suspensão no jogo contra o Benfica.

Moutinho foi amarelado na Supertaça, esses também contam?!

Leia Mais...

Os (maus) cronistas da nossa praça: Marta Rebelo

De há uns anos a esta parte, começou a surgir no nosso futebol um fenómeno que tomou o mundo da imprensa escrita e online de assalto: os cronistas colunáveis. A proliferação desta espécie de opinadores foi uma pequena praga que empurrou os tradicionais rapazes que sabiam da bola para canto, substituindo-os por pseudo-amantes de desporto disfarçados de sábios, com lugar cativo nalgumas das principais publicações que povoam o nosso panorama jornalístico.

Um excelente exemplo deste potpourri de lixo retórico dá pelo nome de Marta Rebelo. A ex-deputada e aparentemente colunável opinadora é uma das cronistas do Record, um jornal (se ainda obedecer à definição) que não prima propriamente pelo bom gosto, ou não fosse do grupo Cofina, ao qual pertence esse baluarte do jornalismo português como é o Correio da Manhã ou o felizmente falecido 24 Horas (EDIT: o 24 Horas pertencia ao grupo Controlinveste. Obrigado pela correcção, Nuno!). Quando lemos os textos que são delicodocemente escritos por Marta, uma sensação de deja-vu invade-nos e somos assolados por uma onda de melancolia e nostálgicas sensações de paz e tranquilidade, à medida que somos transportados pelo tempo para o nosso 5º ou 6º ano de escolaridade, quando tínhamos de fazer redaçcões sobre o que se passava no mundo à nossa volta. Ah, as saias da Professora de Música, as calças justas da de Ciências, ou a rude faceta do sempre energético fulano que, ao abrigo de uma suposta licenciatura em Desporto, lá obrigava a canalhada a correr à volta do campo enlameado gritando "vamos lá, meninas, só falta sete voltas!". Que estupor. Enfim, de volta à Marta.

Não me incomoda que a Marta ande pela Caras a exibir o seu novo boy-toy. Nem me choca nada que haja gente que compre a mesma revista só para ver isso. Mas, à imagem de outras Martas, esta é um bom exemplo de algo que está mal no jornalismo desportivo português. Em vez de gente que sabe e que por muito que trate mal o nosso clube quando é merecido, alguns preferem convidar gente que escreve coisas como "treck record" ou rimas como "Porque a basculação ofensiva foi pujante, mas o desperdício frustrante", num exercício que é quase tão interessante como ver tinta a secar numa parede.

Ler Marta Rebelo assemelha-se a um almoço de comida chinesa. Enquanto mastigamos tudo parece saber ao mesmo e uma hora depois já nem sabemos dizer o que metemos cá dentro.

Leia Mais...

Hulkongratulations



Aquilo que ele tem na mão é:
  • o prémio de melhor do mês;
  • uma homenagem metafórica à forma como ele corre como uma bala;
  • um supositório para rinocerontes
  • uma lava-lamp modernizada?
Respostas e/ou teorias aceitam-se.

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs União Leiria

Foto retirada do MaisFutebol

Quando ia às Antas aqui há uns anos, na época do Oliveira e do Fernando Santos, regressava a casa e a minha mãe invariavelmente perguntava-me: "Salvé, meu primogénito! Que tal se portou a agremiação de camisolas verticais em tons de azul e branco que tu apoias com a força de mil sóis?". A minha mãe é assim, um amor de formalidade e discurso retórico. Mãe, se estiveres a ler, estou a brincar. Continuando. Eu respondia: "São uns nabos.". Ela retorquia: "Mas perderam?". Eu, resignado: "Nah, ganhámos 3-0 mas podíamos ter ganho por muito mais!". Hoje, esta história repetiu-se. Venham as notas:









(+) Hulk Como é que se pára um combóio? Deve ser mais ou menos isto que os jogadores adversários pensam. Hulk está em grande forma, com uma moral incrível, marcando golos atrás de golos, qual deles o melhor. Excelente nos arranques e nas combinações com Falcao, está a valorizar-se cada vez mais no futebol mundial e apesar de ainda precisar de crescer tacticamente, especialmente na cobertura defensiva do flanco onde joga, parece-me que temos já um jogador bem mais madura do que estava no ano passado. Villas-Boas está a conseguir potenciar o melhor Hulk que já vimos e o rapaz mostra serviço. E de que maneira!

(+) Falcao Actualmente é imprescindível no ataque do FC Porto, não só pelos golos que marca mas pelos espaços que abre e pela forma como funciona à pivot na criação de jogadas de ataque, jogando de costas para a baliza e aproveitando as movimentações de Moutinho e do colega-do-Moutinho que joga ao lado. O entendimento com Hulk está a beneficiar a equipa de uma forma como não se viu ano passado, em que Falcao "apenas" marcava golos e não encontrava um Hulk tão solto, tão liberto e tão pronto a receber as bolas com melzinho que o colombiano lhe coloca. Muito bem.

(+) Ruben Micael Dizia para o colega do lado no início do jogo: "Este jogo é muito importante para o Ruben, o rapaz precisa de minutos e de confiança". E aproveitou-a da melhor maneira. Um jogo esforçadíssimo, cheio de garra e de inteligência, com passes excelentes a rasgar a defesa, assistências para golo e a somar à estrutura do meio-campo como Belluschi não tinha vindo a fazer nos últimos jogos. É o mais próximo de um número 10 que temos no plantel e sendo totalmente diferente do argentino que hoje substituiu, fez um jogo muito bom. Recebe a bola, pára, olha e roda. É isso que lhe é pedido e foi isso que fez hoje, na perfeição.

(+) Fernando Recuperou montanhas de bolas na primeira parte e o penalty não suja uma boa exibição, depois do enterranço no Bósforo. Já começo a desistir de pensar que tem de melhorar no passe longo porque, sinceramente, acho que já não vai lá, mas pode e deve continuar a fazer as arrancadas como fez já na parte final do jogo, voando pelos jogadores adversários durante uns bons 50 metros para sofrer falta à entrada da área e sacar um amarelo. Viste, Souza?

(+) Álvaro Pereira Melhor que o costume, principalmente na segunda parte. Falhou menos passes e entrou muito bem nos lances ofensivos. Deve haver qualquer relação entre os arranjos capilares e as boas exibições. Ainda hei-de descobrir qual é.










(-) Souza Perdeu já o capital de confiança que os adeptos lhe deram nos primeiros jogos e está a enfrentar uma batalha a subir uma montanha para a recuperar. Quando um jogador entra em campo para substituir João Moutinho, como tem acontecido com Souza, ninguém lhe pede que seja igual ao João Moutinho. No entanto, não pode fazer com que o meio-campo perca quase toda a dinâmica que tinha, que comece a falhar passes consecutivos, se enfie no meio de 2 ou 3 jogadores contrários de onde não vai conseguir sair com a bola controlada e que invente fintas quando não as sabe fazer. É essa a principal diferença para Moutinho: saber jogar à medida do que a situação exige. E Souza não o sabe, ou mostra ainda não o saber fazer. Tem de melhorar muito.

(-) Fucile Está a queimar jogos atrás de jogos com as falhas do costume, a lentidão do ano passado (pré-Mundial) e a indecisão no passe e na recepção. Nunca pensei vir a dizer isto, André, mas neste momento Sapunaru é a melhor solução para defesa-direito.

(-) Maicon Até esteve bem durante quase todo o jogo, por isso este Baroni não é exactamente pela exibição. É pelos ridículos passes longos falhados. Fico possuído quando vejo jogadores da minha equipa que se lembram de passar a bola ao longe, cheios de confiança e força, para um colega que está invariavelmente perto da linha e que vai ter de dominar a bola que chega a uma velocidade perto de uma V2 alemã da WWII com o peito ou com a cabeça enquanto é rapidamente pressionado por um defesa. A alternativa é passar para o lado ou para trás. Mas isso é fácil demais. E normalmente sai bem, ao contrário da primeira hipótese...

(-) União de Leiria (Mais) uma equipa que não devia estar na Liga. É fraco demais e não me digam que foi uma noite má. É constante vemos equipas deste calibre a jogar no nosso campeonato, com jogadores de nível baixo e que pouco ou nada contribuem para melhorar o futebol. Baixam a competitividade e diminuem o interesse nos jogos.




Jogo bonito, golos brilhantes, um meio-campo que troca a bola com dinamismo, com rapidez, com objectividade e à busca da baliza. O Trio de Ataque não é na RTPN...é nos estádios onde jogam Hulk, Falcao e Varela!!!

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Leiria

André, grande mister!

Cá estamos de volta, pá, prontos para ir ao Dragão. Agora que parece que o Outono está mesmo a chegar, com o raio da chuvinha do costume a lixar-me a vida, a roupa e o nariz, é que vem um joguinho à segunda-feira, mesmo a horas de uma pessoa apanhar o belo do trânsito da VCI em hora de ponta para ainda poder comer qualquer coisa antes de chegar ao estádio. Que maravilha jogar na Liga Europa, não é?

Ouve lá, já disseste ao Hulk que o rapaz está a correr com'o carago? A falar com um amigo outro dia ele até me disse que o tipo do Besiktas que ia atrás dele no segundo golo ficou com uma cara como quem diz "este não, porra, este não!". É aproveitar enquanto funciona, porque o rapaz depois do Natal pode ter mais alguns quilos para arrastar e fica mais lixado. Ah, e dá uma lapada ao Fernando, faxavôr.

Hoje não tem nada que saber. Os rapazes até nem jogam mal à bola e não podemos facilitar, mas não te esqueças que na quinta-feira jogamos com 10 durante a maioria do tempo e os rapazes podem estar cansados. Já reparei que o Sapunaru e o Guarín ficaram a descansar, nada mau, acho que devias experimentar com o Ruben em vez do Belluschi ou então o Ukra em vez do Varela. É a minha ideia, depois se decidires pôr os gajos a jogar vê lá se me dás crédito que isto de dar conselhos pela net é muito bonito mas não se vê o retorno em guito. E eu ando a comprar orquídeas para a minha gaja (porque a menina gosta de flores caras) com o dinheiro de quem? Ah pois.

Vou lá estar a bater palmas, como de costume. Um a zero chega mas se pudesse ser bom e bonito, ainda melhor!

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Porta19 entrevista PETZL (uniaodeleiria.blogspot.com)

Continuando a rubrica que abri aqui com a entrevista a Wim Nijst,  continuei aqui em conversa com João Paulo Meneses do Reis do Ave, e a última foi a Carlos Ribeiro, co-autor do Vimaranes. Hoje, com o próximo encontro com o União de Leiria a caminho, pus-me no paleio com PETZL, o gestor do maior blog do União de Leiria na web, o uniaodeleiria.blogspot.com:






Porta19: O Leiria começou bem o campeonato mas foi recentemente eliminado da Taça. O FC Porto será o adversário ideal para voltar às vitórias?

PETZL: Cada competição tem características próprias. E se na Taça de Portugal a UD Leiria foi eliminada por uma equipa de escalão inferior, no campeonato vem de uma vitória convincente e moralizadora frente à vizinha Académica, que vinha a merecer destaque pelo bom arranque de campeonato, mas que já se encontra empatada com a UD Leiria com os mesmos 11 pontos. Um jogo com um Fc Porto, que vai liderando a Liga Zon Sagres em ritmo de passeio, acaba por ser mais um tónico para este lote de jogadores, alguns com inegável qualidade, que certamente aproveitarão a montra que é um jogo frente ao Fc Porto para mostrar aquilo que melhor sabem fazer.



Porta19: Quem são os jogadores de maior potencial no plantel do Leiria para 2010/2011?

PETZL: Começando pela baliza, onde ano após ano a UD Leiria vai revelando excelentes guarda-redes, como foram os casos de Helton e Fernando. Este ano Eduardo Gottardi promete dar que falar.
No meio campo, merecem destaque o "velhinho" Silas e o recente reforço Leandro Lima, ambos bem conhecidos dos adeptos portistas.
Na frente de ataque, Carlão parece ter reencontrado o caminho das balizas adversárias, agora acompanhado pelo regressado N'Gal.



Porta19: Depois da saída de Lito, Caixinha é o treinador desejado pelos adeptos? Depois de uma pré-época tão atribulada, o ambiente está mais sereno?

PETZL: Sem dúvida que o ambiente está mais sereno. Mais importante do que ser desejado pelos adeptos, Caixinha parece dar-se bem com os jogadores e eles com ele. É um treinador jovem, ambicioso e muito trabalhador. Diz quem o conhece que lhe faltará algum "pulso" para manter os jogadores "na linha", o que terá já sido colmatado com a entrada do recém contratado Sá Pinto para seu adjunto.


Porta19: Com a imprensa tão tri-polarizada em Portugal, como é que vê o desprezo a que são votadas as equipas de dimensão mais pequena?

PETZL: Essa é uma contrariedade com que nos debatemos diariamente e uma das principais razões que levaram à criação deste nosso espaço de debate e de divulgação das actividades do clube. É um problema cultural com muitos anos de existência. O mesmo que faz com que seja mais fácil encontrar em Leiria um adepto do Benfica, Porto ou Sporting, do que propriamente um unionista. E quem diz em Leiria, diz em (quase) todas as outras regiões do país.
Continuamos a defender a máxima de que se deve apoiar o clube da nossa cidade! Se não forem os habitantes de Leiria a apoiar o seu clube mais representativo, quem o fará? Urge alterar mentalidades, sob pena de, em poucos anos, desaparecerem grande parte dos clubes que hoje compõem as principais divisões nacionais.



Porta19: O teu blog é o mais representativo da União de Leiria na Internet. De onde vem a motivação para escrever depois de um dia de trabalho?

PETZL: O uniaodeleiria.blogspot.com nasceu precisamente pela constatação da falta de informação sobre a UD Leiria na internet, muito por culpa da inexistência (à altura) de um site oficial do clube actualizado. Com quase 5 anos de de existência, este blog é fruto da colaboração de 3 adeptos (e sócios!) fervorosos, que insistem em remar contra a maré. Queremos acreditar que servimos de inspiração para outros projectos ligados à UD Leiria que entretanto foram criados e inclusivamente do próprio site oficial.


Porta19: Ainda há esperança para a maioria dos blogs Portugueses de futebol ou a inspiração está a definhar em função das redes sociais e dos fóruns de discussão?

PETZL: Sou da opinião que o formato blog, se não for repensado, terá os dias contados. A facilidade de publicação de artigos e comentários e a dinâmica oferecida pelas redes sociais, como é o caso do Facebook, tornam muito mais prática a discussão, em tempo real, sobre qualquer temática. Este é um assunto que temos debatido internamente e sobre o qual deveremos tomar uma posição brevemente.





Aproveito para agradecer ao PETZL pela disponibilidade. É um gosto trocar ideias com pessoas que vibram e sentem o seu clube por dentro e por fora. Espero que seja um excelente jogo e que consigamos vencer e continuar a carreira à imagem da nossa cidade. Invicta.

Leia Mais...

Jornalisticidades

A football reporter in the provinces is in a position which is privileged yet at times almost impossible. He is privileged because representing the local paper is a golden key that opens most doors. You can build an unrivalled relationship with the manager and the players because you are in contact with them every day. A spurious intimacy evolves between you. You share so much with the characters you write about that you can pretty much corner the market in quotes.

Of course, that access comes at an exorbitant cost. Closeness to the team, and any emotional attachment to it, horribly distorts the line between candid reporting and scarf-waving support. Too many journalists succumb, seduced by the insider knowledge fed to them, and begin to identify with the glory or misfortune of their team. The football world soon divides into 'them and us'. It is all too easy to become overprotective or self-censoring, so that criticism is either wrapped in cotton wool or disguised in nebulous, worn euphemisms. Contacts become friends, and human nature takes over. You don't want to lose your place at the manager's table.

Duncan Hamilton
in "Provided you don't kiss me - 20 years with Brian Clough"

Se incluirmos a malícia que nasce dos comportamentos naturalmente humanos descritos por Duncan Hamilton, temos aqui uma descrição quase perfeita do que sucede com a maior parte dos jornalistas da nossa praça. Não há muito que pensar, é o que acontece com a naturalidade de um miúdo de 4 anos perguntar porque é que a mãe estava com dores e o pai a estava a tentar matar quando acidentalmente abre a porta do quarto numa altura indevida. É chato e toda a gente preferia que não acontecesse...mas agora não há nada a fazer. Os lados foram tomados e não há hipótese de inverter as posições. Só temos de os aturar.

EDIT: Não querendo tornar o post muito político e menos ligado ao futebol, temos um bom exemplo sugerido pelos comentários a este mesmo post no vídeo que podem encontrar neste link. O programa é "A Voz do Cidadão", emitido na RTP este sábado à noite. Obrigado pela sugestão, rapazes.

Leia Mais...

Um Baroni para Baía

O país futebolístico está agitado com as declarações de Vítor Baía a uns miúdos numa escola.

Contextualizando, para aqueles que ainda não ouviram ou leram, ficam aqui:

"Se a carreira que fiz tivesse sido feita no Benfica ou no Sporting, a repercussão teria sido outra"

"O F.C. Porto é um clube muito fechado em si próprio. Não faz tudo o que está ao seu alcance para potenciar a imagem dos seus jogadores antigos"

"Posso voltar, claro. Há uma ligação muito forte entre as duas partes. Espero ainda ser muito útil ao meu clube."

Foram estas duas frases que alvoroçaram a blogosfera (mais a não-portista que propriamente a nossa, admita-se) que se lançaram imediatamente em teorias porque está feito com Pinto da Costa, dizendo mal do clube para se distanciar e se tornar um candidato à FPF, e porque blá blá yadda yadda e o costume.

Hoje, Vítor veio a público novamente, e as frases foram um bocadinho diferentes:

"O F.C. Porto está no meu sangue e, sim, tenho ainda muito para dar ao clube"

"Tenho momentos marcantes na minha carreira que por eu ser jogador do F.C. Porto não tiveram o destaque merecido por parte de alguns órgãos de comunicação social, que são rápidos e não olham a espaços para destacar os feitos de companheiros de profissão de outros clubes"

"(...) as conquistas internacionais poderiam ter sido potenciadas de outra forma"

"Em relação à política desportiva conduzida pelo presidente, sempre a defendi, e os resultados assim o comprovam"

Compreendo que o pessoal fique chateado. A luta permanente do FC Porto contra as influências dos clubes da capital sobre a imprensa, sobre uma comunicação social que permanentemente minimiza e rebaixa as vitórias do nosso clube é exactamente disto que se alimenta, destas pequenas questões e declarações que fogem um pouco da estrutura monolítica de uma só voz que o FC Porto manifesta (e bem) para fora, da união que habitualmente mostramos, da solidez do discurso e da estoicidade da nossa postura.

E é exactamente por isso que nos caiu tão mal aquela primeira frase! Pois se lutamos contra um centralismo amordaçante, se nos revoltamos contra uma imprensa que salienta os podres em vez de enaltecer as virtudes, se por muito que façamos e ganhemos raramente vamos ter o reconhecimento que outros conseguem apenas por respirarem...o facto de um dos nossos principais ícones falarem desta forma é uma derrota antecipada, uma manifestação que nada há a fazer senão baixar os braços e reduzir-mo-nos à insignificância a que somos constantemente votados!

Tenho uma admiração especial por Baía, admito. Fui o autor do primeiro site Português de homenagem ao rapaz há mais de 10 anos e sempre foi um símbolo do clube. Não o conheço pessoalmente, falei apenas com ele uma meia-horita, por isso não posso dizer se é boa ou má gente. Não o tenho por arrogante nem mal-agradecido e acredito que não tenha ficado satisfeito com a forma como saiu do clube, quer por querer fazer mais (ou diferente) lá dentro ou por algum tipo de incompatibilidade com a gestão vigente, mas não gostei de ler o que disse.

Fica mal a um símbolo do clube anunciar ao mundo, ainda que com o mínimo de interesse em prejudicar a instituição que tudo lhe deu, que teria tido uma vida melhor se tivesse jogado por outros clubes. Acredito que Baía não quis dizer que preferia ter jogado nesses clubes, mas que não lhe fica bem, lá isso não fica. E não cai bem em nenhum Portista ver um dos que muitos ainda consideram um futuro presidente do FC Porto a elogiar a capacidade de captivação mediática de outros clubes em desprimor do seu. Até pode ser verdade, mas não fica bem.

É de experiência que digo que ninguém está imune a críticas, mesmo aqueles que admiramos. Os ícones muitas vezes têm pés de argila mole e se acham que estou a exagerar, vão perguntar ao pessoal que deu o dinheiro ao Pedro Caldeira para ele investir em nome deles. Pois.

PS: Agradeço os oportunos (e brincalhões) comentários no post anterior sobre a eventual necessidade de mudar o nome da rubrica de análise dos jogos. Não o farei por vários motivos mas principalmente porque Baía foi, é e continuará a ser o melhor guarda-redes (e um dos melhores jogadores) que já passou pelo meu clube. E só por isso, como já ouvi dizer, até pode atropelar velhinhas que o pessoal aplaude. Por isso obrigado, malta, mas para mim, Baía continuará a ser Baía. Mesmo que por vezes lhe saia um ou outro Baroni da boca...

Leia Mais...

Ian Holloway on Rooney

Num assunto não relacionado com o FC Porto (de hoje, 21 de Outubro de 2010, porque se formos a falar do FC Porto versão Agosto de 2010...as coisas eram diferentes...), fica o comentário do enorme Ian Holloway sobre o "affair" Rooney:






Fuckin' brilliant, innit?

EDIT: Rooney renova pelo Man Utd. É oficial: o mundo está louco.

Leia Mais...

Baías e Baronis - Besiktas vs FC Porto

Foto retirada do MaisFutebol

Estes jogos às seis da tarde são uma bela duma borrada, devo dizer. Um gajo tem de sair mais cedo do emprego sem grande plausibilidade para desculpas, arrisca-se a ver o jogo num ambiente fora do normal onde por vezes (hoje não foi o caso) tem de aturar gajos que não percebem nada de bola a mandar postas e a única grande vantagem é que nos livramos do trânsito. Mas hoje...hoje valeu a pena. Para além de estar com boa malta ao lado (o excelente cronista do Dragão Crónico) e mais alguns amigos, o jogo foi emocionante, bem jogado, com lances bem pensados e uma constante incerteza no resultado. Vencemos muito bem num estádio difícil, contra 11 turcos mais um espanhol (ver abaixo o último Baroni), lutámos e houve esforço e sacrifício do individual em favor do colectivo. Ah, e houve Hulk. E depois outra vez Hulk. Vamos a notas:









(+) Hulk Marcar dois golos fora numa competição europeia é obra. Dois golos repletos de oportunismo e de inteligência, ainda mais. Atento no primeiro golo, não desistiu e aproveitou o AVC pontual do defesa, avançando certeiro para a baliza. No segundo foi mais uma vez rápido a aproveitar o excelente passe rasgado de Belluschi e desfez o rapaz que lhe apareceu à frente. Além dos importantíssimos golos, passou a segunda parte toda a correr atrás dos defesas, sendo a peça mais avançada da equipa e sempre que pegava na bola obrigava os turcos a descer 20 metros para aguentar os arranques...e acabou o jogo a cair para o lado. Mas feliz, só pode.

(+) Helton E o nosso capitão mais uma vez a fazer jus à escolha. Deu segurança à defesa e esteve impecável durante quase todo o jogo, sem ter culpa no golo. Fez uma defesa incrivelmente importante no final da primeira parte, depois de um livre directo que resultou da falta feita por Maicon e que o fez ser expulso. Tocou na bola para canto e todo o mundo portista soltou um pequeno sopro de alívio. Impecável também quando veio em correria louca da baliza no final da primeira parte, usando o seu estatuto de capitão para afastar os jogadores do FC Porto que tentavam rodear o árbitro para protestar contra as decisões absurdas do espanhol. É isto que um capitão tem de fazer.

(+) Falcao Marcou dois golos e sofreu um penalty. Não teve culpa de encontrar um atrasado mental de amarelo que se lembrou de lhe marcar uma falta inexistente no segundo golo e de não marcar o abalroamento que sofreu no lance que devia ter dado penalty a nosso favor. Não fez muito mais no jogo mas o primeiro golo acabou por ser exactamente o que precisávamos na altura certa.

(+) Sapunaru Foi o costume, pouco inventivo e interventivo, sem subir muito no terreno e a jogar simples e prático. Hoje, era exactamente o que precisávamos e cumpriu bem o papel, especialmente na segunda parte. Pecou no golo do Besiktas porque estava aparentemente a tentar marcar a linha lateral quando Bobô se meteu entre ele e Rolando, mas perdoo-lhe devido à solidez da exibição.

(+) Espírito de sacrifício Villas-Boas salientou bem o espírito da equipa e a determinação de chegar à vitória. Se o arranque foi tremido, com o Besiktas a pressionar bem, cedo nos soltámos e conseguimos chegar com perigo ao ataque. Depois da primeira expulsão conseguimos cerrar fileiras e defender com garra uma vantagem importante até ao final do jogo, com uma segunda parte sofrida, esforçada, de luta e entrega, com as linhas a recuarem o suficiente para travar o ataque que os turcos queriam avassalador mas que raramente pôs a equipa nervosa. É verdade que o Besiktas não é uma equipa do topo europeu mas a jogar com mais um (e depois mais dois) e com a velocidade de troca de bola podiam ter causado mais perigo caso o FC Porto começasse a ceder. Estiveram muito bem hoje os nossos rapazes.










(-) Fernando Não foi um bom jogo para o Nandinho. Em parte porque cometeu muitos erros de posicionamento perante o adversário, caindo nas fintas em carrinho como fazia em 2008 quando cá chegou e causando desiquilíbrios que ninguém conseguia colmatar. Acabou por ser o jogador que mais sofreu com a fraca prestação tanto de Moutinho como de Belluschi na cobertura defensiva e fez muitas faltas desnecessárias. O lance do segundo amarelo é ridículo para um rapaz da sua experiência, o que me leva a pensar se não terá sido premeditado para o fazer cumprir um jogo de castigo no próximo confronto...mas como é contra este mesmo Besiktas, a minha teoria pode cair por terra. Ainda assim foi um jogo abaixo da média e exige-se mais a um dos elementos pivotais do onze.

(-) Meio-campo macio Fernando não fez um bom jogo mas os outros dois rapazes que jogam mais perto dele não fizeram melhor. Este jogo, aliás, expôs uma fraqueza da nossa equipa que ainda não tinha sido colocada à prova até agora: a capacidade defensiva do meio-campo sem bola. Quando o adversário, como o de hoje, troca a bola com velocidade e com agressividade nos confrontos directos, o FC Porto treme. Quando as bolas são rapidamente despachadas de uma forma directa para os flancos e se encontram rapazes como Nihat, que continua a ser um perigo quando deixado sozinho, o FC Porto não consegue dinamizar o meio-campo por forma a tapar os espaços que são criados pela movimentação adversária. Moutinho e Belluschi têm sido muito bons a trocar a bola e a rodá-la entre eles e fazendo a equipa bascular para onde é preciso...mas para isso é preciso terem a bola nos pés. Sem ela, contra equipas portuguesas que "mastigam" mais o jogo, não costuma haver problema. Os extremos recuam um pouco, os laterais sobem e fecham o flanco e a bola é recuperada com maior ou menor facilidade. Quando apanhamos equipas como o Besiktas, que não têm problema de ir ao choque, que aceleram com a bola controlada e se desmarcam rapidamente, sentimos dificuldades. A rever.

(-) Arbitragem Como sabem não é hábito falar de arbitragens. Mas hoje enervei-me com o fulano de amarelo que arbitrou o jogo. A expulsão de Maicon é merecida e não é passível de crítica, mas um golo perfeitamente limpo foi anulado e um penalty que me pareceu evidente não foi marcado. Como se não fosse suficiente, a complacência perante o choque excessivo dos turcos esteve patente durante toda a primeira parte e questiono-me se o árbitro não terá ficado acagaçado com o barulho que vinha das bancadas. Este tipo de actuações coloca sempre os nossos árbitros em perspectiva, porque este rapaz não era melhor nem pior que um Paixão ou um Olegário.




Não foi fácil mas vencemos com todo o mérito. Nove pontos em três jogos, 7 golos marcados e um sofrido. São bons números que nos dão todas as hipóteses de passar à próxima fase sem que seja preciso precupações com resultados de terceiros nem fazer contas aos golos que temos de marcar para ganhar vantagem. Acho até que o pleno não está fora de alcance, basta alguma sorte e um jogo estruturado para jogos europeus, com um ritmo diferente dos caseiros...

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Besiktas

André, arkadaş!

Este é que vai ser um jogaço, pá! Os tarados dos trucos não são pêras doces quando jogam em casa e nem imagino o basqueiral que deve estar lá dentro. Aposto que os tipos até sacrificam o Islão e matam um ou dois porcos durante o jogo para ficar ainda mais barulho e assim aproveita-se o sangue para fazer uns Rojões à Bósforo que devem ser um espectáculo.

E o Quaresma? Já viste a puta da sorte? Numa altura em que os gajos que estão a ser os maiores mancos da equipa são os laterais, carago. Pior que isso só se apanhássemos o Overmars e o Asprilla. Ao mesmo tempo. Um em cima do outro, só para ficarem com o tom de pele parecido com o ciganito. Tens de ter cuidado com isso, atenção às subidas parvas do Álvaro e do Fucile porque os gajos são rápidos e aproveitam essas oportunidades como um gajo que trabalha numa fábrica onde a luz vai abaixo. De qualquer forma o nosso ex-Mágico ou Érri Póter ou lá o que é que a canalhada lhe chamava, num joga. Ainda bem!

Já sabes que ganhando esta treta ficamos com nove pontinhos e quase quase quase quase quase quase quase quase...na próxima fase. O povo gostava, faz lá o jeito à malta. Diyelim bu bok kazanmak gitmek!!! Isso!

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

A chama inútil

Esqueçam porque apesar do título o poder indicar, não vou atacar o Benfica, particularmente em alturas pré-jogos da Champions' onde espero que a vida lhes corra bem. Se não correr, bem vou ter de aplaudir o Lisandro. De qualquer forma é sorriso garantido.

O que me lixa é o Labaredas. É certo que está habitualmente bem escrito, com uma retórica ácida e penetrante, citando factos bem orientados a alfinetar notoria e agressivamente os ilustres não-portistas deste mundo. Só há um problema com isto, para além de estar escrito como o próprio Labaredas: como diria André Brun, parece mal.

Parece mal em vários sentidos. Está desfasado do que deve ser um site oficial de um clube de futebol, que deveria manter-se fiel a uma pose institucional por forma a ganhar credibilidade e força nos meios em que está inserido. Não conheço outros exemplos lá fora como acontece em Portugal, onde os clubes (não só o FC Porto) muitas vezes agem mais como opinadores e menos como entidades independentes e de atitude franca, honesta e cuidada. O Labaredas é disso um exemplo, uma bloggerização daquele que devia ser um portal de acesso para notícias sobre o nosso clube, em vez de servir como ponto de crítica fácil e crónica afiada.

O clube dever-se-ia colocar num pedestal bem acima das massas que criticam e opinam sobre tudo e todos. Acredito que muitos sócios se revêm nestes textos de Rui Cerqueira, mas lamento dizer que não sou um deles. As frases que podem e devem ser ditas têm o seu lugar em comunicados oficiais, não num cantinho de farpas que nem sempre acertam e que não ajudam em nada a levantar o nível do nosso futebol.

O FC Porto não devia funcionar como municiador de piadas fáceis ou insultos gratuitos. Deixem isso para os blogs.

Leia Mais...

Podemos trocar de vez?

Os argumentos irracionais são os mais difíceis de combater.

Pedro Marques Lopes

Não sou um gajo de arrancar com petições nem pedidos públicos. Acho um desperdício de tempo ao nível de responder a mails que dizem que vou ter de pagar 3 euros por mês para usar o Facebook e que tenho de ir a um link qualquer num site no Burkina Faso para protestar pelos meus direitos dados por Deus, Krishna e Alá juntos.

Mas é possível, só assim por um jeitinho, trocarmos o Guilherme Aguiar pelo Pedro Marques Lopes em definitivo?

Ficávamos todos a ganhar.

Leia Mais...

Nem Quaresma nem Guti

in "O Jogo"

Quaseboas notícias. Agora só falta encostar mais 11 turcos loucos que correm 90 minutos como se lhes estivessem a desflorar as virgens que vão receber no Céu...

Leia Mais...

Planeta Azul Nº14 - IFK Göteborg


Planeta Azul Nº14 - IFK Göteborg













País: Suécia

Leia Mais...

Sugestões para o site oficial - Nº1



  • Criação de uma página para cada um dos jogadores de futebol pertencentes ao escalão de formação mais avançado (sub-19), com o perfil do rapaz, estatísticas e galeria de fotografias.

exemplos:
Henri Lansbury @ Arsenal.com
Ritchie De Laet @ ManUtd.com
Martí Riverola @ FCBarcelona.es
Grenier Clément @ OLWeb.fr

Leia Mais...

Baías e Baronis - FC Porto vs Limianos

Foto retirada do MaisFutebol

Tive pena de não ter tido hipótese de ir ao jogo. Em casa, a ver via SportTV, fiquei com a ideia que os rapazes se esforçaram, que lutaram o suficiente para vencer e convencer. Uma ou duas falhas compreensíveis não abanaram uma exibição segura e com garra suficiente para que o pessoal fique a pensar que há vida para lá dos habituais titulares. Vamos a notas:









(+) Walter Marcar três golos é sempre bom, mesmo numa eliminatória da Taça contra uma equipa da III Divisão. Ainda me parece um bocado para o rechonchudo, mas mostrou que está cá para as curvas. Como as que tem. Já disse que o puto é gordito? De qualquer forma gostei de o ver a marcar e achei curioso ter jogado sempre na zona do ponta-de-lança, eu que pensei que fosse um outro Hulk. Jogou bem e espero vê-lo a fazer o mesmo outra vez.

(+) Emídio Rafael Certinho, mas eficaz. É como disse aqui há uns tempos, o moçoilo faz-me lembrar o Nuno Valente. Não inventa, joga prático e simples. Nunca será um fora-de-série mas serve perfeitamente como alternativa mais discreta a Álvaro Pereira.

(+) Castro Não há nada a fazer, sou fã do rapaz. Joga como se não houvesse amanhã, cheio de empenho e garra, dá gosto vê-lo a correr e a esforçar-se para chegar primeiro a todas as bolas. Nos 35 minutos que esteve em campo foi dos melhores da equipa, e como a equipa não estava propriamente a jogar mal, diz muito da exibição do rapaz. Merecia um golito.

(+) James Rodriguez Vi pouco. Mas do que vi, ficaram-me dois ou três pormenores em passes a rasgar que vêm de um rapaz que parece saber jogar à bola. Precisa de mais músculo e mais força mas acho que podemos ter aqui um bom jogador para o futuro.

(+) 41 mil Quarenta e um mil espectadores num sábado à noite, num jogo da Taça para ver o Limianos, é obra. Foi daquelas noites em que o jogo, com carácter quase de amigável, acabou por levar muita gente ao Dragão como baptismo de bola. Muitos pais levaram os filhotes, muito povo de Ponte de Lima (bem-vindos, malta, espero que se tenham divertido!) e uma atmosfera simpática. O preço dos bilhetes ajudou e valeu a pena. Fosse sempre assim...










(-) Souza Lento, distraído, com pouca inteligência táctica para jogar a 6. Já tinha pensado a mesma coisa da última vez e repito: a escolher uma alternativa a Fernando naquela posição, é Castro, não Souza.

(-) Ruben Micael Continua a jogar num ritmo abaixo do que espero dele. Está a ser uma pequeníssima desilusão até agora e estou em crer que vai melhorar e que brevemente voltará a ser o Ruben do ano passado. Até lá...é só uma opção menos credível e percebe-se porque é que Belluschi é titular indiscutível.

(-) Sereno Fica-me marcado, como já tinha acontecido no passado, uma patada que dá a um rapaz limiano, à entrada da área, sem qualquer necessidade. Uma estupidez. Sereno perde pontos a cada passo que dá, nervoso e inquieto, e é o equivalente português de Stepanov quando joga a titular: nunca se sabe quando é que vai falhar clamorosamente e dar a bola ao avançado. Estou francamente desiludido.




Num jogo que não podia trazer dificuldades, tal era a diferença entre as duas equipas, o FC Porto safou-se bem. Villas-Boas ainda experimentou um pouco com 3 defesas, que não terá sido uma aposta perfeita porque mal começou a jogar nessa táctica...sofreu um golo. Nada de especial, desliguei a televisão com a confirmação que temos mais opções do que tínhamos no ano passado e que podemos rodar o plantel com alguma confiança.

Leia Mais...

Mamers? Gol? Pearl?

«A Futebol Clube do Porto - Futebol, SAD, nos termos do artigo 248º nº1 do Código dos Valores Mobiliários, vem informar o mercado que alienou, em regime de associação económica, as seguintes partes dos direitos económicos de três atletas contratados no início da época:

- 37,5% dos direitos desportivos do jogador João Moutinho por 4.125.000€ à Mamers B.V.;
- 35% dos direitos desportivos do jogador James Rodriguez por 2.550.000€ à Gol Football Luxembourg;
- 25% dos direitos desportivos do jogador Walter por 2.125.000€ à Pearl Design Holding Ltd;»

O que me incomoda mais nisto é que tentei googlar "Mamers B.V.", "Gol Football Luxembourg" e "Pearl Design Holding Ltd"...e tive tanta sorte como um fumadora em casa do Macário Correia.

Não gosto destes negócios. Garante-se um encaixe seguro e em vez de uma eventual venda que pode não vir a acontecer, entra logo dinheiro fresco. Mas não se sabe por onde andou.

Leia Mais...

Ouve lá ó Mister - Limianos

André, moço!

Isto é que vai ser um fartote de golos, carago! Está toda a malta à espera de duas coisas: ver se o Walter já perdeu peso na rabada e bater palmas pelo menos a 5 ou 6 golos. Nem vou fazer piadas com o queijo, pá, é esta a confiança que tenho!

Mas falando um bocadinho a sério, não entres em campo com o jogo ganho. Lembra-te do Jesualdo aqui há uns anos quando mudou a equipa toda contra o Fátima...e nem foi preciso a Santa Birgem descer de elevador cá abaixo para ajudar os fulanos a ganharem ao Porto. Foi um estupor duma vergonha, pá! E o Nandinho Santos? Isso é que foi, aquele Torreense ainda me ficou atravessado por isso vamos com calma. O importante é ganhar o jogo. Agora, se puderes experimentar um bocadinho ainda era melhor! A malta está com fome, André, o pessoal não conhece os putos novos e toda a gente quer ver o James (ou Rámés ou Geimes ou lá como é que se diz o primeiro nome dele) e o Walter e o Castro e o Ukra e o Sereno...bem, talvez nem tanta gente queira ver o Sereno, mas eu quero!

Os teus patrões lixaram-me a vida, pá. Estava eu a pensar em ver o jogo no Domingo à tarde, depois de comer umas costoletas de cabrito bem grelhadinhas e uma garrafinha de tintol, e lixaram-me a vida. Agora não vou poder ir ver o jogo ao estádio, lá tenho de aturar os Spóretêvês a dizer que os jogadores blá blá não tem ritmo blá blá ai tão caros...vá lá o jogo não é na TVI!

Força nisso, pá. É ganhar e ganhar por muitos!

Sou quem sabes,
Jorge

Leia Mais...

Das duas, uma.

Benfica pediu 2500 bilhetes para o Dragão.

Das duas uma:

  • Compram os bilhetes e não aparecem ao jogo, mostrando assim (inteligentemente) a sua indignação para com os gambuzinos que povoam as suas mentes;
  • Vão até ao Dragão e assistem à partida, mostrando que o gosto pela bola é mais importante que os distópicos apelos dos dirigentes;

De qualquer das maneiras é bom para nós. Então andam as claques um ano inteiro a ensaiar o "SLBSLBSLBSLBSLBFDPSLBFDPSLB!!!" para depois não dizerem nada no único jogo em que faz remotamente sentido cantar essa parvoíce. Era um desperdício.

PS: Eu bem tento não falar mal do Benfica mas continuam-me a dar razão para me contradizer. Porra.

Leia Mais...

Ex-FCP contra Ex-Ex-Ex-FCP

Notas rápidas sobre o confronto lusitano na Liga BBVA este sábado, pelas 21h portuguesas:

  • Ainda dizem que a nossa imprensa é porca. Vejam a capa da Marca de hoje.
  • Considerando a forma como a Marca recupera as declarações de Mourinho em 2005, a Sun-Tzu-ar nos pré-jogos como de costume, é pena que a afición não se levante para criar um ambiente insustentável para os visitantes ao La Rosaleda este sábado.
  • Jesualdo respondeu à altura. Com nível, sem orgulhos feridos nem falsas declarações de guerra.
  • O Real, muito provavelmente, vai sair de Málaga com 4 ou 5 golos marcados. É pena, porque com o amor que tenho por aquele clube, vê-los a levar na pá está ao nível de ver o Rui Gomes da Silva a tropeçar no próprio pé e a cair num lago de estrume fresco.
Valha a verdade: são muito mais interessantes estas guerras entre treinadores que as nossas entre presidentes.

Leia Mais...

Guarín renova até 2014. Não é brincadeira.

Parece que é mesmo verdade.

Quem acompanha o blog conhece a minha opinião sobre dois dos elementos do actual plantel: Mariano e Guarín. São jogadores de extrema dedicação, lutadores e empenhados, que suam a camisola e que dão o litro em todos os minutos que estão em campo. Quando os vejo com a camisola vestida, mostram o que é um jogador à Porto, dois rapazes que se entregam ao jogo com uma determinação acima da média e que ajudam a equipa em detrimento do individual.

Só há um pequeno problema com ambos: o talento para a bola ficou na placenta das progenitoras.

A minha questão é simples: vale a pena manter no plantel dois marmanjos que não devem ganhar mal mas que me arrepia olhar para eles no banco e pensar: "Sim, mas tirando o Guarín e o Mariano, quem é que temos mais que possa ajudar a equipa?", quando temos outras opções (assim de repente, Castro e Ukra) como aconteceu desde 2008?

Não sei. Sinceramente não sei. É melhor contarmos com a habitual incompetência conhecida que por vezes até funciona...ou apostar em outras competências já com provas dadas mas com pouca experiência no clube?

Leia Mais...

Ah grande Vítor!

"Com os actuais estatutos é impossível. O futebol vai continuar na ilegalidade. Enquanto não aprovarem os novos estatutos não há hipótese de mudar o que quer que seja ou de alguém poder fazer o que quer que seja pelo futebol português. Isto vai-se manter igual"
"Quem quer ser presidente de uma federação não o pode ser só porque lhe apetece. Há requisitos a preencher. Se fosse só pela opinião pública era uma história completamente diferente."
"Com os actuais estatutos, quem tem preponderância são as associações. Depende das associações, e vendo como as associações estavam representadas ontem na Islândia, já quererá dizer algo importante, nomeadamente tendo em vista a recandidatura de Gilberto Madaíl."
"Não me agrada, nem desagrada. É o cenário actual e segue a via actual. É o cenário escolhido por quem manda no futebol português. Mantém o mesmo sentido, a mesma orientação e a mesma gestão"

Perfeito.

Leia Mais...

A palavra aos novos

No próximo sábado começamos a defender a Taça. Um jogo que se prevê fácil, certo? Certo, nem podemos pensar noutra coisa, muito embora todos tenhamos na memória as eliminações contra Atlético e Torreense ou até frente ao Fátima a contar para a Carls...Bwi...para a Taça da Liga.

É nestes jogos que se experimentam onzes diferentes, que se dão minutos aos novos e aos jovens (não são propriamente a mesma coisa) e onde os poucos adeptos que se vão deslocar ao Dragão podem ver afinal o que valem os rapazes do resto do plantel, aqueles que se raramente se vêem nas listas de convocados e que, mesmo assim, ainda mais raramente entram em campo sem o fato-de-treino.

Este ano a equipa-base parece encontrada, com uma ou duas nuances. Souza, Ruben Micael, Cristian Rodriguez, Fucile e Otamendi têm tido oportunidade de jogar um pouco mais que os titularíssimos de Villas-Boas. As alterações que se prevêm são simples de equacionar:

- Helton tem estado seguro na baliza e cederá o lugar, como é hábito para a taça, ao suplente Beto;
- A defesa provavelmente receberá Emídio Rafael e Sereno para render Álvaro Pereira e um dos centrais;
- Fernando deve ceder lugar a Castro;
- Moutinho talvez dê o lugar a Guarín ou Souza;
- Ukra ou James Rodriguez poderão entrar para os lugares de Varela ou Hulk;
- Falcao será rendido por Walter.

Para todos os treinadores de bancada é fácil: trocam-se onze gajos e siga a rusga. No mundo real, onde os profissionais acabam por pensar um pouquinho mais nas coisas, pode não ser tanto assim. É evidente que há mudanças naturais para permitir mais tempo aos putos, mas acaba por ser um contra-senso incluí-los a todos numa equipa sem rotinas, sem entrosamento e sem ritmo de jogo.

Apostaria em duas mudanças por sector, mais o guarda-redes. Qualquer coisa como:

Beto; Sapunaru, Sereno, Otamendi, Emídio Rafael; Castro, Souza, Ruben Micael; James Rodriguez, Hulk, Walter.

Ou então que tal uma mudança radical? Uma experiência táctica? Um 3-4-3 louco? Assim:

Beto; Sapunaru, Otamendi, Emídio Rafael; Castro, Souza, Cristian Rodríguez, Belluschi; Ukra, Hulk, Walter.

Nunca se sabe. Eu estava cá na altura do Adriaanse e isto era o dia-a-dia...

Leia Mais...

Nothing to see here, move along

Todo este circo mediático que está a ser criado em torno do FC Porto vs Benfica é ridículo. Por vários motivos, nenhum dos quais pode ser mencionado por Rui Gomes da Silva, que ainda ontem conseguiu o feito quase inédito de fazer com que Guilherme Aguiar soasse como um rapaz normal, coerente e com argumentos para derrotar, diria até esmagar o pobre ex-ministro (vá-se lá saber como) até debaixo da pedra de onde surgiu. A tomada de posição de Dias Ferreira ontem no Dia Seguinte, exageradamente exaltado mas fiel à sua "persona", foi perfeita para acalmar os ânimos e definir o que é de facto uma astuta estratégia montada de dentro para fora e que é, à falta de melhor termo, um win/win. Senão vejamos quais serão as prováveis reacções benfiquistas aos eventuais cenários:


  • O Benfica vence o jogo e há pedradas e violência gratuita antes e durante o jogo:





  • Luís Nazaré vem a terreiro afirmar a vitória do bem contra o mal, qual Aliança Rebelde contra o Império Galáctico do Mal, Frodo contra Sauron ou Jack contra Locke. Os bons triunfam e os maus, os violentos, os acintosos, os entes maléficos não conseguiram parar a cavalgada triunfal da luz, da esperança da Humanidade perante a vil, perniciosa influência da versão futebolística da negra Ceifeira. Jesus rejubila com a vitória, Villas-Boas é um menino malcriado e Pinto da Costa reuniu as tropas para gerar o Armagedão e vacilou perante a força do Bem e da irmandade entre os Homens.


  • O Benfica vence o jogo e não há pedradas nem nada do género:





  • A vitória dos grandes, da esperança do país em tempos de crise, do factor de união que é o Benfica. O melhor futebol dentro de campo imperou e o brilho das armaduras vermelhas que surgiram como um sinal de paz e que remeteram os vândalos do Norte para as suas covas, encolhidos de medo perante a demonstração de pujança dos ungidos pelo Cordeiro. Agora sim, a caminhada triunfal está estabelecida, o percurso será imaculado e o horizonte é brilhante. O Mal foi derrotado e o Bem está de volta.


  • O FC Porto vence o jogo, sem problemas cá fora:





  • Vieira, à saída do estádio, assume que a crise da verdade desportiva está no seu zénite e os problemas do país futebolísticos foram evidentes em campo. O senhor esteve condicionado pelo clima agreste criado pelos jogadores e pelo público, roubou descaradamente o Benfica e nunca se pensou chegar a este ponto. Jesus quase agride o flash-interviewer da SportTV mas depois admite que o Benfica não aguentou a pressão, que os jogadores deram boa réplica mas não conseguiram libertar-se das "algemas invisíveis" que o árbitro lhes colocou, inibindo o seu melhor futebol.


  • O FC Porto vence o jogo e há escaramuças à chegada:




  • A polícia entra em campo e impõe a ordem. Vieira reclama protecção individual para cada jogador no seu trajecto entre a sua casa e o centro de estágio e dirige-se mais uma vez a Rui Pereira para demolir o Estádio do Dragão para impedir que qualquer pessoa de bem possa ir lá e ser violado com paus com pregos na ponta. Clama-se pela implosão dos bairros sociais da urbe invicta e a violência e agressividade que se sentiam nas Antas são usados como case study para o Benfica pedir a perda de 45 pontos do FC Porto, arrecadados em todas as vitórias dos últimos anos. O Benfica admite não jogar em mais nenhum estádio acima do Carregado até que a situação esteja resolvida e sugere aos adeptos que não saiam de casa nem para comprar tabaco.

    Quando um gajo se olha ao espelho e não vê as evidências, das duas uma: ou é vampiro e deverá imediatamente deslocar-se a uma estação de televisão para ver se saca algum guito porque há-de haver mais uma novela prontinha para sair enquanto o estupor da moda durar; ou então é má pessoa.

    Por isso ficam dois apelos: em primeiro lugar façam como eu e a partir de hoje e até à semana do "clássico", deixem de falar no FC Porto vs Benfica. Ainda temos de fazer 5 jogos até lá chegarmos (Taça, dois da Liga e dois da Europa League) e falta tempo demais para nos preocuparmos com fait-divers; e por favor deixem os rapazes chegar até ao Dragão sãos e salvos. Vamos fazer com que o ambiente seja hostil dentro do Estádio à custa não de pedras nem bolas de golf nem canivetes mas com as nossas vozes. E, acima de tudo, vamos ganhar o jogo em campo. Cá fora não interessa a ninguém.

    UPDATE: video do Dia Seguinte de ontem:

    Leia Mais...

    Technologie!!!

    E pronto, tinha de vir o cromo com as tecnologias...


    Aproveito para agradecer as vossas simpáticas palavras no anterior post, minha gente. Não escrevo para agradar a A ou a B e por isso é recompensante notar que a malta está a gostar. Vou levar em conta as sugestões que me fizeram nos comentários e assim sendo, ficam duas alterações que já estavam a pecar por tardias. Simples e directo, como se quer:

    Porta19 @ Facebook: está aqui, para quem é fã da pseudo-socialite. Aqui do lado direito do blog também está uma janelinha que faz o mesmo efeito.

    Porta19 @ Twitter: também pode ir por aqui, para os que preferem as coisas em 140 caracteres ou links minúsculos.

    Quem já me conhecia e seguia os posts pelo meu Facebook particular...é fácil mudar para esta página, é só ir lá e carregar no "Like". Pronto. Limpinho. Os twittadeiros, é só fazer "follow" do novo endereço. É o melhor de dois mundos: as parvoíces de tom geek do autor associadas aos posts absurdos da Porta19. Eina.

    Até já, seja em que meio estiver a ler. Prometo que amanhã volto ao futebol que por agora já chega de tecnologias. Afinal o que interessa mesmo é o conteúdo, certo?

    Leia Mais...

    Cem vezes Mil

    O Porta19 recebeu na passada semana o seu visitante número 100.000. Cem mil visitantes. Uma boa marca. Considerando que 70% deste valor foi atingido nos últimos 4 meses, entendo esse facto como um sinal positivo que o pessoal está a gostar e regressa para ler o que por aqui vou escrevendo.

    Obrigado, malta. Tem valido a pena e conto convosco para poder dizer o mesmo daqui a outros 100 mil.

    Já agora, aceito sugestões e/ou opiniões diversas sobre o estaminé, como é evidente. Só assim é que consigo perceber o que é que a malta gosta e ainda que não mude muito a minha forma de escrever e de opinar sobre o nosso clube e o mundo da bola, gosto de saber o que é que o pessoal pensa sobre o que faço. Egocêntrico? Talvez um pouco, mas só assim é que se toma o pulso ao povo. Ninguém é obrigado a responder mas se pudesse tirar um minuto para mandar uma ou duas bojardas, agradecia. Assim à bruta, ficam três perguntas:

    • Quais são os pontos positivos do Porta19?
    • Pelo contrário, o que é que está mal no Porta19?
    • Vale a pena criar um domínio próprio para o Porta19, com outras funcionalidades?

    Respostas para a caixa de comentários, faxabôr.

    Leia Mais...

    A propósito da multa a Villas-Boas

    1. Os dirigentes que, por ocasião dos jogos oficiais, ameaçarem, protestarem ou adoptarem atitude incorrecta para com os elementos da equipa de arbitragem são punidos com a pena de advertência e multa acessória de € 125 (cento e vinte e cinco euros) a € 500 (quinhentos euros).

    Foi este o artigo usado para punir Villas-Boas. Não foi usado o artigo 109º (esse sim, podendo acarretar suspensão e multa mais pesada) mas sim o 112º.

    Alguns arautos da verdade têm questionado a leveza da multa a Villas-Boas após ter sido expulso no jogo contra o Guimarães. Aqui está a resposta.

    Ficam aqui os links de interesse para consulta:

    Comunicado oficial 2076

    Regulamento disciplinar LPFP 2010/2011

    Leia Mais...

    Futres e Folhas - Portugal vs Dinamarca




    (foto retirada do MaisFutebol)

    Depois de um dia de chuva torrencial, um proto-buzinão na VCI que nem a isso chegou e uma bifana rápida perto da Estação de Campanhã, segui para o Dragão de metro. Com alguns dinamarqueses a enfrascar Super Bocks pelo caminho (plural, já que um deles acabou uma garrafa e sem quebrar o raciocínio sacou de outra direitinha para o bucho. ah, nórdico!), ia tenso. O jogo seria complicado e como temos o raro dom de sobre-complicar o que já está complicado, as coisas complicavam-se. Enfim, nada disso. Temos muito mais futebol que os simpáticos lourinhos e com um bocadinho mais de sorte tínhamos ganho por nove. Sim, nove. Vamos a notas rápidas:






    FUTRES





    (+) Fábio Coentrão. Cansa. Corre muito, empenha-se, luta, joga e faz jogar. Muito bom.

    (+) João Moutinho. Fez na Selecção o que tem feito no FC Porto e até um bocadinho mais. Acho que não falhou um único passe e conseguiu segurar a equipa quando foi preciso, rodando a bola para os sítios certos e pautando o jogo pelo meio-campo quando Martins estava a estourar. Gostei, mais uma vez.

    (+) Nani. Dois golos são sempre bons e se o primeiro é fortuito, o segundo é um tiraço indefensável. O resto do jogo não foi grande coisa mas aquele segundo golo acalmou a malta e chegou no timing perfeito.

    (+) Carlos Martins. Até me custa dizer isto porque gosto tanto dele como de ouvir o Valdemar Duarte na TVI, mas na actualidade do futebol português não há melhor para a posição que ocupa. Luta muito e é inteligente a jogar, está cheio de moral e nota-se. Hoje, então, teve a inteligência de não abusar na agressividade, algo que lhe é pedido e que faz muito do seu perfil como jogador. Perante uma situação em que seria fácil acusá-lo de ser uma menos-valia na Selecção, safou-se muito bem. Imaginem se o rapaz fosse expulso por uma entrada mais rija...caía a imprensa em cima dele, Paulo Bento nunca mais o chamava e alegava que não era por não o poder ver à frente mas porque seria um risco para a equipa e perdia-se um bom jogador. Arghhhh, que custa dizer isto...






    FOLHAS









    (-) Ronaldo (1ª parte). Um capitão de equipa tem de fazer mais, tem de lutar mais, tem de jogar mais. Não chegam duas ou três arrancadas. Deixou Coentrão a lidar com dois dinamarqueses de cada vez e não fosse o caxineiro chegar para esses e mais alguns, e teria sido ainda mais assobiado. Na segunda parte melhorou ofensivamente mas ajudar atrás...isso é que era bom. Exige-se mais.



    (-) Hugo Almeida. Eu sei que não há muitas mais alternativas para jogar ali no meio...mas o rapaz é fraco demais. Ele bem se esforça mas o talento não nasce de geração espontânea...

    (-) O meio-campo dos MMMs. Correu bem, mas podia ter sido complicado. O meio-campo de Meireles, Moutinho e Martins ainda não sabe jogar junto e várias vezes vi Moutinho a descair para o mesmo lado onde estava a chegar Martins, ficando os dois a pensar qual deles tinha de voltar para trás. Não gosto de ver Meireles a trinco, é indeciso e falha muitos passes, e nem começo a falar da altura combinada dos três, que empilhados dão pelo ombro do Hugo Almeida. Técnica tem eles que chegue...mas não chega.



    No final do jogo, depois de encontrar um amigo que já não via há que tempos e que é um dos comentadores-vedeta deste vosso espaço, saí satisfeito. Paulo Bento precisava desta vitória e os rapazes parece que gostaram de jogar. Ainda tremem um bocadinho mas pode ser que com o tempo as coisas assentem. Até lá, siga a rusga. Nem que erupta (erupcione? eruptide? erupcionalize? desisto...) outro vulcão lá nas Islândias, é preciso sair de lá com três pontos!!!

    Leia Mais...

    Sai um comentador, sai um espectador

    Desde terça-feira à noite, muita gente tem questionado as razões que me levaram a abandonar o programa Trio d'Ataque. Há quem julgue, até, que fugi ou que me procurei esquivar à discussão. A gravação do programa está disponível na internet, e poderão verificar que, antes de me levantar, disse tudo o que tinha a dizer. Não pactuo com a porcaria, com a canalhice e com a insídia. Não serei cúmplice de um sistema em que aqueles que são condenados pelos tribunais são, depois, inocentados em programas de televisão ao passo que aqueles que são absolvidos pelos tribunais são depois sujeitos a julgamentos sumários. Comigo não contam para ser juiz, verdugo ou testemunha em autos de fé.

    Rui Moreira, em "A Bola"

    Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap! Clap!

    Leia Mais...

    © 2008 Por *Templates para Você*