Baías e Baronis - FC Porto vs Besiktas

Foto retirada do Sapo Desporto

Foi um jogo estranho. O FC Porto entrou, como era esperado, com cautelas em relação ao jogo do próximo Domingo contra o Benfica e tentou sempre gerir a posse de bola (raramente da melhor forma) e impôr um ritmo lento, pausado em demasia e com poucas incursões bem organizadas no ataque. Do outro lado estava uma equipa do Besiktas que se resumia a um grupo de jogadores viri...não...agressiv...não...sarrafeiros (isso) que tentaram pela força o que podiam perfeitamente ter conseguido pela táctica, tal era a desorientação geral no meio-campo portista. A somar a isto temos uma arbitragem ridícula, que permitiu aos turcos fazerem o que lhes apetecia ao lombo dos nossos rapazes, fosse com os pés, as mãos ou os cotovelos. Apelando ao pragmatismo, o resultado é mau mas aceita-se tendo em conta o que ambas as equipas produziram. Venham as notas:









(+) Fucile O melhor em campo, pelo menos do nosso lado. Foi o Fucile da África do Sul, que lutava por todas as bolas, que fazia o flanco todo em correria louca, que se lançava em carrinhos para bloquear os passes dos adversários e que apoiava o ataque com tabelas práticas e sempre a subir no terreno com a bola controlada. Está a ser um duelo interessante pela posição de lateral-direito, talvez a grande incógnita na equipa-base de Villas-Boas. Com Fucile a jogar assim, o lugar é dele.

(+) Rolando Foi dos melhores jogos que o vi fazer com a nossa camisola. Esteve prático, útil na cobertura e não teve qualquer problema em mandar a bola para longe quando era preciso. Parece ter crescido desde o início da época e só se pode esperar que continue a boa forma.

(+) Hulk Nem a meio-gás jogou. Fez uma partida pausada e saiu para descansar porque o jogo importante é mesmo no Domingo. Ainda assim, sempre que pegava na bola e arrancava pelo flanco, quer o esquerdo quer o direito, era notória a dificuldade do adversário para o parar. Domingo já podes explodir, rapaz, domingo...

(+) Fabian Ernst e Nihat O alemão pela inteligência táctica no meio-campo, posicionamento quase perfeito e a distribuir as bolas de uma forma simples e directa, sem inventar; o turco porque marcou um golaço e andou todo o jogo a correr como louco e a dar cabo da cabeça ao Álvaro. Nihat aproveitou impecavelmente a expulsão de Rodriguez para zarpar pelo flanco fora, obrigando a defesa a recuar e os indolentes médios a descer para as laterais, destapando o centro do terreno. Ainda é um excelente jogador.

(+) Claques Foi uma segunda parte complicada, com emoção e incerteza no resultado. Os Super e o Colectivo estiveram incansáveis no apoio, a cantar desde o intervalo até ao apito do fulano que andava de vermelho mas que de árbitro tinha pouco, e a resposta da parte dos turcos foi sempre à altura, inclusive ao intervalo, onde tentavam puxar pelos ensonados adeptos portistas quando começaram a cantar em apoio a Quaresma. Foram poucos os que responderam ao repto, mas ficou-lhes bem o gesto.










(-) Cristian Rodríguez Começo a perder a paciência para aturar o Cebola. É um extremo que continua a não conseguir passar pelo marcador directo, porque quando recebe a bola abaixa a cabeça, enfia os olhinhos no chão e cá vai disto, arranca como um barril a rolar sobre a relva e quando consegue chegar à linha cruza contra o defesa, ganhando canto ou lançamento. Isto acontece 95% das vezes. Das outras, anda perdido e recua a bola para o lateral. É o tradicional não copula nem sai de cima, pronto. A expulsão é do mais ingénuo que já se viu nos últimos tempos e não se coaduna com um jogador que já devia ter experiência suficiente para se alhear das provocações dos adversários. Foi parvo e infantil e a equipa pagou por isso. Villas-Boas devia mandá-lo ficar a treinar no fim do jogo, à Robson.

(-) Guarín Continuo a não gostar de o ver a jogar na posição 6, muito embora a rotatividade do meio-campo acaba por fazer com que qualquer médio apareça em qualquer uma das três posições. Mas Guarín é um rapaz que até dá jeito quando entra cheio de força para acabar ou controlar um jogo pela força, numa altura em que a cabeça dá lugar ao coração, mas quando se lhe pede mais que isso...é para esquecer. Fica-me na retina um lance em que tenta fazer um chapéu ao guarda-redes do Besiktas (vá-se lá saber porquê, deve ter visto Holosko a fazer o mesmo e a enviar a bola à trave e quis tentar o mesmo) e a bola sai uns bons 10 metros acima da baliza. Fino recorte técnico, rapaz.

(-) Meio-campo criativo do FC Porto Nem Belluschi nem Ruben Micael estiveram bem hoje e essa falta de inspiração e entrega ao jogo foram demasiadamente influenciadoras do mau futebol que praticámos. Compreendo a tentativa de refrear ânimos, de descansar e de não meter o pé nos confrontos directos, especialmente com os 11 assassinos a soldo que estavam do outro lado. Ainda assim, não se cumpriu um dos objectivos que seria evidente para hoje: descansar com bola. Tanto um como outro não conseguiram furar a barreira de 4+2 homens que formavam o meio-campo turco e o FC Porto nunca conseguiu mais que enviar a bola para Hulk e pô-lo a correr. Foi pouco demais.

(-) Sarrafeirice do Besiktas O exército de Saladino esteve à solta no Dragão. Quais descendentes do antigo império Otomano, os estupores dos turcos vieram bater em tudo o que viam com uma simplicidade tão grande quanto a lata com que continuavam na senda de brutalidade ao nível da inquisição Espanhola. (menos referências histórias, não é? ok!). Contaram com a complacência do árbitro em vários lances, porque não percebo como é que alguns deles conseguiram acabar o jogo. Uma palavra especial para Guti. A foto que escolhi para ilustrar este jogo não foi por acaso. Guti é um cabrãozinho, sempre foi um cabrãozinho e continua a ser um cabrãozinho. Talentoso, o animal, mas cabrãozinho. É daqueles jogadores que usa a experiência e o estatuto para fazer o que quer em campo, com ou sem a bola perto dele, e que apetece pontapear repetidamente em vários locais do corpo só para o ouvir a ganir de dor. Nojo.

(-) Árbitro Quando os nossos comentadores desportivos, bloggers e o Rui Santos virem a actuação desta besta italiana hoje no Dragão, sugiro que engulam em seco quando pensarem em sugerir que os árbitros estrangeiros são a melhor opção para os jogos do nosso campeonato. Já vi muitas arbitragens fraquinhas, tal como já vi muitas arbitragens excelentes. Mas é raro ver um árbitro que permita tão descaradamente um jogo tão violento como hoje Paolo Tagliavento se lembrou de permitir. Como Patrick Bateman em American Psycho, o rapaz não sentia nada e tudo o que via devia parecer-lhe tão normal como uma ceia de Natal com delicado bacalhau cozido, quando claramente o repasto era uma sarrabulhada de patadas, cotoveladas, chutos e empurrões. À beira desta rapaz, o Pedro Henriques era um árbitro que apitava demais. Não comento o penalty (podia não ter marcado e ninguém se chateava) nem o lance do golo/não-golo porque tenho de lhes dar o benefício da dúvida. Quando não há certezas, não se marca, ponto. Nas expulsões nada a dizer, esteve bem. Foram as únicas coisas de jeito que fez todo o jogo.





O apuramento está garantido e podemos gerir o plantel em Viena e depois em casa frente ao CSKA Sófia. Podíamos ter vencido o jogo mas acima de tudo podíamos e devíamos ter controlado melhor a partida, não fosse Rodríguez querer lixar a vida ao treinador e enterrar a equipa numa desorientação táctica e impedir que se conseguisse jogar calmamente e descansar corpo e mente para Domingo. Too bad.

20 comments:

Nelson Machado disse...

Só me lembro de outro guarda-redes que sofre(u) tantos golos de remate de longe como o Helton. Era o Vítor Baía que diz que Helton aprendeu muito com ele no ultimo ano em que Baía jogou. Se a especialidade de sofrer golos de longe foi algo que lhe ensinou era dispensável.
Quem não se lembra do remate do CR, ainda ao serviço do MUFC, quase do meio campo e que Helton conseguiu transformar num "magnifico" golo. Para mim foi um magnifico frango.
Aquela mania, comum aos dois, de controlar a bola com os olhos e de se lançar à bola bem depois do recomendado, só para ficar a estirada numa fotografia bonita, depois dá no que dá.
Já rendeu muitos pontos o Helton mas um pouco mais de moderação na falsa modéstia não lhe fazia falta nenhuma.
Quanto ao jogo no geral, fraco muito fraco, muito pensamento no próximo jogo mas realmente o pior de tudo foi o arbitro. Até parece de propósito, depois do espanhol na Turquia ainda nos manda mais um "ceguinho profissional" e acompanhantes.

Orgulhoazulebranco disse...

Odeio quando este tipo de jogos calham antes de partidas importantes para o campeonato.Fica mesmo estranho,como ontem...

A tranquilidade que eu faço questão de manter desde o início da época tem grandes quebras neste tipo de jogos...quando o turco foi expulso,depois daquela jogada que mais parecia de futebol americano,mandei-o para tantos sítios diferentes e longínquos que se ele fosse a eles todos demoraria mais tempo do que para fazer a volta ao mundo,seriously...

Foi pena não termos dado melhor sequência àquelas investidas perigosas na primeira parte,e o Hulk não ter fuzilado a baliza naquela jogada fantástica(pouco antes do Cebola ser expulso).Claro que ainda podia falar daquela abécula de apito mas enfim...
E quanto ao Cebola,thanks but no thanks...para a próxima joga o Ukra :c

Bart Simpson disse...

Caro Jorge
Estava mortinho por chegar a casa, depois do jogo (ainda fui comprar um hamburger ao Burger king para comer em casa) para ver se você já tinha colocado os seus Baías e os seus Baronis.
E estou de acordo consigo em tudo o que diz.
Mas queria acrescentar mais umas coisitas:
- O Helton, tem dias! É bom moço, trabalhador, come a sopa toda, mas por vezes (e não estou a referir-me ao golo que sofreu) esquece que é "goleiro" e tem que estar na baliza e não a libero! Eu até gosto dele e esta época ele tem sido importante, mas acho que por vezes perde a concentração;
- Acho que o jogo de Domingo passado com a Académica, fez mossa nalguns jogadores. Vi pouca força nas pernas de alguns deles, sobretudo no Belluschi e no Givanildo. Eu admito que houvesse instruções para poupar, mas.......se calhar era mesmo cansaço.
- Sobre o Rodriguez, devo dizer que se fosse treinador dele, sempre que ele levasse um amarelo num jogo substituía-o de imediato. Ele é um naif de primeira. Deixou-se provocar e pimba. Nem a lição que teve ao serviço da selecção do país dele lhe chegou. Ah Cebola, Cebola!
- Os Super Dragões, que continuam a atirar objectos para o relvado. Hoje/Ontem arremessaram provavelmente isqueiros e outras coisas que não consegui identificar devido à distância. Também arremessaram um plástico que mais parecia a parte de trás de uma televisão. Que raio de coisa era aquela e onde foram desencantá-la? O FCP é que vai pagar a multa e para além disso sinceramente ficam-nos tão mal essas atitudes!
- Para terminar, queria falar sobre os árbitros do jogo e dizer o seguinte: puta que os pariu.

Venha o benfica, que nós estamos preparados.
Um abraço

Jorge disse...

@Nelson: o Helton é assim e não vai mudar...

@Orgulho: eu da bancada conseguia enviar o turco de volta para o Bósforo só com a força dos insultos!!!

@Bart: cansaço não notei, estavam era a precaver chatices. quanto às claques, já estive num Boavista-Porto onde um simpático grupo de rapazes ao meu lado atirou para o campo...um autoclismo. UM AUTOCLISMO!!! enough said.

já em relação aos árbitros...touché :)

Bart Simpson disse...

Dos Loureiros era de esperar tudo: frigorificos, micro-ondas, televisões....e já agora autoclismos!!!!

João disse...

Oh Malta, serei eu unico a comecar farto dos falhancos do Falcao? Tudo bem que ele cavou aquele penalty, mas falhou 2 ou 3 oportunidades que nos podiam dar a vitoria.

Mais uma vez nao percebi qual foi a de nao meter o Walter mais cedo e o cepo do guarin... 1000x o Castro.

Espero que a gestao de para Domingo. Infelizmente estando em Lisboa nao consegui bilhetes no site oficial :(

grande abraco

joshua disse...

O Rui Santos falava em «desarticulação», mas, em síntese, cheira a derbi.

Mais uma excelente holística e saborosa crónica, caríssimo Amigo. Nunca me cansarei de repetir que vejo muito bem o jogo "daqui".

Aquele Abraço!

Fleming disse...

Alguém falou no Hélton. Sinceramente parece-me uma bola muito dificil de defender. Vai com muita força e encostadinha ao canto. Estão a ficar com o Síndrome do Roberto, ai ai :P

Quanto ao resto, epah, Jorge...até dá gozo ler o que escreves. Os meus parabéns pela excelente análise que fizeste.

Saudações Açorianas,

Fleming

ultrafcporto disse...

Caros Portistas, mesmo que pela primeira vez não tenha ganho em casa, o F.C. Porto apurou-se para a próxima fase da Liga Europa, É mais que justo, por tudo o que os dragões fizeram ao longo da prova. Agora que venha o clássico pois alguém tem que pagar a frustração deste empate. :)

Cumprimentos,
Ultrasfcporto

Revolta FCP disse...

Ora este foi um daqueles jogos 2 em 1 a pensar em outra coisa qualquer. Tivemos claramente 2 jogos, o primeiro até á expulsão do cebola (que ontem foi um banana) e a partir daí o segundo. Estes dois a pensar sempre no próximo domingo e no clássico com os passarinhos de lisboa.

Se até uma certa altura ainda conseguimos ver algum futebol, após o desacerto da expulsão nunca mais fomos os mesmos. Até tendo a pensar que já não o éramos, mas simplesmente estavamos a disfarçar melhor. Com um meio campo apagado, um ataque esforçado e uma defesa que não esteve nos seus melhores dias a coisa já estava complicada. Some-se a isso uma cambada de caceteiros, um árbitro que em Portugal era uma estrela (ao nível dos melhores que cá temos) e uns assistentes á altura do árbitro... e está tudo dito.

No final vale o apuramento e o resultado que mantém o Porto sem derrotas. Mas ainda assim vale para os rapazes do André irem atentos para o próximo jogo.

Veja as notas do jogo em http://revoltazulebranca.blogspot.com

Jorge disse...

@João: não concordo contigo. Acho que o Falcao tem de melhorar na rapidez de execução mas tirando isso é um excelente avançado e marca muitos golos, mais até do que lhe era exigido.

@joshua e Fleming: obrigado. por acaso quando acabei a crónica fiquei a pensar que tinha escrito demais mas assim sendo parece que o comprimento se ajustou :)

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem o FC Porto rubricou uma exibição pobre.
Valeu a conjugação de resultados que nos permitiram já o apuramento.

O nosso meio campo não carburou como habitual. Belluschi e Ruben não são compatíveis.

Rolando arrisca-se a perder o lugar para Otamendi. Ontem o argentino foi um patrão da defesa, rubricando uma excelente actuação.

Fucile e Alvaro em jogos contra equipas com algum poder ofensivo, tornam a equipa menos sólida defensivamente. São dois laterais ofensivos, o que obriga a que um dos médios feche, e neste sistema táctico de Villas Boas, não existe um cabeça de área fixo.

Falcao e Hulk estiveram ao nível do que nos habituaram esta época, sempre bem no entendimento e a causar desequilíbrios na defensiva turca.

Nota negativa para Cebola. O veterano capitão turco, conseguiu a expulsão imatura de Rodriguez. Podia ter comprometido em muito a nossa qualificação, pois com a sua saída a equipa desequilibrou-se momentaneamente, e os turcos podiam ter dado a volta ao resultado.

Nota negativa para a equipa de arbitragem. Muito mal no capitulo disciplinar, não entendo como o capitão turco consegue terminar o jogo.

O penalti sobre Falcao na minha opinião é inexistente, pois Falcao já vai em queda, embora haja toque do defesa turco.
Os turcos são muito duros na abordagem aos lances, daí AVB ter substituído Hulk e Falcao.
Um golo mal invalidado a Ruben, também marcou a prestação negativa do árbitro. A bola esta completamente dentro da baliza, e se o golo tivesse sido validado teríamos vencido os turcos.

O mais positivo do jogo foi mesmo o público que acorreu em bom número ao Dragão em vésperas de clássico, para apoiar a equipa.

Abraço

Paulo

http://pronunciadodragao.blogspot.com/

Dragaopentacampeao disse...

Jogo bastante pobre, apesar das cinco alterações implementadas por AVB. Os jogadores que entraram já mostraram possuir qualidade para garantir um nível exibicional mais elevado.

Ontem, a primeira parte do jogo ainda foi regular. Nesse período, podíamos e devíamos ter arrumado a questão, não fosse a pontaria estar tão desafinada.

Depois da estúpida expulsão do Cebola, que originou um período de completa e inexplicável desconcentração, relembro que em Istambul, tal não aconteceu e foram dois os jogadores portistas expulsos, os turcos criaram situações perigosas que podiam ter comprometido um resultado positivo.

O resultado acaba por ser o mais justo, permitindo desde já a qualificação para a fase seguinte.

Quanto ao golo anulado, fica a dúvida para ser discutida, tal como foi a defesa do Vítor Baía contra as «papoilas saltitantes». As imagens não são esclarecedoras, dando aso às especulações mais convenientes.

Um abraço

dragao vila pouca disse...

Começo pelo fim: se este Paolo Tagliavento, foi o árbitro do ano em Itália, muita mal vai a arbitragem italiana... Tantos erros grosseiros, com o F.C.Porto a ser a equipa mais prejudicada...


Com um jogo importante no Domingo frente ao clube do regime e tendo menos 48 horas de descanso que o seu próximo adversário, que jogou na terça-feira, o F.C.Porto partiu para confronto com os turcos do Besiktas, com alguns objectivos bem definidos: em primeiro lugar ganhar para conseguir o apuramento; depois, em função do desenrolar da partida, ir gerindo de forma que o desgaste não fosse muito e para isso, fazendo as substituições necessárias para que ninguém ficasse demasiado desgastado para o jogo da Liga Zon Sagres; se no final, conjugando os resultados dos dois jogos, desse para, matematicamente, conseguir o primeiro lugar no Grupo L, óptimo, ficaria tudo resolvido a duas jornadas do fim. Conseguimos o apuramento, a gestão dos recursos humanos foi conseguida - para isso contribuiu que passado pouco tempo depois da expulsão de Rodríguez, também um jogador turco foi para a rua... -, mas não ganhamos e ao deixar escapar a vitória, não conseguimos garantir o primeiro lugar. Porquê?, tenho para mim que a saída de "Cebola" foi determinante.

Vamos lá a ver: sem ser exuberante na exibição, alternando bons períodos, com períodos em que foi pouco brilhante, a equipa portista ganhava, controlava, geria e apenas pecava na finalização. Era assim que estava o jogo, até ao momento, em que uma atitude irrefletida do internacional uruguaio, alterou tudo. Acusando a saída do seu nº 10, demorando a organizar-se, o conjunto de Villas-Boas sofreu um golo, passou um mau bocado e teve alguma sorte, ao ver bater duas bolas bater na trave da baliza de Helton. Passado esse mau bocado - durou cerca de 15 minutos -, o F.C.Porto, é verdade, voltou a estar por cima, teve lances de golo - acho que até marcou um, mas o robot que está junto à linha não viu -, mas já não foi capaz de voltar à qualidade que tinha demonstrado antes da saída de "Cebola". Faltou esclarecimento, foi mais coração que cabeça.


Resumindo: não foi mau, mas podia ter sido bem melhor, bastando para isso maior indíce de aproveitamento e mais cabeça fria da parte de um jogador que tarda em encontrar-se e ainda por cima, ferve em pouca água. Certo, o primeiro amarelo é absurdo, mas Rodríguez é um jogador experiente e tinha obrigação de não reagir a provocações.

Um abraço

P. Ungaro disse...

Não gosto de falar de arbitragem, no entanto mais uma vez os arbitros dos nossos jogos são imcompetentes.
Quanto ao jogo foi fraquinho, o que era de prever dado a alteração em meia equipa. No entanto e como nos jogos de pre-epoca é necessário gerir esforços, mentalidades e personalidades ... por falar em mentalidades o cebola não pode cometer um erro daqueles tão infantil.
No domingo so espero uma coisa ... garra, entrega, determinação ... e a vitoria !!!

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

Armando Pinto disse...

O objectivo principal foi conseguido, felizmente, venha agora o jogo que mais queremos ganhar!
No jogo contra os turcos, afinal de contas, só não ganhamos porque nos foi negado um golo, apesar da bola ter estado dentro da baliza. Mas também podia ter sido pior, com as duas bolas aos ferros, como se diz, e sobretudo algumas asneiras cometidas. Está visto que a equipa tem de manter bem a concentração, porque quando encara os jogos com vontade de vencer, vence mesmo.
Vamos lá agora ao grande jogo, contra os mouros vermelhos - de cujas memórias tenho umas recordações visuais e documentais no meu "Lôngara..."
Abraço
http://longara.blogspot.com/

João Castro disse...

Concordo plenamente com esta edição de Baías e Baronis, embora penso que o Fucile talvez pudesse ter feito melhor.

Custa ver a terrivel forma e atitude do Cebola, e a irregularidade do Guarín, está visto nesta altura quem são a base da equipa e quem são os jogadores de "Gestão de plantel".

penta1975 disse...

@ Jorge

apesar de termos visto o mesmo encontro, já se sabe que como são as opiniões, «certo? certo!» ;)

esta é a minha: só discordo da análise ao Guarín. eu, que na época passada acreditava que, em Janeiro, já não faria parte do plantel (e ainda não mudei de opinião, note-se!), considero que até fez um jogo bastante razoável. acredita que, por momentos, fez-me esquecer a ausência do Fernando - apesar de não ser um "box-to-box" como este último. soube sempre quando deveria emprestar músculo àquele meio-campo que, por momentos (principalmente na segunda parte), foi um desNorte.

em sinal positivo, considero que o Otamendi mereceria um "Baía" ;)

mas,estas são as minhas suposições, certo? ;)

saudações PENTAcampeãs!

Tomo I

Jorge disse...

@Armando: o Lôngara é de consulta obrigatória, a nossa História é para divulgar e o meu amigo fá-lo na perfeição!

@penta: se não houvesse contraditório...não valia a pena haver mais que um blog :) respeitosamente discordo da tua análise ao Guarín e o Otamendi não esteve mal mas gostei mais do Rolando. já li hoje em jornais opiniões bem diferentes da minha, mas mantenho-a.

João disse...

@Jorge
Atenção, não digo que o Falcão é mau! Muito pelo contrário, considero-o o melhor ponta de lança a jogar em Portugal. Ele está é mais lento a responder em relação ao ano passado por exemplo. No ano passado ele não falhava aquele passe do Hulk...

Eu realmente gosto mto deste Otamendi, tem muita classe (parece o mesmo do FM2010 ;)) acho que faria uma excelente dupla com o Rolando daqui para a frente. O Maicon não me convence.

Grande abraço

© 2008 Por *Templates para Você*