Micael, o pensador

Ruben é um nome que se tem vindo a tornar consensual nas bancadas do Dragão desde que chegou em Janeiro de 2010. Acho que não há ninguém que não goste do rapaz, seja pela personalidade humilde ou pela forma como se apresenta dentro de campo, sem inventar muito e jogando com inteligência e com processos simples. Ainda ontem, quando entrou em campo, fez-se imediatamente notar pela forma prática como lê o jogo e tenta descobrir a melhor forma de rodar a bola pelo meio-campo.

Enquanto Belluschi, com um estilo mais agressivo e irreverente, continua a jogar em bom nível, Ruben tem vindo a ser relegado para o banco, especialmente depois da lesão que sofreu no ano passado. Mas sempre que entra em campo há qualquer coisa de diferente na maneira como joga. É inteligente, joga sempre de cabeça levantada e não sendo um génio consegue perceber os lances como poucos no nosso plantel.

Se colocarmos a questão em termos de 2006/07, Belluschi é o Anderson e Ruben é o Lucho. Ou em 2003/04, enquanto que Belluschi é o nosso Alenitchev, Ruben é o Deco. Ainda mais para trás, em 1994/95, Belluschi seria o nosso Latapy, com Ruben a fazer o papel de Kulkov.

Cada um destes binómios se complementaram e formaram, com a ajuda de um ou outro médio defensivo (fosse Fernando, Paulo Assunção, Costinha ou Emerson), cada um deles fazia parte de um ponto fulcral na criação de estratégia ofensiva de uma equipa de topo: o meio-campo. E nesse sector temos, teoricamente, o melhor punhado de jogadores desde Mourinho.

Se a estes três (Fernando, Belluschi e Ruben) juntarmos Moutinho, Souza, Castro e até um renovado e aparentemente mais calmo Guarín...acho que podemos dizer que estamos bem servidos naquela zona!

9 comments:

T Nogueira disse...

Olá,

O passe de ruptura do Ruben para o 3º golo do Porto ontem foi fabuloso!

http://footinmyheart.blogspot.com/

São 4 os grandes do futebol português!

Um grande abraço

Orgulhoazulebranco disse...

Gosto,gosto mesmo muito do Ruben Micael,este texto podia ter sido escrito por mim.

O Belluschi está,finalmente,a revelar-se,mas,ainda assim,quando é mais pressionado perde muitas bolas...precisa de jogar lá mais para a frente,com espaço e não tanto com a função de pensar o jogo cá de trás.
Essa função pode então ficar para o nosso Ruben,que a faz muito bem como ainda ontem se viu naquela brilhante assistência para o Falcao(e não só).

Mas então,e Moutinho e a forma como preenche tão bem os espaços?E a simplicidade do Souza?E a força de Guarin?E...olha André,arranja-te,estás f*dido :)))

Mas já que falamos nisto,e fazendo também referência ao jogo de ontem,já não é primeira nem segunda vez que a qualidade de jogo melhora à medida que AVB vai chamando pessoal ao meio-campo.4-3-3 exige uma velocidade e mobilidade que o Porto,nesta altura e ainda para mais sem Hulk,não tem...

Por mim,começava os jogos com Fernando,Moutinho,Micael,Belluschi,Hulk e Falcao...mas quem sou eu?xDD

Nuno disse...

Uma excelente análise por acaso. Não poderia estar mais de acordo, aliás torna-se complicado encaixar tanta qualidade naquele nosso meio campo. Será que a alternativa será a longo prazo colocar a equipa a título definitivo a 4-5-1? Nesse caso o que faríamos com tantos extremos?
Este ano temos um plantel largo e com muitas opção. É bom de ver, agora resta saber até que ponto o Mister Vilas Boas vai saber rodar os jogadores e manter toda a gente contente e mesmo assim ter os melhores resultados possíveis.

Filipe disse...

Pessoalmente, acho que belluschi não tem jogado assim tão bem como isso. Contra a Naval jogou mal... Faz bons passes por vezes, mas tambem falha muito. E não é rápido. O que eu tenho notado nele é que ele tem roubado muita bolas em carrinho, tem sido incomodativo para os adversários. Mas neste jogo contra o Beiramar, e também no do Genk, o Ruben mal entrou, fez logo umas jogadas do caraças que a mim me parecem de outro nível. Acho que deve ser títular indiscutível.

PS: O que fazer com Meireles se ele não sair? :S

dragao vila pouca disse...

Acho que não é só nesse sector, é em todos. Com a continuidade de Fucile, cada vez mais perto de acontecer e a contração, já oficializada, de Otamendi, estamos a caminho de ter um excelente plantel em qualidade e quantidade.

Como André Villas-Boas disse que não o atrapalha o excesso de bons jogadores, estão reunidas as condições para uma época boa, à altura dos nossos pergaminhos.

Um abraço

José Luís disse...

Saber gerir um plantel com a qualidade que está a demonstrar vai, porventura, ser o maior desafio do AVB.

Porque realmente este plantel tem 3 coisas fundamentais:
. é composto por malta jovem mas já com experiência, com grande disponibilidade física e com grande ambição de dar nas vistas;
. tem soluções de qualidade para vários sistemas (4-4-2, 4-3-3, 4-5-1 ou até, em situações de maior aperto, 3-5-2);
. e tem, sobretudo, uma grande homogeneidade, não é daquelas massas com grumos que havia o ano passado, com o Tomás, o Valeri, etc.

Ou seja, este ano tem pano para mangas, não se ponha é o AVB a inventar demais, mas também me parece que não é desses, até agora tem primado por uma leitura correcta dos jogos, dos momentos dos jogos, respondendo à altura e com eficácia.

Uma coisa importante que ele diz, já pela 2ª vez: "ao intervalo, fizemos a análise e a equipa absorveu", é sinal de alguém que sabe o que faz.

Jorge disse...

@Zé: sim, desde que não precise de o fazer muitas vezes e eles comecem a "absorver" logo desde início...

nuno disse...

correndo o risco de ser fuzilado on the spot, permite-me dizer que não gosto do micael.
acho-o um interior direito banal, que não erra passes curtos é certo, mas um interior direito quand même.
pode vir isto de ainda não ter visto um jogo do porto do AVB com olhos de ver. um interior direito banal pode transformar-se num bom jogador com um bom treinador, coisa que o jesualdo não era.

já meti um canal lá em casa para ver os jogos da nossa Liga comentados pelo, segura-te, Rui Pataca e daqui a uma semana falamos. :)

Jorge disse...

ah grande Rui Pataca! ele não chegou a jogar no MOntpellier no Metz ou parecido?

a questão é que o Ruben, pelo menos no Porto, não está a jogar como interior direito. com a rotação permanente no meio-campo ele inclina-se para o lado direito porque o Moutinho parece fixo à esquerda mas não age como tal, nunca o vês a fazer incursões à Lucho a furar o meio-campo. fica com um papel mais central, mais organizador. se o vires ao vivo tens a noção exacta da inteligência dele com a bola nos pés e quando comparas com outros que jogaram naquela zona nos últimos dois anos (Tomás Costa ou Guarín), não há comparação...

© 2008 Por *Templates para Você*